domingo, 25 de junho de 2017

NÃO USE DROGA


Seja esperto, não use droga. Quem usa droga é visto, pela lei divina, como colaborador do crime, com a desarmonia familiar e da sociedade, além de ser um suicida indireto. O único que se dá bem, "financeiramente", são os traficantes. Mas esses ganham dinheiro com a desgraça alheia e, também serão responsabilizados, pela lei divina, pelo desequilíbrio familiar, da sociedade e muitas mortes. Será que vale a pena? Compartilhe para que outros leiam e reflitam sobre o assunto. 

Rudymara

NÃO USE DROGA


Todos os dias vemos notícias tristes relacionadas á droga: mortes, execuções, assaltos, roubos, cracolândia, famílias infelizes por ter um ente querido envolvido com drogas, desassossego dos familiares porque muitos roubam para sustentar o vício. Muitos pais colocam os filhos fora de casa porque não aguentam os prejuízos e as ameaças deles. Não é preciso ser muito esperto para observar que droga é nocivo à saúde de quem usa, à saúde emocional da família e sociedade. Então, por que usar? Precisamos aprender com os erros alheios. Quem é esperto, não usa droga. Compartilhe para outros leiam e reflitam sobre o assunto.

Rudymara



PENSE ANTES DE JULGAR




Ontem (24/06/2017), o ator Fabio Assunção foi preso por desacato a um policial. O que vemos nas redes sociais? JULGAMENTO FERRENHO. Mas, como diria Jesus numa situação dessa: "Atire a primeira pedra quem nunca errou." É muita gente de coração duro, que julga o rapaz de maneira dura, como se nunca tivesse errado ou se ninguém de sua família nunca tivesse feito algo que pudesse ser alvo de repreensão. E o que é pior, muitos que estão comentando de forma rígida são CRISTÃOS. Nossas ações mostram o que estamos aprendendo em nossa religião e que tipo de sentimento abrigamos dentro de nós. Claro que o Fábio terá que responder pelos seus atos. Afinal, nós escolhemos o caminho que queremos trilhar e, consequentemente, teremos que enfrentar as pedras do caminho. E, respeitar as leis e quem é autoridade para fazer a lei vigorar é um dever de todos. Mas,isso é problema dele com a lei. 
Então eu pergunto: Onde está o Jesus que dizemos amar nessas horas? Será que basta frequentar templo religioso, colocar crucifixo no pescoço, orar, e fazer cultos externos para agradá-lo? Foi isso que Ele veio nos pedir e ensinar? Claro que não. Está faltando Jesus em nossas ações. Nos coloquemos no lugar das pessoas antes de julgar. Antes de achar que somos melhores que os outros e que estamos acima de todo mal. Como pediu Jesus: "Faça ao teu próximo o que gostaria que teu próximo fizesse para você" ou para um dos seus. Como ensina André Luiz: "Levanta todos aqueles que estiverem caídos em seu redor. Você não sabe onde seus pés tropeçarão." Pensemos nisso, cristãos! 

Rudymara


quinta-feira, 22 de junho de 2017

A BÍBLIA CONDENA O ESPIRITISMO?


Quando alguém diz "a Bíblia condena o Espiritismo" eu pergunto: "Como a Bíblia pode condenar o Espiritismo se ela foi escrita muito antes do Espiritismo surgir?" A Bíblia foi escrita ao longo de 1571 anos (quase 16 séculos), começou por Moisés em 1437 a.C., até João em 98 d.C.. e o Espiritismo surgiu em 1857 e é uma palavra criada por Kardec.
Daí alguém diz "Em Deuteronômio 18 diz: "Nunca exista entre vós quem consulte adivinhos, quem observe sonhos e agouros, quem use de malefícios, sortilégios, encantamentos, ou consultem os que têm o Espírito pitônico e se dão a práticas de adivinhação interrogando os mortos. O Senhor abomina todas essas coisas e destruirá, à vossa entrada, as nações que cometem tais crimes." 
E eu digo:
- Não temos adivinhos no Espiritismo, não interpretamos sonhos e agouros (como fez José, filho de Jacó). Não fazemos o mal, pelo contrário, nosso lema é "fora da caridade não há salvação" e nosso guia e modelo a ser seguido é Jesus. Como dizer que "seguimos Jesus" que nos ensinou a perdoar sempre, amar até o inimigo, retribuir o mal com o bem, etc. e fazermos mal a alguém? Seríamos hipócritas. Não lemos a sorte, não fazemos encantamentos e não consultamos espíritos para que adivinhem nada, se isso fosse possível, os espíritas estariam ricos, pois pediriam o número da Mega Sena. E Jesus evocou 2 mortos no monte Tabor: Moisés e Elias. O rei Saul buscou uma médium para conversar com Samuel que já estava “morto”. Essa passagem está em I Samuel, cap. 28: vv 8 á 15. E Kardec os evocou para fazer perguntas para que tivéssemos informações edificantes sobre o mundo espiritual que complementam os ensinamentos do Cristo. E não acreditamos que Deus abomine nada. Ele instituiu o livre arbítrio. Nos concede aprender com os erros porque sabe de nossas limitações. Sua lei é de plantio e colheita. E essa lei citada não é de Deus, é de Moisés. Ele escreveu leis para conter a ignorância daquele povo da época. As únicas leis que são de Deus e que estão no antigo testamento são os 10 mandamentos. Tanto é verdade que a punição de muitas leis de Moisés é "a morte" e um dos 10 mandamentos diz "não matarás." Se todas as leis fossem de Deus, Ele seria contraditório, não é? Daí eu pergunto "será que essas pessoas que nos recriminam seguem todas as leis de Moisés?" Uma delas diz "Os filhos desobedientes e rebeldes, que não ouçam seus pais e se comprometam no vício, serão apedrejados até a morte" e está em Deuteronômio, 21: 18-21. Quem segue? Espero que ninguém. Por isso os espíritas seguem apenas o novo testamento. Jesus resumiu A LEI (os 5 primeiros livros do antigo testamento onde estão as leis escritas e recebidas por Moisés) e OS PROFETAS (os outros livros do antigo testamento atribuídos aos profetas Isaías, Ezequiel, etc) na seguinte lei: "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos." Por que? Porque ainda é muito difícil segui-las. Para amar Deus precisamos amar tudo que Ele criou e para amar o próximo como a nós mesmos significa fazermos a ele o que queremos que ele nos faça. Então, antes de ficarmos discutindo e decorando leis do antigo testamento, tentemos seguir essas duas. Pensemos nisso! 


Texto de Rudymara



quarta-feira, 21 de junho de 2017

A RAIVA


Reagir no momento de raiva pode gerar consequência triste, difícil e dolorosa no futuro. Nessa ou em outra encarnação. Muitos agridem, ferem, matam, traem, se vingam, desfazem relacionamentos amorosos e familiares, perdem amizades, enfim, prestemos atenção no alerta de Kardec: "Nunca aja por impulso de uma raiva,ela nos leva a fazer coisas das quais iremos realmente nos arrepender.”

Rudymara



domingo, 18 de junho de 2017

JESUS É O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA


CARIDADE


SEMEADURA E COLHEITA


quinta-feira, 15 de junho de 2017

PEQUENAS DOAÇÕES


Não subestime as chamadas "pequenas doações".
o —
O prato frugal que você oferece ao necessitado será provavelmente o recurso de que precisa a fim de liberar-se dos últimos riscos da inanição.
o —
A peça de vestuário que você entregou ao companheiro em penúria terá representado o apoio providencial com que se livrou de moléstia grave.
o —
A reduzida poção de remédio que conseguiu você doar em favor de um doente foi talvez o socorro que o auxiliou a desviar-se do derradeiro corredor em que resvalaria para a morte.
o —
A visita rápida que você levou ao enfermo pode ter sido o estímulo inesperado que o arrancou do desânimo para os primeiros passos, em demanda ao levantamento das próprias forças.
o —
O bilhete ligeiro que você endereçou ao irmão em dificuldade, ofertando-lhe reconforto, possivelmente se transformou na âncora em que haverá retomado o acesso à esperança.
o —
O minuto de tolerância com que você suportou a exigência de uma pessoa, em difícil conversação, haverá sido aquele que a ajudou a descompromissar-se com um encontro desagradável ou com determinado acidente.
o —
Algumas poucas frases num diálogo construtivo serão o veículo pelo qual o seu interlocutor evitará render-se a idéias de suicídio ou delinquência.
o —
Os seus instantes de silêncio caridoso, à frente desse ou daquele agressor, significarão o amparo de que não prescinde, a fim de aceitar a necessidade da própria renovação.
o —
Não menospreze o valor das mini doações.
O seu concurso supostamente insignificante pode ser o ingrediente complementar que esteja faltando em valiosa peça de salvação.

André Luiz



terça-feira, 13 de junho de 2017

TERAPÊUTICA CONTRA O TÓXICO



Divaldo, qual a melhor terapêutica contra os tóxicos?

A do exemplo no lar. A apresentada pela sociedade familiar. A que decorre do Evangelho vivido em casa. Um velho adágio popular afirma com muita sabedoria: "Casa de pais, escola de filhos". O lar não é, apenas, o primeiro santuário, mas, também, o primeiro educandário.
Há excepções, mas estas são o corolário da regra geral.
Se há lares equilibrados onde, ainda assim, os jovens se desarmonizam, imaginemos se eles tivessem encontrado um lar em intranquilidade! Se, diante da medicação salutar, eles permanecem enfermos, tenhamos em mente o seu estado, caso não recebessem a conveniente terapêutica!
No lar, através do exemplo dos pais, se consolidam as disposições positivas dos filhos e se diluem as suas tendências negativas.
A problemática dos tóxicos, de certo modo, é uma decorrência do contexto anárquico da sociedade atual, do desvalor dos valores morais (...)

Extraída do livro "Perguntas & Lições", de Divaldo Franco


Observação de Rudymara: Muitos pais bebem, fumam, ou seja, fazem uso de tóxicos dentro do lar e depois querem aconselhar os filhos para que não usem. A bebida alcoólica é o primeiro passo para o jovem começar o uso de outras drogas. Como disse Chico Xavier: “Nossos filhos são tesouros e ao mesmo tempo, tesouras para cortarem nossas arestas . . .” , ou seja, devemos pensar antes de agir ou falar perto de nossos filhos.