sábado, 21 de outubro de 2017

COMO ACABAR COM O BULLYING?



Um estudante de 14 anos atirou no fim da manhã desta sexta-feira (20/10/2017) dentro do Colégio Goyases, escola particular de ensino infantil e fundamental, em Goiânia. De acordo com o Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, dois estudantes morreram e outros quatro ficaram feridos na unidade. "O adolescente agiu motivado por um bullying que ele sofria de outro adolescente..."
Mas, o que é BULLYING?
Bullying é um termo em inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma.
O preconceito, a intolerância, a agressão física e psicológica sobre alguém é prova que ainda não aprendemos a amar o próximo. É preciso fazer um trabalho educativo "urgente" para que, aos poucos, eliminemos essa agressividade, esse sentimento de alegria ao humilhar o outro. Amar significa respeitar, aceitar, cuidar, ajudar, amparar aqueles que convivem conosco no mundo. Os pais devem ter cuidado com os comentários preconceituosos que fazem perto dos filhos. A educação moral religiosa deles deve começar no lar principalmente através do exemplo dos pais e daqueles que convivem com eles.
Quando nossos filhos vão pela primeira vez na escola devemos conversar com eles explicando que encontrarão coleguinhas de cor de pele, de cabelo, de olhos diferentes, que podem ter defeitos físicos e mentais, enfim, e explicar que são todos filhos de Deus assim como eles são. E que Deus nos faz todos diferentes, mas que devemos tratar todos iguais, sem risos, piadas, humilhações e violência. Que Deus fica muito triste quando deixamos qualquer filho Dele triste. Mais tarde explicar a lei de causa e efeito e, consequentemente, a reencarnação. Só assim entenderão que na próxima encarnação estarão habitando um corpo diferente e este corpo pode ser de cor de pele diferente, pode trazer algum defeito físico, etc.
Devemos, por exemplo, perguntar ao nosso filho: “Você gostaria que seus coleguinhas rissem de você? Que batessem em você?” E aproveitar a resposta dele, que geralmente é "NÃO", para dizer: “Então não devemos fazer ao nosso coleguinha o que não queremos que façam com a gente.”
Mais tarde, quando estiverem maiores, poderemos abordar o precenceito com os homossexuais. Que cada pai e/ou mãe explique "em casa", segundo a visão religiosa de cada um, pedindo o mesmo respeito que pedimos aos negros, índios, obesos, enfim, aos "diferentes" deles.
Aos filhos homossexuais explicar que, o mesmo respeito que eles querem receber da sociedade eles devem ter para com ela. Que eles não façam nada que choque, que seja promíscuo, enfim, que respeitem sua imagem e não desrespeitem a maneira de pensar e agir da sociedade. A orientação também serve aos filhos heterossexuais. Este é o início para eliminarmos o preconceito e a violência. Trabalhemos juntos para prevenir que nosso filho(a) plantem um resgate (carma) difícil, perante a lei divina, no futuro e que nós, pais, respondamos por nossa negligência. 
"AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI" - pediu Jesus. Mas, se nós pais, irmãos, avós, tios, professores ou quem tiver uma ou várias crianças em sua responsabilidade não ensinarmos a elas como devem amar o próximo, estas crescerão sem saber como se comportar de maneira cristã e, consequentemente, continuarão preconceituosas, violentas, insensíveis.
"EDUQUEM AS CRIANÇAS E, ENTÃO NÃO SERÁ NECESSÁRIO PUNIR OS HOMENS." - Pitágoras


(Texto de Rudymara)




terça-feira, 17 de outubro de 2017

DEUS NÃO ERRA DE ENDEREÇO



Ninguém se une numa família por acaso. Ninguém é vítima ou coitadinho. Deus não erra de endereço. Colhemos o que plantamos e nascemos onde temos necessidade de evoluir. Há filhos(as) que dizem amar seus pais, mas na verdade só tem interesse neles. Pois, só exploram, humilham e maltratam. E quando precisam deles são dissimulados a ponto de fazer-lhes um agrado, só para alcançar o almejado. E há pais que fazem todas as vontades do filho(a) dizendo amá-lo, quando na verdade não o ama, apenas é apaixonado. Pois, quem ama educa, diz sim e não na hora certa. O amor não é cego, porque enxerga que, muitas coisas que os filhos(as) querem, serão prejudiciais no futuro. Já a paixão diz sim sempre, não tem coragem de negar nada, de educar, não enxerga o futuro. Então, observemos nossas atitudes, como filho(a), pai ou mãe, pois colheremos no futuro o que estamos plantando no presente. Como disse Emmanuel: “Nem freio que os mantenha na servidão, nem licença que os arremesse ao charco da libertinagem.” E como disse Kardec: Na família, os pais tem deveres para com os filhos e os filhos além de respeito para com os pais, tem deveres com eles, mesmo quando são injustos. E aos pais Santo Agostinho aconselha: “Espíritas, compreenda agora o grande papel da humanidade, compreenda que, quando produzem um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir. Inteirem-se dos seus deveres e ponha todo o seu amor para aproximar de Deus essa alma, esta é a missão que lhes está confiada e cuja recompensa receberão se fielmente a cumprirem. Os seus cuidados e a educação que lhe derem auxiliarão o seu aperfeiçoamento e o seu bem-estar futuro. Lembrem-se de que, a cada pai e a cada mãe, Deus perguntará: Que fizestes do filho confiado à vossa guarda?”
Pensemos nisso!


Rudymara


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ATÉ QUANDO SEREMOS TÚMULOS PINTADOS DE BRANCO?



Jesus disse: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Sois como sepulcros (túmulos) caiados (pintado com cal): por fora parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de cadáveres e de toda podridão! Assim também vós: por fora, pareceis justos diante dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e injustiça...."
Assim são muitos de nós. Até quando seremos “túmulos caiados de branco”? Até quando ficaremos na exterioridade religiosa? Enquanto isso, o que mais importa fica para segundo plano? Por dentro continuaremos “cheios de podridão”? O que mais agrada Deus e Jesus: os comprimentos da saia, do cabelo, da manga da camisa; se fomos batizados; se nos casamos na casa religiosa; se vamos toda semana ao culto de nossa igreja, templo ou casa religiosa ou a moralização de nossos atos? Enquanto isso encontramos cristãos abortando e favoráveis a legalização do aborto e das drogas; fazendo uso de drogas lícitas e ilícitas; vendendo drogas aos nossos jovens, com consequência violenta para a família e sociedade; negligenciando a educação de seus filhos; desrespeitando pai, mãe, professores e outras autoridades; banalizando o sexo; buscando a prosperidade material enganando, trapaceando e lesando o próximo; traindo o cônjuge; maltratando animais, natureza, crianças, esposa, etc.; abusando de crianças e adolescentes; profissionais da saúde maltratando pacientes; políticos agindo vergonhosamente em nome de sua ganância ao invés de agir em prol do povo, etc. Enfim, encontramos “cristãos” por toda parte, mas, onde está Jesus? Nos crucifixos que adornam o peito e a parede de nosso lar? Por que Ele não está em nossas atitudes? Por que ele só é lembrado nos cultos religiosos, no Natal, na Páscoa ou quando estamos com problemas? Fora da casa religiosa podemos esquecer seus ensinamentos e agir contrariando sua vontade? O que estamos aprendendo dentro dos templos religiosos “cristãos”? Onde nossa religião está falhando? Quem estamos enganando, Jesus ou nós mesmos? Allan Kardec disse: “toda religião que não melhorar o homem não atinge sua finalidade.” Pensemos nisso!

(Rudymara)

domingo, 15 de outubro de 2017

DIA DOS PROFESSORES



Neste dia dos professores, deixo aqui meu abraço a cada professor que luta para ensinar quem, muitas vezes, não quer aprender. Luta em prestar contas aos patrões que, muitas vezes, só querem resultado positivo sem apoiá-los. Luta contra lei que passa aluno sem merecer. Luta para motivar alunos desmotivados pela lei. Luta para se defender da violência e agressividade de quem deveria ter gratidão. Luta para ganhar respeito de muitos pais que acham que os professores devem fazer a vontade dos seus filhos, que não dão continuidade de ensino no lar e querem que os professores eduquem além de instruir. Luta para viver com salário da vergonha. Mas que, apesar de tudo isso, graças a Deus, amam o que fazem. Deus os abençoe. 
Precisamos olhar para os professores como nossos aliados e não como inimigos nossos e de nossos filhos. Quando nosso filho chegar reclamando de um professor, busquemos saber se é realmente verdade ou é apenas reclamação de uma criança mimada que não tolera ordem, respeito, que chamem sua atenção. Nunca se coloque contra o professor perto de seu filho. Procuremos saber se estão cumprindo suas obrigações escolares: tarefas, trabalhos, etc. Participemos das reuniões para saber como nossos filhos estão se comportando na sala de aula, na escola. Converse com seu filho quando ele chegar da escola. Oriente antes dele sair de casa. Eduque seu filho para respeitar a escola e seus funcionários. Educação recebemos no lar e instrução na escola. Escola e família precisam dar as mãos. Como disse Emmanuel: "Duas asas conduzirão o espírito humano à presença de Deus: uma chama-se amor, a outra sabedoria." Então, os professores são colaboradores de Deus na Terra para que possamos desenvolver uma das asas que nos ajudarão a alçar voo para nossa evolução. A outra asa só irá desenvolver com a prática dos ensinamentos do Mestre Jesus. Amor sem sabedoria gera fanatismo e sabedoria sem amor gera perversidade. Pensemos nisso!


Rudymara

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

MARIA VISITA JUDAS E DÁ A NOTÍCIA DE SUA NOVA ENCARNAÇÃO




Depois de ter passado muito tempo sobre os quadros sombrios da crucificação no Calvário, Judas, o traidor do Cristo, agora cego no Além, estava solitário e profundamente triste...
Era triste também a paisagem, o céu se mostrava nevoento...
Cansado de remorso e sofrimento, sentou-se e as lágrimas brotaram quentes de seus olhos melancólicos...
Naquele instante, nobre mulher, vinda de planos superiores, envolta em celestes esplendores, que ele quase nem conseguia perceber, chega e afaga a cabeça do infeliz.
Em seguida, num tom de carinho profundo, quase que em oração, ela diz:
- Meu filho, por que choras?
- Por acaso não sabes? - Responde o interpelado, claramente transtornado. Sou um morto-vivo. Matei-me e novamente estou de pé, sem consolo, sem lar, sem amor, sem fé...
- Não ouvistes falar de Judas, o traidor? Fui eu que aniquilei a vida do Senhor...
A princípio, julguei poder fazê-lO Rei, mas apenas Lhe impus sacrifício, martírio, sangue e cruz. E, em flagelo e aflição eis a que minha vida se reduz agora, nobre senhora... Afasta-te de mim, deixa-me padecer neste inferno sem fim... Nada me perguntes, retira-te, pois nada sabes do remorso que me agita. Nunca penetrarás minha infinita dor... O assunto que lastimo é unicamente meu...
No entanto, a dama calma respondeu:
- Meu filho, sei que sofres, sei que lutas. Sei a dor que te causa o remorso que escutas. Venho apenas falar-te que Deus é sempre amor em toda parte... 
E acrescentou serena:
- A bondade do céu jamais condena. Venho como mãe, buscando um filho amado. Sofre com paciência a dor e a prova. Terás, em breve, uma existência nova... Não te sintas sozinho ou desprezado.
Judas interrompeu-a e bradou, rude e irritado:
- Mãe? Não quero ouvir falar de mãe. Depois de me enforcar num galho de figueira, para acordar na dor, sem poder fugir à verdadeira vida, fui procurar consolo nos braços de minha pobre mãe, que teve medo de meus sofrimentos e expulsou-me depressa. Por favor, não me fales de mães, nem me fales de amor. Sou apenas um ser solitário e sofredor...
- Ainda assim - disse a dama docemente - por mais que me recuses, não me altero. Eu te amo, meu filho, e quero te ver feliz. Terás, filho, o coração banhado pelas águas do esquecimento numa nova existência de esperança. Eu te levarei e te conduzirei ao regaço de outra mãe. Pensa nisso e descansa.
E Judas, naquele instante, como quem esquece a própria dor ou como quem se desgarra de pesadelo atroz, perguntou:
- Quem és, que me falas assim, sabendo-me traidor? És divina mulher, irradiando amor ou anjo celestial envolto em luz?
No entanto, ela a olhá-lo frente a frente, respondeu simplesmente:
- Meu filho, eu sou Maria, sou a mãe de Jesus.

Maria Dolores
Psicografia de Chico Xavier


E quem teria sido Judas, nessa existência?
R: Admite-se que foi Joana D’Arc (1412-1431) que, à semelhança de Jesus, foi traída, humilhada e morta. Só não foi crucificada. Morreu numa fogueira


Disse Judas no livro Crônicas de Além Túmulo para Humberto de Campos pela psicografia de Chico Xavier: "(...) já fui absolvido pela minha consciência, no tribunal dos suplícios redentores. Quanto ao Divino Mestre, infinita é a sua misericórdia e não só para comigo, porque, se recebi trinta moedas vendendo-O aos algozes, há muitos séculos Ele está sendo criminosamente vendido no mundo, a grosso e a retalho, por todos os preços, em todos os padrões do ouro amoedado . . .”




JESUS CONSOLA JUDAS NO UMBRAL





O texto Evangélico relata que Jesus apareceu materializado a Maria Madalena, após o terceiro dia de sua morte. 
O diálogo estabelecido entre Ele e Madalena neste acontecimento, está narrado em forma de poema pelo Espírito Maria Dolores, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, sob o título Amor e Perdão do livro Coração e Vida, o final desse diálogo apresentado a seguir, revela o imenso amor de Jesus, que após a sua morte, vai ao encontro de Judas, que se enforcou, ao constatar que o Mestre fora crucificado por culpa de sua insensata ambição política. 

E Madalena fora ao túmulo querido
Entre pedras de extremo desconforto...
Levava flores para o Mestre morto,
Tinha o peito magoado e enternecido.

O Sol reaparecia, resplandecente,
A névoa da manhã fundia-se no ar,
Na dourada invasão das flamas do Nascente,
Maria estava ali, unicamente,
A fim de estar a sós, recolher-se e chorar.

A desfazer-se em pranto, ela argüía:
- “Por que, por que Senhor?
Tanta saudade e tanta dor?!...
Toda a felicidade que eu sentia
Jaz aqui sepultada...
Transformou-se-me a vida em sombra e nada
No ermo deste pouso derradeiro...”

Nisso, ela viu alguém... Seria um jardineiro?
Um zelador daquele campo santo?
Mas tomada de espanto,
Viu-se à frente do Mestre Nazareno,
O excelso benfeitor ressuscitado,
A envolver-lhe de paz o coração cansado...
Ela gritou: “Senhor!”
Ele disse: “Maria!”

Ela era a expressão da perfeita alegria,
Ele, o perfeito amor.
Madalena ajoelhou-se e quis beijar-lhe os pés...
- “Maria, por quem és” – explicou-se
“Não me toques, porquanto
não te esperava aqui neste recanto,
e ainda não fui ao Pai revestir-me de luz...”
Maria, surpreendida,
indagou em seguida:
- “Senhor, onde estiveste?
Em que jardim celeste
Encontraste o descanso necessário,

Que vem de Deus, nos dons da paz completa?
Perdoa-me, Senhor, a pergunta indiscreta,
Dói-me, porém, pensar na angústia do Calvário,
Revolto-me, padeço, mas não venço
A mágoa de lembrar-te o sacrifício imenso”

Mas Jesus respondeu:
- Não Maria, não fui ainda ao alto. Nem me elevei sequer um palmo a luz do firmamento. Quem ama não consegue achar o céu de um salto. Ao invés de subir aos altos esplendores, desci, mas desci muito aos reinos inferiores. Despertando no túmulo escutei os gritos de aflição de alguém que muito amei, e que muito amo ainda. Embora visse além a luz sempre mais linda. Sentia nesse alguém um amado companheiro, em crises de tristeza e de loucura. Fui à sombra abismal para a grande procura. E ao reencontra-lo, amargurado e louco, a ponto de não mais me conhecer. Demorei-me a afaga-lo, e pouco a pouco, consegui que ele enfim, pudesse adormecer.
- Senhor? - Interrogou Madalena. - Quem é o amigo que te fez descer antes de procurar a Luz do Pai?
Mas Jesus replicou em voz clara e serena:
- Maria, um amigo não esquece a dor de outro amigo que cai. Antes de me altear a celeste alegria, ao sol do mesmo amor a Deus em que te enlevas. Vali-me após a cruz, das grandes horas mudas, e desci para as trevas, a fim de aliviar a imensa dor de Judas.



Maria Dolores - Chico Xavier

Essa revelação, via mediúnica, esclarecendo onde esteve o Cristo nos três dias após de sua morte, fato não registrado no Novo Testamento, demonstra sobretudo, a extensão da infinita misericórdia de Jesus, para todos os sofredores.








quarta-feira, 11 de outubro de 2017

CARIDADE COMEÇA NO LAR




Disse André Luiz: "Honre a caridade em sua própria casa, ajudando, em primeiro lugar, aos seus próprios familiares, através do rigoroso desempenho de suas obrigações, para que você esteja realmente habilitado a servir ao Mundo e à Humanidade, hoje e sempre."
Não adianta fazer sopa na casa religiosa se não lavamos um copo para ajudar no serviço da nossa casa. Não adianta ser gentil com os irmãos de fé se somos grosseiros e mal educados no trato com nossos familiares. Não adianta arrecadarmos alimentos aos necessitados se não pensamos nas necessidades dos nossos parentes. Não adianta caminhar quilômetros para visitar um templo religioso se não visitamos nossos pais. Não adianta dizer que amamos Maria mãe de Jesus se não honramos, respeitamos e, às vezes, exploramos nossa mãe. Não adianta idealizar igualdade na divisão de renda se brigamos na partilha de bens da família. Pensemos nisso!


Rudymara



terça-feira, 10 de outubro de 2017

POR QUE NÃO ESCUTAMOS JESUS?


"Amai vossos inimigos", "faça ao teu próximo o que gostaria que teu próximo lhe faça," "retribua o mal com o bem", "ore por aqueles que te persegue", "fé sem obras é morta", "misericórdia é o que eu quero, e não sacrifício", “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus, mas sim o que faz o vontade de meu Pai....", "perdoe sempre"... 
Enfim, enquanto fazemos nossos pedidos aos "santos", eles também fazem os deles para nós e, muitas vezes, não lhes damos ouvidos. Perguntemos: "Como estamos tratando nossos familiares, nossos colegas de escola ou trabalho? Nós perdoamos ou revidamos as ofensas? Nós queremos igualdade social mas, será que estamos dividindo, pelo menos, nosso pão? Nós queremos honestidade dos políticos mas, estamos sendo honestos em nossas atitudes? Nós respeitamos os mais velhos, os animais, as crianças, o próximo homo, hetero, negro, índio, branco, etc.? Nós estamos respeitando nosso corpo físico?" E quando eles atendem nossos pedidos, como retribuímos? Caminhando quilômetros, carregando cruzes, velas, subindo ladeiras de joelhos, etc.? Questionemos: "será que "o santo" não ficaria mais contente se fizéssemos algo por alguém para retribuir o que "eles" fizeram por nós ou que mudássemos nosso modo de vida?" Jesus quando curava dizia: "vá e não peques mais", ou seja, vá e não erre novamente, mude seu modo de vida para melhor. O sacrifício que Maria, Deus, Jesus e os benfeitores espirituais querem de nós é o da alma e não a do corpo físico. O que também não devemos esquecer é que, tem muita gente esperando um "MILAGRE NOSSO" na vida delas. Sejamos o milagre na vida de alguém. Enquanto esperamos um milagre "prodigioso", outros esperam o milagre de uma palavra de conforto, um alimento que mate sua fome e de sua família, um remédio para aliviar a dor, um emprego, ser tratado com respeito, etc. 
Pensemos nisso!


Rudymara



domingo, 8 de outubro de 2017

CRIANÇA É UM ESPÍRITO VELHO NUM CORPO NOVO




POR QUE O ESPÍRITO NECESSITA PASSAR PELO ESTADO DA INFÂNCIA? Porque durante esse período, é mais fácil assimilar a educação que recebe, de seus pais ou daquele que está com a responsabilidade de educá-la, de auxiliá-la no adiantamento. As crianças são seres que Deus manda para novas existências. Nós não conhecemos o que a inocência das crianças esconde. Para que os Espíritos não possam mostrar excessiva severidade, eles recebem todo o aspecto da inocência. Essa inocência, muitas vezes, não constitui o que realmente eram antes. É a imagem do que deveriam ser, e não o que são. As más inclinações são cobertas com o esquecimento do passado. O amor dos pais se enfraqueceria diante do caráter áspero e intratável do Espírito encarnado. Pois não sabemos se o Espírito que recebemos com todo amor, possa ter sido um assassino, um amigo, um inimigo, um viciado, um sexolatra, etc. Na adolescência surge o caráter real e individual, por isso mudam tanto de comportamento. Devemos educar nossos filhos desde o berço, e começar a conversar com eles desde os 4 anos, sem esperar pelos 12, 13 anos. Os frutos plantados na infância serão colhidos na adolescência. Dentro dos lares, possivelmente, nascem crianças cujos Espíritos vêm de mundos onde contraíram hábitos diferentes, trazendo paixões diversas das que nutrimos, inclinações, gostos, inteiramente opostos aos nossos. Por isso, a fase da infância é importante. É nela que poderemos reforçar o que for bom e, reprimir os maus pendores. Esse é o dever que Deus impôs aos pais, missão sagrada de que terão de dar contas. Kardec pergunta aos Espíritos: PODE SE CONSIDERAR COMO MISSÃO A PATERNIDADE? E eles respondem: “É, sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro (...)” (Questão 582 - O Livro dos Espíritos).

Compilação de Rudymara



ONDE ESTÁ JESUS NESSE MOMENTO DE CRISE MORAL?



Estamos vivendo dias de desequilíbrio. Vemos o desperdício de inteligência e tempo para coisas que não acrescentam nada de bom na vida dessas pessoas e de ninguém. Estão querendo fazer o errado parecer certo e o certo parecer errado. Estamos incomodados com tanta coisa errada na política e no esporte, em ver o comando paralelo dominando a Cidade Maravilhosa e outras cidades, jovens se matando e desequilibrando famílias e sociedade com o uso de drogas, desrespeito com professores, pais permissivos aplaudindo desrespeito dos filhos na família e na sociedade, pais que tentam entregar filho para pedófilo na cadeia, mãe que "em nome da arte" deixa filha de 4 anos tocar um homem nu, com os jovens introduzindo objetos no anus com o pretexto de criticar a frieza das pessoas umas com as outras e com a política para questionar poder do Estado e população, aproveitadores divulgam contas falsas para receber doações para vítimas de ataque a creche em Janaúba, vigia foi enterrado na tarde desta sexta-feira (6) em uma cerimônia discreta, sem seus familiares, pois eles ficaram com medo de retaliações. Enfim, são muitas notícias que nos entristecem. Acredito que muitos os citados nessas tristes notícias se dizem cristãos, mas onde está Jesus num momento desse? Está pendurado na parede ou num pingente no pescoço? Ele não deveria estar em nossas atitudes? Ele pediu para retribuirmos o mal com bem e muitos de nós continuamos revidando o mal com o mal. Ele pediu para amarmos o inimigo e continuamos o odiando. Ele pediu para fazermos ao próximo o que queremos que ele nos façam, mas continuamos fazendo ao próximo o que não queremos para nós. Muitos de nós pedimos Justiça, mas somos injustos. Queremos direito mas não exercermos nossos deveres ou respeitamos o direito do outro. Queremos respeito mas não respeitamos e não nos respeitamos. Querem políticos honestos, mas somos desonestos. Daí me lembro do Espírito Philomeno Miranda que disse no livro “Transição Planetária” através da psicografia de Divaldo Franco: “Antes, porém, de chegar o momento da transição do planeta, a violência, a sensualidade, a abjeção (baixeza), os escândalos, a corrupção atingirão níveis dantes jamais pensados, alcançando o fundo do poço, enquanto as enfermidades degenerativas, os transtornos bipolares de conduta, as cardiopatias, os cânceres, os vícios e os desvarios sexuais clamarão por paz, pelo retorno à ética, à moral, ao equilíbrio(...)
“Como em toda batalha, momentos difíceis surgirão exigindo equilíbrio e oração fortalecedores, os lutadores estarão expostos no mundo, incompreendidos, desafiados por serem originais na conduta, por incomodarem os insensatos que, ante a impossibilidade de os igualarem, irão combatê-los, e padecendo diversas ocasiões de profunda e aparente solidão... Nunca, porém, estarão solitários, porque a solidariedade espiritual do Amor estará com eles, vitalizando-os e encorajando-os ao prosseguimento (...)”
Então, tenhamos paciência, mas não fiquemos na inércia, colaboremos com esta transição. O mundo só será melhor quando melhorarmos o mundo que existe dentro de nós. Façamos com que Jesus seja lembrado, não só na Páscoa ou Natal, mas através de nossos atos, todos os dias e em todos os lugares. Ele aguarda que exerçamos seus ensinamentos de amor a nós mesmos e ao próximo. Oremos e, principalmente, vigiemos nossas atitudes.




Texto de Rudymara