quinta-feira, 24 de abril de 2014

BLOGUEIRO COM CÂNCER ARRECADA R$ 3,7 MILHÕES PARA CARIDADE



Um blogueiro britânico de 19 anos com câncer terminal arrecadou mais de 1 milhão de libras (R$ 3,7 milhões) para a caridade e postou uma última mensagem para seus seguidores.
Quando Stephen Sutton foi diagnosticado com câncer de intestino aos 15 anos, ele começou a levantar fundos para a Teenage Cancer Trust, instituição na Grã-Bretanha dedicada à adolescentes com câncer.
Na terça-feira, Sutton postou no Facebook:
- "Esta é minha última mensagem. Acho que já fui muito longe."
Em reação à notícia de que o total de arrecadações ultrapassou 1 milhão de libras, Sutton tuitou:
- "Muito obrigado à todos".
(Copiei esta notícia da página do Terra de hoje, 24-04-2014)
OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Ato louvável. Nunca é tarde para fazermos o Bem. Mas, não esperemos a “DOR” em nossa vida para despertarmos para nosso compromisso. Por que esperar ficar doente? Por que esperar perder um ente querido? Por que esperar um problema financeiro? Muitas pessoas não acham tempo e dinheiro para fazer o bem. Mas, quando aparece a “DOR” em sua vida despertam para a caridade. Seus olhos se voltam para o próximo. Será que este compromisso não estava sendo adiado e só a dor o fez lembrar? Uns adotam crianças, outros visitam hospitais, creches, asilos, outros frequentam casas religiosas, etc.
Muitos chegam em certa fase da vida com a dor do remorso por não ter relevado, perdoado, reconciliado, amado mais os amigos ou familiares que desencarnaram ou partiram de sua vida.
Então, despertemos pelo AMOR e não pela DOR.

terça-feira, 22 de abril de 2014

DESCOBRIMENTO DO BRASIL PELA VISÃO ESPÍRITA


 
Dia 22 de abril, lembra a chegada ao Brasil da esquadra de Pedro Álvares Cabral, a mando da coroa portuguesa.
Quando avistou Porto Seguro, Cabral não imaginava que estava cravando bandeira para desbravar o país que seria no futuro o coração do mundo e a pátria do evangelho.
Pouca gente sabe a história espiritual desse acontecimento. Apenas os Espíritas conhecem o livro de Humberto de Campos que afirma que o Brasil nasceu para ter um destino glorioso dentre as nações do mundo.
Jesus por volta do ano de 1370 esteve reunido com os dirigentes do planeta para transplantar a árvore do evangelho que havia sido plantada na Palestina para outro local do globo.
Isso se dava porque a Terra Santa havia sido degradada vilmente pelos homens e pelas guerras, e se fazia necessário mudar a sementeira de luz. A Palestina estava arrasada e onde antes a terra era resplandecente e verdejante havia apenas escombros e deserto árido. A ação do homem belicoso havia destruído o local mais sagrado do mundo, pois nele havia pisado o Espírito mais sublime que a Terra conhecera.
O Espírito Hilel reencarna em 04 de março de 1394 na cidade do Porto como o infante Dom Henrique de Avis, quinto filho do Rei D. João I. Ele renovou as energias portuguesas no desejo de encontrar novas terras além-mar. Para auxiliar o trabalho da Escola de Sagres por ele fundada, os mentores espirituais foram buscar Espíritos de alto conhecimento em navegação, afeitos às lides com o mar. Os grandes navegadores surgiram de sua escola para desbravar os oceanos e descobrir as novas terras além do atlântico. Os Fenícios foram os escolhidos a voltar ao planeta para dar o impulso necessário à navegação. Eram corajosos e destemidos com o mar desde dez séculos antes de Cristo.
Dom Henrique desencarna em 13 de novembro de 1460 tendo cumprido uma das missões mais relevantes para o mundo. Traçados os objetivos, os Espíritos começaram o trabalho de tornar realidade os sonhos delineados.
Essas histórias contadas pelos Espíritos nos levam a crer que o mundo tem seus anjos tutelares e que eles estão constantemente trabalhando para que o planeta alcance o seu posto maior que é o de servir de casa para os Espíritos subirem na escala evolutiva.
Se o homem degrada o planeta, por certo, em contrapartida, a espiritualidade trabalha com os homens de bem para que a virtude vença as investidas do mal.
Com certeza, a comunicação feita pelos Espíritos a Allan Kardec de que a Terra se transformaria em planeta de regeneração, deixando para trás a condição de mundo de provas e expiação está ocorrendo.
Limpando a casa dos fluídos deletérios que a empestam, ela será o domicílio limpo e arejado que os mansos encontrarão para viver em paz no futuro.
 
 

Luiz Marini
 
 
 
OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: O descobrimento de nosso país foi planejado no mundo espiritual. Mas, as ações dos homens, após este acontecimento, segue a lei do livre arbítrio. Muitos erros foram cometidos por vários motivos, por exemplo, pela ganância, poder, etc. Mas, Deus e Jesus aguardam que possamos "redescobrir" este grande tesouro onde moramos, para que cuidemos melhor dele.




segunda-feira, 21 de abril de 2014

QUEM FOI TIRADENTES EM SUA ENCARNAÇÃO ANTERIOR?


ELE FOI UM INQUISIDOR, OU SEJA, PARTICIPOU DA "SANTA INQUISIÇÃO"
Humberto de Campos (Irmão X) conta no livro "BRASIL, CORAÇÃO DO MUNDO PÁTRIA DO EVANGELHO", através da psicografia de Chico Xavier que Tiradentes foi um inquisidor em sua encarnação anterior:
Instantes antes do enforcamento, a falange de Ismael (Espírito escolhido por Jesus para auxiliar no progresso e desenvolvimento do Brasil) cercaram a alma leal e forte de Tiradentes, inundando-a de santas consolações (...) no momento que seu corpo balança, pendente das traves do cadafalso, no Campo da Lampadosa, Ismael recebia em seus braços carinhosos e fraternais a alma edificada do mártir. Ismael exclamou:
“Irmão querido, resgatas hoje os delitos cruéis que cometestes quando te ocupavas do nefando mister de inquisidor, nos tempos passados. Redimiste o pretérito obscuro e criminoso, com as lágrimas do teu sacrifício em favor da Pátria do Evangelho de Jesus. Passarás a ser um símbolo para a posteridade, com o teu heroísmo resignado nos sofrimentos purificadores. Qual novo gênio surges, para espargir bênçãos sobre a terra do Cruzeiro, em todos os séculos do seu futuro. Regozija-te no Senhor pelo desfecho dos teus sonhos de liberdade, porque cada um será justiçado de acordo com as suas obras. Se o Brasil se aproxima da sua maioridade como nação, ao influxo do amor divino, será o próprio Portugal quem virá trazer, até ele, todos os elementos da sua emancipação política(...)”
Daí a alguns anos era o próprio Portugal que vinha trazer, com D. João VI, a independência do Brasil (...)."

Resumo de Rudymara

OBSERVAÇÃO: A Inquisição foi criada na Idade Média (século XIII) e era dirigida pela Igreja Católica Romana. Ela era composta por tribunais que julgavam todos aqueles considerados uma ameaça às doutrinas (conjunto de leis) desta instituição. Todos os suspeitos eram perseguidos e julgados, e aqueles que eram condenados, cumpriam as penas que podiam variar desde prisão temporária ou perpétua até a morte na fogueira, onde os condenados eram queimados vivos em plena praça pública. Os inquisidores questionavam os condenados e obtinham as confissões geralmente à custa da força, tortura e crueldade.

JESUS FOI COM O CORPO FÍSICO PARA O PLANO ESPIRITUAL?



 
Os teólogos medievais resolveram dizer que o corpo de Jesus transportou-se do plano físico para o espiritual. Mas, deixando de lado essa fantasia e admitindo que tudo acontece como está registrado, podemos conceber que o Mestre providenciou para que seu corpo fosse desmaterializado (não é nenhum absurdo, visto que, Jesus desmaterializou feridas quando curou os leprosos). Admitindo que Jesus exercitasse poderes que transcendiam as limitações humanas, não lhe seria difícil evitar esse “pequeno” efeito colateral.
Seja como for, ao providenciar o desaparecimento de seu corpo, Jesus procurou (provavelmente) evitar o “culto ao cadáver” e a disputa por “relíquias” (dentes, cabelos, ossos, vestes), que fatalmente aconteceria, bem típica das tendências humanas. Desejava que o reverenciassem com a vivência de suas lições jamais com a adoração de seus despojos carnais. Assim, eliminou os traços materiais de sua passagem pela Terra.
À luz do Espiritismo, hoje é mais fácil entender que:
 
 
1) O espírito não morre com o corpo físico, ele pode ressurgir (surgir de novo, reaparecer) aos olhos dos encarnados, dos que ainda vivem neste mundo utilizando o perispírito. Há vários relatos na Bíblia de aparições de desencarnados (mortos) conversando com encarnados (vivos).
 
 
2) Não é o corpo de carne que ressurge, mas o espírito com seu perispírito (corpo fluídico) e este pode guardar ou não as aparências do físico anterior, conforme o espírito as mentalize ou não. Exemplo: André Luiz ressurgiu com a aparência da última encarnação; já Emmanuel não ressurgia com a aparência da última encarnação, mas da encarnação que mais marcou sua vida, que foi quando viveu na época de Jesus, relatado no livro “Há dois mil anos”.
 
 
3) O reaparecimento do espírito no plano terreno se dá em diferentes graus, desde a simples visão (chamado de vidência) até a aparição (visível, mas intangível, ou seja, vê mas não pode tocar) e a materialização (visível e tangível, ou seja, vê e pode tocar), como aconteceu com Tomé.
Poderíamos acrescentar que o espírito também ressurge quando se comunica através de um médium ou quando vem a reencarnar.
Então, Jesus apareceu com seu perispírito. Basta observar a passagem relatada por Mc 16:4/18; Lc 24:36/49; Jo 20:19/23; onde as portas da casa onde os discípulos se encontravam estavam trancadas, porque eles tinham medo da perseguição dos judeus. E ainda estavam eles falando dessas coisas, quando Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: “A paz seja convosco!”Como teria Jesus entrado, se as portas estavam trancadas? Sendo fluídico o corpo com o qual ressurgira, não encontrava qualquer obstáculo nas paredes ou portas trancadas.



4) "(...) a morte de modo algum acarreta os horrores da decomposição(...)". Sinal que eles tem um método de não deixar um corpo físico entrar em decomposição. Mas, por que isso foi feito? Talvez para evitar que os homens dessem demasiada importância aos restos mortais de Jesus e os arrastamentos de cá para lá, até hoje, em disputas e vãs exibições, como fez com as relíquias de alguns dos chamados santos. Não é a carne de Jesus que precisamos reverenciar e amar. É ao seu espírito, sábio e amoroso, que um dia aceitou nascer entre nós e, durante pouco mais de trinta anos, a todos nos ensinou a viver como Filhos de Deus.
 



Maria T Compri no livro Evangelho no Lar, no capítulo IV, diz: “A uma pergunta feita a Chico Xavier, sobre o que os Espíritos dizem a respeito da natureza do corpo de Jesus, ele respondeu:
- Jesus é como o Sol num dia de céu azul, e nós somos apenas palitos de fósforo acesos, à hora do meio-dia. O que é importante saber, e discutir, é sobre os seus ensinamentos e sua Vivência Gloriosa.
De fato, a Humanidade tem deixado de lado os Ensinamentos Morais do Cristo, para discutir coisas que em nada nos modifica as disposições interiores, como seja a natureza do corpo de Jesus, como Ele conseguiu ficar quarenta dias com os apóstolos, o que foi feito de seu corpo, após a ressurreição etc. Somos ainda pequeninos “palitos de fósforo acesos, à hora do meio-dia”, e distantes nos encontramos de absorvermos todas as verdades contidas no Universo, para nos determos nestas questões que a muitos ainda confundem.
Certamente, vivenciando seus ensinamentos e crescendo em Espírito e Verdade, futuramente teremos condições de apreender todo este conhecimento por processos naturais(...)”



Compilação de Rudymara

 


 
 






COMPILAÇÃO DE RUDYMARA




sábado, 19 de abril de 2014

O QUE MUDOU NO COMPORTAMENTO HUMANO DO TEMPO DE JESUS ATÉ AGORA?


 
 
• Ainda há vendilhões nos templos;
• Governo ainda massacra o povo com cobranças de impostos;
• Povo manipulado pelos governantes. Pois o povo exaltou Jesus no “domingo de ramos” e 4 dias depois, mudaram radicalmente de opinião quando pediram a crucificação de Jesus. Quem fez a cabeça desse povo em tão pouco tempo?;
• Muitos “Pedros” que negam Jesus muito mais vezes que Pedro negou, quando pedem, por exemplo, a pena de morte, a liberação do aborto, a liberação das drogas, quando são corruptos, etc. Pois, negar é saber as atitudes que Ele espera que tenhamos conosco e com o próximo e fazermos o contrário.
• Muitos querendo "atirar pedras" em alguém que tenha cometido algum erro, antes de corrigir os seus ou dos seus;
• Muitos utilizando a lei do olho por olho, dente por dente, porque "não levam desaforo para casa", ou porque querem, através do linchamento e outros métodos, punir alguém que tenha cometido um crime. Atitudes de vingança que são contrárias ao perdão ensinado pelo Cristo;
• Muitas Marias de Magdala antes da conversão. Umas vendendo o corpo, outras "ficando" gratuitamente, hoje com um, amanhã com outro, depois com outros, na ilusão de achar que estão "curtindo a vida".
• Muitos Judas vendendo o Cristo, ou seja, seus ensinamentos, por muito mais que 30 moedas de ouro. Traindo suas esposas e vice-versa; muitos filhos traindo a confiança dos pais; muitas pessoas traindo colegas de trabalho para ganhar posição e cargo; muitos traindo familiares na partilha da herança, muitos traindo a confiança das pessoas para roubar, assaltar, dar golpes, etc. Judas traiu, foi devolver as moedas e se matou por remorso e arrependimento. E muitos que traem hoje nem arrependimento sente.
• Até hoje não aprendemos a doar como a viúva que doou o que lhe faria falta. Continuamos doando pouco e, geralmente, o resto do que nos sobra ou do que não nos serve mais.

• Até hoje muitos buscam Jesus apenas para que ele cure seus males do corpo ou resolva problemas materiais, sem se dar conta que ele veio para ensinar que devemos seguir seus ensinamentos para que possamos curas as chagas da alma e resolver os problemas de ordem material;
• Até hoje o Cristo nos chama dizendo: “siga-me”, e nós continuamos a dizer: “Agora não dá, primeiro preciso ir a uma festa, viajar, etc. Não encontramos tempo para as coisas Dele, porque ainda estamos preocupados com as coisas passageiras, coisas que não levaremos conosco após a morte do corpo físico.
• Ainda hoje muitos oram, fazem palestras, pregam nos templos religiosos para que todos os vejam, como o fariseu orgulhoso que orou em voz alta no templo religioso e se alto elogiou.


Enfim, nós falamos muito de Jesus mas nosso comportamos é o mesmo do tempo que ele viveu na Terra. Ele ainda não foi entendido. Muitos de nós o procuramos com interesse de pedir cura, desobsessão, etc., sem buscar ouvir seus pedidos a nós.  
Infelizmente, muitos ainda dão maior importância para o coelhinho, o chocolate, o bacalhau, etc., do que renovar-se. Muitos ainda acham desrespeito comer carne vermelha no dia em que o Cristo é lembrado na cruz sem se dar conta que o desrespeito está em esquecer-se Dele, nos outros 364 dias do ano, quando odiamos, não perdoamos, lesamos o corpo físico com bebidas alcoólicas, cigarro, comidas em excesso, drogas, sexo desregrado, enganamos o próximo, maltratamos os animais, a natureza, quando abortamos, etc.
Então, como vemos, Jesus continua esquecido em seu propósito maior que é: ser RESSUSCITADO em nossas atitudes, palavras e pensamentos.
 
 
 
RUDYMARA
 
 
 
 
 
 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

JESUS LEVOU O PECADO DO MUNDO? ELE NOS SALVOU?


Jesus não levou o pecado do mundo, se isso fosse verdade, o mundo não estaria tão desequilibrado. Ele está esperando que salvemos o mundo com nossa conduta em relação ao próximo, ao planeta e a nós mesmos.
Como fazer isso?
Usando os ensinamentos Dele.
Jesus também não morreu para nos salvar, Ele viveu para nos mostrar o caminho da "salvação". Ou seja, para nos mostrar o caminho que devemos trilhar para nos "libertarmos" dos erros que ainda habitam em nós.
E qual é este caminho?
É a prática do Bem. Este é o caminho mais curto entre a animalidade que nos domina e a angelitude que devemos atingir.
Para isto, devemos renovar nossas atitudes, deixando morrer o "homem velho" (Paulo, cap. 4. Vs. 22/23), coberto de egoísmo, de orgulho, de vaidade, de preconceito, ou seja, coberto de ignorância e inobservância com relação à leis Morais, para que possa surgir para ventura de todos nós, o "homem novo", através dos ensinamentos e exemplos de Jesus Cristo.
Ele se sacrificou por nós, e nós, que sacrifício estamos fazendo por Ele?
Nós queremos que Ele ouça nossos pedidos, e nós, estamos ouvindo Seus pedidos?
Lembremos Dele na páscoa, no Natal e nos outros dias do ano. Não só para fazer festa, trocar presentes, etc., mas para "cristianizarmos" nossas atitudes.



Rudymara

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA QUINTA-FEIRA DE JESUS NA TERRA?


 
Aconteceram muitas coisas.
Jesus chama Pedro e João para que eles fossem a Jerusalém para prepararem tudo para celebrarem a páscoa judaica. Pedro e João preparam tudo e naquela noite Jesus vai com os outros. Depois que se assentaram, Jesus se ajoelha, como um servo e lava os pés dos discípulos.
OBSERVAÇÃO: O ensino é magistral, reafirmando a mensagem mais importante: Para Deus o maior será sempre aquele que mais disposto estiver a servir, o que mais se dedique ao Bem. Porque ninguém é mais ou melhor que ninguém.
 
 
Minutos depois, Jesus faz uma revelação espantosa:
- Um de vocês me trairá.
Os discípulos ficaram indignados
Dirigindo-se a João, sentado ao seu lado, Jesus, informou que o traidor seria aquele a quem Ele entregasse o pão molhado no vinho. E o ofereceu a Judas, dizendo:
- O que vai fazer faça depressa.
Judas sai, mas os outros não compreendem por quê. Como era Judas quem guardava a bolsa do grupo, pensaram que ele saíra para comprar o necessário à festa e algo para dar aos pobres.
Depois que Judas sai, Jesus pega um pedaço de pão, agradece a Deus, parte-o e dá a seus discípulos dizendo:
- Este é o meu corpo.
Depois compartilha a taça de vinho dizendo:
- Bebam dele todo. Isto é o meu sangue que será derramado pelos pecados (erros) de vocês. Dentro em pouco eu vou partir, e não poderão me seguir. Mas antes quero dizer-lhes para amarem uns aos outros assim como eu os amei.
OBSERVAÇÃO: Jesus, tomou de um pão, deu graças e repartiu entre eles, dizendo ser (simbolicamente) o "seu corpo", oferecido por eles. Da mesma maneira Jesus fez com o cálice de vinho, dizendo ser (simbolicamente) seu sangue, que também seria derramado para beneficia-los. E pediu: "façam isto em memória de mim." Para nós espíritas, Jesus pediu para que os apóstolos (do cristianismo) compartilhassem uns com os outros o pão de cada dia, seja o pão de trigo, seja o pão do espírito, o pão da dor ou da alegria. Enfim, que doassem e se doassem, derramando sangue, se preciso fosse, assim como ele fez por nós. Ele fez este pedido porque sabia que sua doutrina não seria de fácil aceitação, por isso concluiu: "se me perseguiram, também perseguirão a vós outros." E que fizessem isto em memória dele, ou seja, para que seus ensinamentos não ficassem esquecidos.
Mas infelizmente, uma simples evocação sugerida transformou-se em ritual com propriedades mágicas.
 
 
Mas, após a partilha do pão e do vinho, Jesus, ainda diz:
- Pedro, antes de o galo cantar, você me negará 3 vezes.
Pedro surpreende-se, porque acreditava que defenderia Jesus contra o primeiro que o quisesse ferir.
Os discípulos ficaram inseguros ao ouvir Jesus dizer que ia partir.então, Jesus disse:
- Se me amais, observareis meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que permaneça convosco para sempre, o Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece . . . Tenho ainda muito que vos dizer, mas não podeis suportar agora. Quando vier aquele Espírito de Verdade, ele vos conduzirá à verdade completa, pois falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que está por vir. Ele me glorificará porque receberá do que é meu e vos anunciará.
OBSERVAÇÃO: A ortodoxia religiosa situa o Consolador, o Espírito de Verdade, na festa de Pentecostes, quarenta dias após as materializações de Jesus, quando os discípulos, sob influência do Espírito Santo, falaram e profetizaram em línguas estrangeiras. Esta é uma ideia equivocada. Não vemos o Consolador naquelas manifestações. A morte de Jesus era recente. Nada havia para recordar, porque nada havia esquecido. E, se Jesus tinha muito que dizer, mas não disse porque o povo não estava preparado naquele momento, como estaria preparado 40 dias depois? Para nós, o Consolador Prometido que é o Espiritismo que veio para nos ajuda a compreender bem o significado de suas palavras, mesmo aquelas que nos parecem difíceis e enigmáticas.
 
 
Após a revelação, Jesus e os outros se retiraram em silêncio e seguiram pelas ruas até o portão oriental. Atravessaram o vale e foram ao jardim do Getsêmani no monte das Oliveiras. Na entrada, Jesus pede que Pedro, Tiago e João (seus amigos mais chegados) que sigam com Ele, e pede para que os outros fiquem. Após caminhar um pouco, disse:
- Esta noite será muito triste. Fiquem aqui vigiando enquanto vou orar.
Jesus então diz em prece:
- Meu Pai, se possível tire de mim esta agonia, mas faça-se a Tua vontade e não a minha.
Quando Jesus voltou onde estavam os discípulos, achou-os dormindo, e diz:
- Levantem-se, o traidor está chegando.
Jesus ainda estava falando quando Judas se aproxima com um grupo de homens de acordo com o combinado, e o identifica com um beijo.
Quando os soldados pegam Jesus, Pedro tira a espada e corta a orelha de um dos homens com um golpe rápido.
Jesus que pregou a não violência disse:
- Guarda a espada, Pedro. Pensa que não posso pedir a Deus uma legião de anjos para me socorrer?
Jesus cura a orelha do homem. Ao ver que Jesus não faz nada, os discípulos fogem. A uma ordem do oficial, os soldados amarraram Jesus e o levaram para Jerusalém, a mesma cidade onde ele entrou triunfalmente uns dias antes (no domingo).
Jesus é preso e levado ao palácio do sumo sacerdote. É interrogado e insultado. Enquanto isso, Pedro, o negava por 3 vezes. Então o galo canta. Pedro se assusta ergue a cabeça e seus olhos se encontram com os de Jesus que está sendo levado para a corte. Envergonhado, ele corre para fora chorando e pedindo perdão à Deus por ter negado conhecer Jesus.
 
 
 
Compilação de Rudymara
 
 
 
 
 

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A ÚLTIMA QUARTA-FEIRA DE JESUS NA TERRA

 
 
Na última quarta-feira, Judas passa o dia com Jesus e os outros sem imaginar que Jesus já sabia o que ele fez.
 
 
OBSERVAÇÃO: Jesus escolheu seus apóstolos. Sabia a fraqueza de cada um deles. Assim mesmo deu a oportunidade de segui-lo. Judas não nasceu para trair. Ninguém nasce para matar, roubar, trair ou transgredir a lei dos homens e a de Deus. Nós apenas fazemos mal uso do livre arbítrio. Então, neste caso, o maior traído foi ele próprio que se deixou levar por seu ponto fraco: A GANÂNCIA. Quando estamos prestes a errar, o mundo espiritual tenta nos orientar pelos condutos da intuição, além de buscarem nos fazer relembrar as lições que temos armazenadas e que recebemos durante a vida através da religião, o lar, a escola. Mas, quando permitimos que entre em nosso coração as tentações e enganos do mundo, acaba frustrando o empenho do mundo espiritual. Resta deixar que a pessoa exercite o livre-arbítrio e “quebre a cara”, como se costuma dizer, aprendendo, pela didática severa da dor, que é preciso respeitar as leis divinas.
Para ressarcir seu débito, Judas reencarnou como Joana D’Arc (1412-1431) que, à semelhança de Jesus, foi traída, vendida, humilhada e morta. Só não foi crucificada. Morreu numa fogueira.
 
 
 
Rudymara
 
 
 
 
 
 

terça-feira, 15 de abril de 2014

O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA QUE JESUS ESTEVE NA TERRA?


 
Na segunda Jesus expulsou vendilhões do templo e isso incomodou muita gente.
Por isso, na terça-feira o plano estava pronto. Jesus foi testado por um fariseu que Lhe perguntou se era correto pagar tributo a César. Jesus pediu uma moeda e perguntou quem estava cunhado naquela moeda. O fariseu respondeu que era a face de César. Então Jesus disse:
- Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

O que é de César? Os bens materiais. O que é de Deus? Os bens espirituais.
Se Jesus dissesse “sim” (que era correto pagar tributo a César) o povo que odiava pagar impostos ficaria contra Jesus. E se Jesus dissesse “não” seria preso por trair Roma.
 
Depois Jesus é testado novamente pelo fariseu que lhe perguntou qual dos 613 mandamentos era o mais importante? Jesus respondeu:
- Amarás teu Deus de todo coração, de toda tua alma, de todo teu ensinamento, e todas as tuas forças, e depois, amarás o próximo como a ti mesmo.

O fariseu surpreende-se com a resposta e concorda. Mais tarde Jesus adverte o povo a ter cuidado com pessoas que fazem o bem para serem visto. E observa um homem rico colocando sua oferta e uma viúva pobre pondo duas moedas. Disse Ele:
- A viúva deu mais que todos, pois deu tudo que possuía. Depois disso Jesus vai para o Monte das Oliveiras. Na mesma noite Judas negociou com os principais sacerdotes para entregar Jesus.
 
 
 
Rudymara
 
 
 
 
 

segunda-feira, 14 de abril de 2014

O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA SEGUNDA-FEIRA QUE JESUS ESTEVE NA TERRA?


 
Na última segunda-feira que Jesus esteve encarnado na Terra, Ele expulsou os vendilhões do templo. Este relato está em Lucas XIX, 45-46; Marcos XI, 15-18; Mateus, XXI, 12-17 e João II, 14-19. O de Lucas diz: "TENDO ENTRADO NO TEMPLO, COMEÇOU A EXPULSAR OS QUE ALI VENDIAM, DIZENDO-LHES: ESTÁ ESCRITO: A MINHA CASA SERÁ DE ORAÇÃO, MAS VÓS A FIZESTES UM COVIL DE LADRÕES."
 
 
E Cairbar Schutel comenta:"(...)A ação do mestre foi natural; embora não tivesse espancado a quem quer que fosse, nem mesmo as ovelhas e os bois, exerceu uma ação física semelhante à nossa, quando expulsamos do nosso quintal um boi, um carneiro ou um cabrito. Para tal munimo-nos de uma vara ou de um relho e, mesmo sem espancar os pobres animais, fazemo-los sair donde não devem estar. O Evangelho não acusa, absolutamente, a Jesus, por haver Ele afugentado os animais. A ação resoluta de Jesus com os cambistas e traficantes, derribando-lhes as mesas com o dinheiro que sobre as mesmas se achava, é que pode ser classificada como um ato de violência, mas violência sancionada pela Lei que Moisés citou: “A minha casa será casa de oração; mas vós a fizestes um covil de salteadores”, palavras estas proferidas por Isaías(...).
Esse ato de coragem do Senhor, que causou admiração a todos foi, a seu turno, o cumprimento de uma predição do Salmista (...)
O fato é que ninguém se achou com autoridade para expulsar do templo, e Jesus, fê-lo em alguns minutos, dando logo começo à sua tarefa pela cura dos enfermos, coxos e cegos que lá se achavam, atos esses que lhe valeram aplausos dos meninos, que exclamaram: “Hosanas ao Filho de Davi(...)”Após esta atitude de Jesus, sacerdotes e fariseus, contrariados com sua posição e reação, começaram a fazer planos contra Ele.
 
 
 
OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Infelizmente, até hoje encontramos os vendilhões dos templos. Se Judas vendeu Jesus por 30 moedas, hoje encontramos outros que o vende por muito mais. Este dinheiro sustenta o luxo dos templos e dos intermediários assalariados que Jesus condenava. Afinal, Ele próprio pregava nas ruas, não pedia nada pelas curas e andava a pé. O barco e o burro que usava eram todos emprestados. Ao expulsar os vendilhões do templo, Jesus condenou a venda das coisas santas, sob qualquer forma que seja. Deus não vende a sua bênção, nem o seu perdão, nem a entrada no Reino dos Céus. O homem não tem, portanto, o direito de cobrar nada disso.
 
 
 
 
 
 

domingo, 13 de abril de 2014

DOMINGO DE RAMOS


 
Jesus e seus discípulos seguiram para Jerusalém. No caminho, Jesus pede para que seus discípulos Lhe arranjassem um animal de carga. E assim o fizeram. Jesus montou nele e prosseguiu a viagem. A estrada estava cheia de pessoas que também iam para Jerusalém para comemorar a páscoa judaica. Eles abriram alas para Jesus passar. Acenaram com ramos de árvores e forraram o chão com suas roupas. E ao segui-Lo iam gritando parte de um salmo, 118: 25-26:
-Hosana! Bendito o rei que vem em nome do Senhor!
 
 
O simbolismo do jumento pode ser uma referência à tradição oriental de que este é um animal da paz, ao contrário do cavalo, que seria um animal de guerra. Segundo esta tradição, um rei chegava montado num cavalo quando queria a guerra e num jumento quando procurava a paz. Portanto, a entrada de Jesus em Jerusalém simbolizaria sua entrada como um "príncipe da paz" e não um rei guerreiro.
Em muitos lugares no Oriente Próximo antigo, era costumeiro cobrir de alguma forma o caminho à frente de alguém que merecesse grandes honras. A Bíblia hebraica (II Reis 9:13) relatam que Jeú, filho de Josafá, recebeu este tratamento. Este era símbolo de triunfo e vitória na tradição judaica e aparecem em outros lugares da Bíblia (Levítico 23:40 e Apocalipse 7:9, por ex.). Por causa disto, a cena do povo recebendo Jesus com as palmas e cobrindo seu caminho com elas e com suas vestes se torna simbólica e importante.
 
 
OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: O último domingo de Jesus na Terra ficou conhecida como "domingo de ramos." Neste dia ele entrou exaltado e saudado com repeito e alegria. Mas, quatro dias depois, os mesmos que o saudaram o condenaram a morte.
Ainda hoje fazemos isso a Ele. Nós o saudamos, dizemos que o amamos, compartilhamos seus ensinamentos pelas redes sociais, mas em seguida, muitos de nós, o traímos quando nossas atitudes e palavras contrariam seus pedidos. Com isso, condenamos à morte seus ensinamentos. Mas, ele acredita em nós, porque nos compreende, sabe que ainda damos mais valor ás coisas materiais do que as espirituais, e assim, continua aguardando há mais de dois mil anos que o sigamos. Pensemos nisso!
 
 
 
COMPILAÇÃO DE RUDYMARA
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 9 de abril de 2014

NÃO CONTRIBUA COM O CRIME

 
 Muitos, que se sentem indignados com os assaltos e roubos, são grandes colaboradores para que eles aconteçam. Pois, na primeira oportunidade, compram produtos roubados. Exemplo: um celular, um aparelho eletrônico, peças de carro e moto, etc. Quem compra, na maioria das vezes, são os que se intitulam “espertos” porque acham que estão levando vantagem, mas estão apenas incentivando estes mesmos assaltantes, hora ou outra, a assaltar ele próprio ou um de seus familiares.
Pense que, não haveria ladrões e assaltantes se não houvesse quem os incentive a cometer tal crime. Então, não contribua com a violência. Não compre produtos suspeitos de roubo, principalmente se você é cristão. Coloque-se no lugar de quem foi lesado. A recomendação de Jesus foi: “Não façam aos outros o que não quer que os outros façam a você.” Está mais do que na hora de seguirmos seus conselhos.


 
 Rudymara
 
 
 

sexta-feira, 4 de abril de 2014

QUEM É ESPERTO NÃO USA DROGAS


 
 Muitos defendem a droga dizendo: "Não estou prejudicando ninguém. A vida é minha e eu faço o que quero com ela." Tem razão, temos o livre arbítrio e podemos fazer o que quisermos com nossa vida mas, este discurso egoísta, mostra total ignorância no assunto, pois ela não prejudica só sua vida. O dependente de drogas, geralmente, envolve a família, a sociedade e torna-se envolvido com a criminalidade, pois quando este fica sem condições financeiras para adquiri-la, a consegue com o traficante, através do sistema de comissão nas vendas; sem contar pequenos e grandes furtos, assaltos, muitas vezes, seguidos de mortes, etc. E quando não tem dinheiro para pagar o traficante, é perseguido e morto. Chegam a matar familiares para obter algo que possam vender e sustentar seu vício. E com isso, traficantes se fortalecem, matando vidas de maneira direta ou indireta, desagregando famílias e desequilibrando a sociedade. Muitos acreditam também, que o usuário não deve ser punido. Mas é o usuário que fortalece o traficante e, consequentemente, ambos fortalecem a criminalidade. Se não houvesse usuário, não haveria traficante. O usuário deveria ser encaminhado, obrigatoriamente, a um centro de recuperação, antes de tornar-se violento, perigoso a sociedade. E os que já estão cometendo delitos também.
Os usuários de drogas viram zumbis vivos onde marcam hora para usar (4:20), só pensam naquilo o tempo todo e muitos só conseguem executar alguma atividade após o uso dela. Isso não é esperteza. Usar algo que nos escraviza não pode ser algo inteligente. Muitos chamam a maconha de "a planta da paz". Qual a durabilidade dessa sensação de paz? Se trouxesse paz, muitos não ficariam nervosos sem seu uso. Pensemos nisso! Não deixemos nos enganar. Esperto é quem NÃO usa drogas. Este não precisa correr de polícia, de traficante, enfim, não se compromete com a lei dos homens e nem com a de Deus.



Rudymara