quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A EVOLUÇÃO MORAL ESTÁ EM SEGUNDO PLANO? - Raul Teixeira



NÓS EVOLUIMOS MUITO CIENTIFICAMENTE. POR QUE A EVOLUÇÃO MORAL ESTÁ EM SEGUNDO PLANO?

Raul Teixeira: Não é verdade que a questão moral esteja tão em segundo plano. A grande questão é que a mídia de maneira geral dá destaque ao mal, ao escandaloso, ao erro. Dão destaque àquilo que vende e aquilo que vende é porque gera interesse nas pessoas. É o escândalo. Fala-se a respeito das crianças que são estupradas, violentadas todos os dias, em todos os aparatos da mídia. No entanto, ninguém cogita das famílias inumeráveis que adotam crianças; dos médicos que atendem de graça nos seus consultórios; do doutor Pitangui que abre sua clínica no Rio de Janeiro para atender periodicamente as pessoas de graça. O bem não tem valor. Ninguém dá notícia de um jovem favelado que estudou, que se formou. Mas, dá notícia do jovem favelado que usa e vende drogas, que assalta. Então, não é que o bem não existe, é que o mal está muito destacado. O mal avança na Terra por culpa dos bons porque os maus são ousados e intrigantes enquanto os bons são tímidos. E é isso que a gente vê. Quando vamos fazer alguma coisa boa morremos de vergonha, muitas pensam: “O que vão dizer de mim?” E o mal assalta em plena luz do dia, põe todo mundo deitado no chão sem se importar com a câmera que está filmando. Por quê? Porque ele é ousado e intrigante e o bom e o bem são tímidos. Mas, independente desse fenômeno, o bem está crescendo e daqui a pouco o mal desaparecerá. Porque o mal não tem vida própria, ele é mantido por nós durante esta fase de ansiedade por notícias grosseiras, instigantes, que geram adrenalina. Quantos artistas participam de obras sociais e ninguém fala disso. Mas, os artistas do escândalo, aqueles que casam dez vezes, etc., estão sempre na mídia. Então, alguma coisa está errada em nossa degustação dos valores morais da sociedade. No dia que nós nos desinteressarmos pela notícia escandalosa eles deixaram de vender e vão ter que tentar colocar notícias melhores. Diz Emmanuel que notícia ruim não deve ser divulgado em tempo algum, e se nós estamos nos deliciando com isso, é porque estamos num momento difícil do gosto que estamos apresentando. Então, os homens e mulheres tem grande responsabilidade nessa expansão do mal. Porque eles tem os veículos em suas mãos e eles poderiam dar espaço ao bem. Ninguém está dizendo para não noticiar o mal, mas que o mal noticiado seja para construção do bem e não noticiar o mal por noticiar o mal. Que se use a notícia má para tirarmos exemplo de como não errarmos naquele ponto, de como devemos corrigir ou coibir, etc. Uma manchete negativa fica semanas, meses sendo falada a mesma coisa. Uma notícia boa, quando ele é falado, é só aquela vez e não há mais outra oportunidade. Verificamos quantas coisas boas você não fica sabendo e que há no mundo. O lar de crianças de Divaldo Franco, por exemplo, ninguém conhece. Ele atende mais de 3.500 pessoas por dia e que é bancado por ele com a comunidade. Quem tem nas mãos esta responsabilidade saibam usar esta responsabilidade, porque senão a gente acaba dando um tiro contra o próprio pé.



Nenhum comentário:

Postar um comentário