quinta-feira, 31 de agosto de 2017

QUEM SÃO OS ESPIRITEIROS?



Explica Richard Simonetti: "Espiriteiro é uma palavra nova que não se encontra no dicionário. Ela define as pessoas que se ligam ao Centro Espírita, mas são desligadas das finalidades do Espiritismo. Espiriteiro é o “PAPA PASSES”, que comparece às reuniões apenas para receber sua “hóstia” depuradora, representada pela transfusão magnética. Frequentador assíduo de “consultórios do Além”, grupos mediúnicos que se formam apenas para receber favores espirituais, não consegue compreender que o Espiritismo não é mero salva-vidas para acidentes existenciais nascidos de sua própria invigilância."
Richard Simonetti chama atenção para aqueles que acham que Espiritismo é só mediunismo. Que só frequentam a casa espírita para buscar favores do Além. Querem "consultar os espíritos", mas não buscam consultar o evangelho antes de tomar uma atitude. Buscam cura para o corpo, mas esquecem que, como disse Bezerra de Menezes, "toda doença tem sua origem na imperfeição do espírito", ou seja, não buscam prevenir as doenças que estão na alma. Querem afastar o obsessor, mas não querem saber como os atraímos para perto de nós e o que devemos fazer para que eles não nos persigam. Buscam o dia do passe, por exemplo, com a finalidade de se beneficiar dele sem buscar conhecer a finalidade do Espiritismo que é "auxiliar o progresso moral da humanidade." Eles não se esforçam para se melhorar moralmente domando suas más inclinações. Mais importante que o passe é o evangelho que o antecede. Nele aprendemos que a doutrina não retira problemas e dores do nosso caminho, mas explica-nos o porquê das coisas e ensina-nos: como podemos melhorar a nós mesmo para gerarmos efeitos felizes no futuro; como prevenir e resolver problemas espirituais, desde que empreguemos vontade e esforço no sentido do Bem; ou ainda, como superar aquilo que, por ora, não pode ser mudado porque nos serve de expiação ou de prova. Espíritas, não deixemos desviar a finalidade do Espiritismo. Lutemos pela fidelidade de seus ensinamentos. Unamo-nos e busquemos nos instruir. Espiritismo é sinônimo de trabalho: trabalho em prol do próximo através da caridade e trabalho em prol de si mesmo através da reforma íntima. Pensemos nisso!


Texto de Rudymara


segunda-feira, 28 de agosto de 2017

NOSSO PLANETA É UMA ESCOLA


Podemos olhar para nosso planeta como uma escola onde nós somos os alunos. Uma sala de aula sempre tem aqueles alunos que se sentam na parte na frente porque querem aprender, eles se esforçam para melhorar sua nota, fazem seus trabalhos e tarefas, contribuem com os eventos da escola com boa vontade, respeitam todos os profissionais da escola. Esses passam de ano com tranquilidade. E tem aqueles alunos que se sentam no fundo da sala. Levam tudo na brincadeira, na risada, não estudam, não cumprem suas obrigações escolares, não querem respeitar leis disciplinares, desrespeitam os funcionários da escola, atrapalham a aula. Esses, na maioria, repetem o ano, sofrem castigos e, algumas vezes, são expulsos da escola. Alguns, quando observam que irão repetir, se arrependem em tempo, mudam seu modo de agir, estudam e passam. Sempre há tempo de mudar o comportamento. Assim são os moradores desse planeta. Há os que se esforçam para serem melhores, cumprem seus deveres de cidadão respeitando a Natureza, os animais, as pessoas e a si mesmo. São colaboradores de um mundo melhor e “passam de ano”, ou seja, evoluem. E há aqueles moradores que só pensam em seus direitos sem respeitar o direito do outro, não respeitam a Natureza, maltratam animais, pessoas e vivem “curtindo a vida” desrespeitando-a em festas regadas a drogas lícitas e ilícitas, sexo desregrado, alimentações abusivas, enfim, retardam sua evolução e contraem dívida com a lei divina onde sofrerão as consequências nessa ou em outra encarnação através de provas ou expiações. Em época de transição planetária, os que insistirem na rebeldia não encarnarão mais nesse planeta, serão expulsos dele para morarem num planeta que condiz com seu comportamento. Se ficarem aqui atrapalharão “a aula”, ou seja, a evolução do planeta. Outros repetirão o ano, ou seja, terão que retornar para refazer as tarefas e obrigações de maneira correta. Podemos rir, brincar, nos divertir, viajar, participar de festas, mas é preciso reservar um tempo para a finalidade da vida. E qual é a finalidade da nossa encarnação? Os espíritos responderam na questão 132 que “Deus a impõe com o fim de levá-los à perfeição”, ou seja, nascemos para evoluir. Os alunos aplicados se divertem, mas eles não deixam de fazer suas tarefas. Tem hora para tudo. Jesus, o mestre dessa escola, também não se importa que busquemos nos divertir, mas que nos comportemos nesse divertimento como cristãos e que sejamos alunos(as) aplicados na hora das tarefas e trabalhos que nos eleva na escala evolutiva. A cartilha a ser seguida é o EVANGELHO e a dor, que chega através da prova e expiação, é o disciplinador. Pensemos nisso!

Texto de Rudymara



domingo, 27 de agosto de 2017

MUNDO DE PROVAS E EXPIAÇÕES


Por que nosso planeta é chamado de prova e expiação?
Porque os moradores desse planeta estão passando por prova ou expiação. O que é prova e o que é expiação? Prova é quando nós, antes de encarnarmos, escolhemos o tipo de resgate queremos passar ou escolhemos o tipo de prova que queremos passar. E na expiação nós ainda não temos condições de escolher o tipo de resgate que precisamos passar. Ele é imposto pela lei divina. Resgatar o que? A maioria dos moradores desse planeta ainda são rebeldes a lei divina, são maldosos e ignorantes. Então, quando transgridem a lei de Deus, ficam em débito com ela, daí terão que colher o que plantaram. Ninguém está morando num corpo, num lugar ou situação errado. A lei divina é justa e perfeita, ela não pune ninguém, apenas nos faz pensar no erro para não errarmos mais e, consequentemente, evoluirmos. Muitos admiram-se por haver sobre a Terra tantas maldades, tantas paixões inferiores, tantas misérias e enfermidades. Mas isso é normal num mundo de provas e expiações. Imaginemos a Terra como um hospital ou uma penitenciária, daí compreenderemos porque há mais aflições que alegrias. Porque não se enviam aos hospitais as pessoas sadias e só recebem alta quem se curou. É o que acontece conosco, fomos enviados para cá porque somos doentes e só sairemos desse hospital quando estivermos curados das chagas morais. E também só é mandado para o presídio quem está devendo para a lei dos homens e só sai dele quem pagou sua pena. É o nosso caso, só estamos nesse planeta “presídio” porque devemos para a lei divina e só sairemos dele quando quitarmos nossas dívidas com ela. Nem os hospitais, nem uma casa de correção são lugares de delícias. Só seremos dignos de morar num mundo melhor quando nossas atitudes forem melhores. Mas há presídios onde o preso sai para trabalhar. E cada dia de trabalho ele diminui um dia na sua pena. Conosco acontece a mesma coisa, Deus nos dá a oportunidade de diminuir nossos débitos através do trabalho “caridade” que estendermos ao próximo. Pois, "o amor cobre multidão de pecados ou débitos." Porque a lei de Deus não é a do olho por olho dente por dente é a lei de Amor. Nós não precisamos pagar nossa dívida pela dor, através das provas e expiações, podemos diminuir através do amor “caridade”. Exemplo: Conta que, antes de encarnar, estava programado para um espírito ficar cego na sua maturidade física. Mas, ele encarnou e adotou, junto com sua esposa, muitas crianças órfãs. Educou, cuidou e orientou todas elas de forma exemplar. Então, quando chegou a época dele cegar, a lei divina deu a ele apenas um óculos. Por que? Porque o amor que ele estendeu ao próximo cobriu, quitou, uma multidão de débitos. Portanto, se não queremos sofrer, comecemos a observar melhor a lei divina e, como não lembramos o que fizemos no passado, o que está programado como resgate, comecemos a praticar a caridade para que tenhamos a chance de quitarmos nosso débito através do amor ao invés da dor. Pensemos nisso!

Texto de Rudymara




sábado, 26 de agosto de 2017

25 DE AGOSTO É DIA DO SOLDADO


No começo do ano houve uma greve de policiais no Espírito Santo. Muitas pessoas saíram assaltando, roubando, matando, saqueando lojas e supermercados. Por que? Será que precisamos de policiais para dizer quais são os nossos limites? Sim, ainda precisamos de policiamento sobre nossos atos, porque somos habitantes de um mundo de provas e expiações, onde a maioria, como disseram os espíritos à Kardec, ainda são maldosos, ignorantes e rebeldes à lei divina. E o efeito dessa rebeldia é a punição pela lei dos homens e pela correção, através de prova ou expiação, pela lei de Deus. Um dia, quando evoluirmos moralmente, nossa consciência será o sinalizador dos nossos limites. Como está na questão 796 do O livro dos Espíritos: “Uma sociedade pervertida certamente precisa de leis severas. Infelizmente, essas leis mais se destinam a punir o mal depois de feito, do que a lhe secar a fonte. Só a educação (moral) poderá reformar os homens, que, então, não precisarão mais de leis tão rigorosas.” Mas, enquanto isso não acontece, respeitemos os profissionais militares. Sabemos que dentro dessa e de todas as profissões há péssimos profissionais. Mas, não devemos generalizar. Portanto, deixamos aqui nosso agradecimento a eles que deixam seus lares, quando saem para o trabalho, sem saber se irão voltar para tentar nos proteger. Muitas vezes não fazem mais por falta de recurso e apoio da lei. Pensemos nisso!

Rudymara




segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ISSO NÃO É ESPIRITISMO



Hoje, 21/08/2017, encontrei esse folheto na porta da minha casa. Amassei e estava quase jogando fora, mas resolvi postar aqui para esclarecer que, esta pessoa não é espírita, é espiritualista. Todo espírita é espiritualista (porque crê em algo além da matéria), mas nem todo espiritualista é espírita (porque não segue os ensinamentos trazidos pelos espíritos através de Allan Kardec). O espírita, por exemplo, não cobra por qualquer ajuda que se proponha a fazer ao seu próximo. Seguimos a recomendação do Cristo que disse: "Dai de graça o que de graça recebestes." Também não jogamos búzios, não lemos carta de tarô, não fazemos e nem desfazemos qualquer tipo de trabalho espiritual realizado em casas espiritualistas. O Espiritismo não tem: dogmas, rituais, vestes especiais, cálice com vinho ou qualquer bebida alcoólica, incenso, mirra, fumo, altares com imagens, andores, velas, procissões, trabalhos espirituais, talismãs, amuletos, sacrifício animal, santinho, horóscopo, cartomancia, quiromancia, astrologia, numerologia, pagamento de promessas, despachos, riscos de cruzes e pontos, não tem curas espirituais milagrosas, fórmulas mágicas para resolver problemas sentimentais ou financeiros, etc. Respeitamos quem faz e quem procura tais consultas e trabalhos, porque devemos respeitar o livre arbítrio das pessoas. Mas, precisamos esclarecer que isso não é Espiritismo.

Rudymara 


O AUXÍLIO VIRÁ



O problema que te preocupa talvez te pareça excessivamente amargo ao coração.
E tão amargo que talvez não possas comentá-lo, de pronto.
Às vezes, a sombra interior é tamanha que tens a idéia de haver perdido o próprio rumo.
Entretanto, não esmoreças.
Abraça o dever que a vida te assinala.
Serve e ora.
A prece te renovará energias.
O trabalho te auxiliará.
Deus não nos abandonará.
Fazê silêncio e não te queixes.
Alegra-te e espera porque o Céu te socorrerá.
Por meios que desconheces, Deus permanece agindo.


Emmanuel



PAZ EM CASA


Compras na Terra o pão e a vestimenta, o calçado e o remédio, menos a paz.
Darte-á o dinheiro residência e conforto, com exceção da tranquilidade de espírito.
Eis porque nos recomenda Jesus venhamos a dizer, antes de tudo, ao entramos numa casa: "paz seja nesta casa".
A lição exprime vigoroso apelo à tolerância e ao entendimento.
No limiar do ninho doméstico, unge-te de compreensão e de paciência, a fim de que não penetres o clima dos teus, à feição de inimigo familiar.
Se alguém está fora do caminho desejável ou se te desgostam arranjos caseiros, mobiliza a bondade e a cooperação para que o mal se reduza.
Se problemas te preocupam ou apontamentos te humilham, cala os próprios aborrecimentos, limitando as inquietações.
Recebe a refeição por bênção divina.
Usa portas e janelas, sem estrondos brutais.
Não movas objetos, de arranco.
Foge à gritaria inconveniente.
Atende ao culto da gentileza.
Há quem diga que o lar é ponto do desabafo, o lugar em que a pessoa se desoprime. Reconhecemos que sim; entretanto, isso não é razão para que ele se torne em praça onde a criatura se animalize.
Pacifiquemos nossa área individual para que a área dos outros se pacifique.
Todos anelamos a paz do mundo; no entanto, é imperioso não esquecer que a paz do mundo parte de nós.


Emmanuel



LUGAR DEPOIS DA MORTE




Muitas vezes perguntas, na Terra, para onde seguirás, quando a morte venha a surgir... 
Anseias, decerto, a ilha do repouso ou o lar da união com aqueles que mais amas... 
Sonhas o acesso à felicidade, à maneira da criança que suspira pelo colo materno... 
Isso, porém, é fácil de conhecer. 
Toda pessoa humana é aprendiz na escola da evolução, sob o uniforme da carne, constrangida ao cumprimento de certas obrigações; 
Nos compromissos no plano familiar; 
Nas responsabilidades da vida pública; 
No campo dos negócios materiais; 
Na luta pelo próprio sustento... 
O dever, no entanto, é impositivo da educação que nos obriga a parecer o que ainda não somos, para sermos, em liberdade, aquilo que realmente devemos ser. 
Não olvides, assim, enobrecer e iluminar o tempo que te pertence.
Não nos propomos nivelar homens e animais; contudo, numa comparação reconhecidamente incompleta, imaginemos seres outros da natureza trazidos ao regime do espírito encarnado na esfera física. 
O cavalo atrelado ao carro, quando entregue ao descanso, corre à pastagem, onde se refocila na satisfação dos próprios impulsos. 
A serpente, presa para cooperar na fabricação de soro antiofídico, se for libertada, desliza para a toca, onde reconstituirá o próprio veneno. 
O corvo, detido para observações, quando solto, volve à imundície. 
A abelha, retida em observação de apicultura, ao desembaraçar-se, torna, incontinenti, à colmeia e ao trabalho. 
A andorinha engaiolada para estudo, tão logo se veja fora da grade, voa no rumo da primavera.
Se desejas saber quem és, observa o que pensas, quando estás sem ninguém; e se queres conhecer o lugar que te espera, depois da morte, examina o que fazes contigo mesmo nas horas livres.



(Do livro "Justiça Divina", pelo Espírito Emmanuel, Francisco Cândido Xavier)




SIMPLICIDADE


OTIMISMO


LEIS SEVERAS


SOLUÇÃO PARA A VIOLÊNCIA


Qual a solução que a Doutrina Espírita apresenta para a violência tão crescente nas cidades? 

A educação. O Espiritismo, essencialmente educativo, conclama-nos ao amor e à instrução que poderão formar uma nova mentalidade entre os homens. A violência é o fruto espúrio da ignorância humana. Remanescente da agressividade animal, explode em a natureza graças às bases do egoísmo, o câncer moral que carcome o organismo social. O antídoto do egoísmo é o altruísmo (amor ao próximo,abnegação). Por conseqüência, a melhor maneira de tornar uma sociedade justa e altruísta é a educação das gerações novas. Sabendo que, através da educação, formaremos caracteres saudáveis, deveremos investir tudo nesta obra libertadora, que é uma das mais elevadas expressões da caridade.

Divaldo Franco



CHICO XAVIER FALOU SOBRE O PERIGO DAS DROGAS



Pedro Bial entrevistou Rita Lee e questionou sobre o uso de drogas. Ao citar a maconha como primeiro exemplo, ele foi interrompido por Rita que disse:
- Ah, você vai falar de maconha? Pensei que fosse falar de café, Coca-Cola, açúcar, álcool…
Sim, o único que ela citou e que também é droga e se assemelha às drogas proibidas é o álcool. O café, Coca-Cola, açúcar e tantos outros são prejudiciais à saúde, quando usado em excesso e só para quem abusa. Mas é preciso cuidar da alimentação também. Já as outras drogas fazem mal para quem usa, para a família e sociedade. Não vemos um Centro de Recuperação para esses produtos ou alguém alterado por abstinência a ponto de roubar, assaltar, ficar agressivo, matar. O noticiário mostra diariamente violências ligadas aos usuários de drogas lícitas e ilícitas. Famílias, sociedade e vidas destruídas por elas. Não vemos pessoas na açúcarlândia, Coca-Colândia, cafélândia... Como disse Chico Xavier: “Eu não sei como as autoridades competentes não resolvem o problema das drogas, que, em última análise, diz respeito a todos... Quem é que não tem hoje, próximo ou distante, um parente envolvido com elas?! Tenho escutado muitos pais, muitas mães, muitos avós... Nos Estados Unidos, as drogas praticamente estão comprometendo uma geração. Devemos combater, com veemência, este problema: nas escolas, nos ambientes de trabalho e, sobretudo, nos lares... Não podemos assistir, impassíveis, aos nossos jovens sendo vítimas de traficantes. A propaganda contra as drogas ainda é muito tímida. De meia em meia hora, a Televisão deveria combater o problema, o rádio, o jornal... Os livros escolares deveriam, no processo de alfabetização, já começar esclarecendo a criança contra o perigo das drogas – um “vírus” que tem matado mais gente que os agentes viróticos mais violentos. A propaganda contra o uso de drogas tem que ser maciça – nos intervalos dos “shows”, nas partidas de futebol, nas missas, nas reuniões espirituais...”
Portanto, tenhamos bom senso. Não nos deixemos influenciar por opinião de pessoas, mas pelas estatísticas, pelos fatos reais que constatamos diariamente. Podemos pensar por nós mesmos. Se maconha fosse inofensiva por ser uma planta, tomaríamos chá de cicuta sem medo de nos envenenar. Se fosse a "planta da paz" não tiraria a paz das pessoas. Elas usam e quando acaba o efeito já estão pensando em usar novamente. A droga passa a comandar a vida delas. Usemos a razão, o raciocínio. Lembremos que a lei é de causa e efeito, ou seja, tudo que causarmos ao nosso corpo físico ou à sociedade, de maneira direta ou indireta, prestaremos contas. Sejamos pessoas que divulgam o bem, colaboradores de um mundo melhor, sem drogas, sem pessoas se aproveitando do vício alheio, sem violência. Pensemos nisso!


Rudymara



MOMENTO DE LUZ



Se você está feliz, ore sempre, rogando ao Senhor para que o equilíbrio esteja em seus passos. 
Se você sofre, ore para que não lhe falte compreensão e paciência. 
Se você está no caminho certo, ore para que não se desvie. 
Se você está de espírito marginalizado, sob o risco de queda em despenhadeiros ou perigosos declives, ore para que o seu raciocínio retome a senda justa. 
Se você está doente, ore a fim de que a saúde possível lhe seja restituída. 
Se você tem o corpo robusto, ore para que as suas forças não se percam. 
Se você está trabalhando, ore pedindo a Deus lhe conserve a existência no privilégio de servir. 
Se você permanece ausente da atividade, ore, solicitando aos Mensageiros do Senhor lhe auxiliem a encontrar ou reencontrar a felicidade da ação para o bem 
Se você já aprendeu a perdoar as ofensas, ore para que prossiga cultivando semelhante atitude. 
Se você reprova ou condena alguém, ore rogando à Divina Providência lhe ajude a entender o que faríamos nós se estivéssemos no lugar de quem caiu ou de quem errou, de modo a aprendermos discernimento e tolerância. 
Se você possui conhecimentos superiores, ore para que não lhe falte a disposição de trabalhar, a fim de transmití-los a outrem, sem qualquer idéia de superioridade, reconhecendo que a luz de sua inteligência vem de Deus que no-la concede para que venhamos a fazer o melhor de nosso tempo e de nossa vida, entregando-nos, porém, à responsabilidade de nossos próprios atos. 
Se você ainda ignora as verdades da vida, ore para que o seu espírito consiga assimilar as lições que o Mais Alto lhe envia.
Ore sempre.
A oração é o momento de luz, nas obscuridades e provas do caminho de aperfeiçoamento em que ainda nos achamos, para o nosso encontro íntimo com o amparo de Deus.

André Luiz

MELHORE O MUNDO QUE EXISTE DENTRO DE VOCÊ


Muita gente quer que o mundo mude para melhor, mas poucos se melhoram. O mundo só irá melhorar quando melhorarmos o mundo que está dentro de nós. Precisamos de pessoas mais educadas, caridosas, tolerantes, pacíficas, honestas, com menos rancor, ódio, revide, falsidade, mentira, traição, enfim, que pense nas consequências de suas ações na sua vida, na das pessoas que convivem com ela e na do planeta. Não adianta exigir dos outros o que não conseguimos ser e viver. Como disse Gandhi: "precisamos ser a mudança que queremos ver no mundo." Tem uma frase que diz: "Faça o bem porque o mundo vai mal." Mas, será que a afirmativa não deveria ser assim: "O mundo vai mal porque não fazemos o bem?" Pensemos nisso!

Rudymara



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

CURA ESPIRITUAL NA CASA ESPÍRITA



Por que há Centro Espírita que tem trabalho de cura espiritual e outro não?


Na verdade, todo Centro Espírita possui um trabalho de cura muito bem montada através da FLUIDOTERAPIA, que são os passes e a água fluidificada e deveria ser o único.
O magnetismo tem poder de cura, o próprio Allan Kardec nos fala na Revista Espírita e nas obras da codificação. Antes de estudar fenômenos espíritas, ele estudou magnetismo por mais de 30 anos. O Espiritismo não faz milagres; unicamente descobriu algumas leis que regem os fluidos e as aplica em benefício da humanidade sofredora.
Os espíritos curadores se utilizam dos fluidos que os médiuns passistas irradiam para a produção das curas e manipulação dos remédios fluídicos.
Os que estão recebendo o passe deverão ligar seu pensamento ao alto, para ajudar a receptividade. De pensamento elevado, o magnetismo penetra mais facilmente. E de pensamento negativo, dificulta a penetração dos fluidos. Os doentes incuráveis (sabemos que nem todos receberão a cura) encontrarão profundo alívio no passe e na água magnetizada. 
Por que muitas pessoas se curam na casa espírita?
Muitas pessoas se curam na casa espírita, fazendo promessa na igreja católica, passando óleo ungido dos templos protestantes (evangélicos), com florais de Bach, cromoterapia, etc., porque "é a fé que os cura" Elas estavam receptivas aos fluidos trazido pelos trabalhadores de Deus que se encontram em todos os lugares e casas religiosas. Eles não olham a forma que a pessoa escolheu para se curar e nem a religião, eles apenas se aproveitam da receptividade dessa pessoa para realizar a cura. Lógico que observam o mérito da pessoa, a chance daquela cura despertar na pessoa a busca da saúde do espírito e o planejamento dessa pessoa, antes de encarnar. Pois, há quem peça, por exemplo, uma doença como prova. Por isso, é preciso esclarecer, aos frequentadores da Casa Espírita, que a cura não acontece em todos os casos. Ás vezes, o bem do doente está em continuar sofrendo. Devemos explicar, segundo a visão espírita, porque ficamos doentes, porque uns conseguem curar-se e outros não, etc. Para que os que não alcançarem a cura, não saiam decepcionados achando que o Espiritismo é uma religião de charlatães. Os Centros Espíritas precisam, ao lado do passe, propiciar os meios para que frequentadores conheçam a doutrina e se exercitem num trabalho íntimo de evangelização, para a conquista da saúde definitiva, que é a cura das chagas da alma.


Rudymara






terça-feira, 8 de agosto de 2017

LEI DE MERECIMENTO


Jesus disse: “A cada um segundo suas obras”, ou seja, cada um receberá segundo o que tenha feito. Esta frase fala de recompensa futura, nossos atos ditarão o que colheremos nessa ou na próxima encarnação. A lei divina não irá querer saber se erramos porque fomos excluídos, desprezados, humilhados, porque fomos pobres, dessa ou daquela raça, etc., mas, como nos comportamos nestas situações. Então, deixemos a condição de “coitadinho”, de “vítimas” e lutemos para mostrar que todos somos capazes, inteligentes, dignos em qualquer situação... Ninguém veste um corpo físico que seja alto ou baixo, com ou sem defeito, precisando usar óculos ou não, dessa ou daquela raça ou posição social, sem motivo. Tudo é teste e aprendizado. Precisamos passar por certas situações para podermos dar valor, para respeitarmos quem, talvez, desrespeitamos em outra encarnação, para aprendermos a utilizar o dinheiro sem egoísmo, sem uso inadequado ou viver sem ele sem revolta, sem buscá-lo de forma ilícita. Se um teve mais recurso ou oportunidade, é porque ele deveria estar ali recebendo aquilo. Deus não erra de endereço. Observemos que muitos que nasceram com menos recursos e oportunidades alcançaram o que muitos com recursos e oportunidades não conseguiram. Os que tem menos, é lógico, terão que lutar mais, mas nada é por acaso. Muitos pediram, antes de encarnar, para estar naquela situação (prova). Se não pediram a lei divina os colocou ali (expiação). O que não devemos é sentir pena de nós e escolhermos um caminho errado e colocarmos a culpa no Governo, na sociedade, etc. A lei divina não privilegia ou desprivilegia ninguém. Tudo está dentro da lei de causa e efeito ou plantio e colheita. Já a lei humana não é justa nem perfeita como a lei de Deus. Basta observarmos a lei que diz: "saúde é direito de todos e dever do Estado". Isto não é cumprido e ninguém é punido por não obedecê-la. E entre as pessoas, muitas vezes, a justiça também não acontece. Muitos que pedem igualdade ou justiça social, por exemplo, se fosse dono de uma grande empresa, e tivesse procurando uma pessoa para uma vaga administrativa em sua empresa, e entre os concorrentes tivesse um irmão(ã) menos qualificado para o cargo que os outros, quem será que esta pessoa contrataria? Será que esta pessoa avaliaria todos de maneira igual, com justiça? É fácil pedir ou exigir igualdade e justiça social para os outros. Então, precisamos entender que, ainda moramos num mundo de provas e expiações, ou seja, qualquer sofrimento que venhamos a enfrentar é uma prova ou uma expiação. Na prova somos nós que pedimos para passar por certas situações: para resgatar ou para acelerar a evolução. Na expiação é uma imposição da lei divina para que resgatemos algo que fizemos. Faz parte da nossa evolução. Somos espíritos endividados com a lei divina e, obviamente, falhos. Todos, ainda, cometemos injustiças. O que devemos fazer é, utilizar para o BEM o que Deus nos empresta para que, no futuro, venhamos com menos dívidas e, consequentemente, sofrendo menos. Não queiramos méritos sem esforço. Como disse Emmanuel: "Cada conquista é serviço de cada um. Deus não tem prerrogativas ou exceções.Toda glória tem preço. É a lei do mérito, da qual ninguém escapa."

Texto de Rudymara




sábado, 5 de agosto de 2017

CORDÃO FLUÍDICO OU CORDÃO DE PRATA


Cordão fluídico, como o nome diz, é um "cordão" que liga o perispírito ao corpo físico. Ele é essencial para a vida orgânica. Como explica André Luiz: "Ele assegura a perfeita realização das funções biológicas vitais durante o período do sono natural, quando então o espírito se desprende do corpo físico para interagir no mundo espiritual..." Então, quando dormimos ou nos desprendemos do corpo físico, viajamos para muitos lugares, esse cordão age como um elástico, estica sem o perigo de romper. O rompimento só acontece no momento da morte. Mas, após esse rompimento não há chance de reatar.

Rudymara