quarta-feira, 23 de julho de 2014

O "QUASE ABORTADO" SALVA VIDA

Foto: <3 O "QUASE ABORTADO" SALVA VIDA <3 

Uma história conta que um médico, no início do exercício de seu trabalho, conheceu uma mulher muito pobre que, no pré-natal, através do ultra som, constatou que a criança nasceria com uma perna mais curta que a outra. Ele, vendo a situação da mãe, pensou em matar a criança porque imaginou que uma criança pobre e com defeito físico nunca teria uma chance na vida. Mas, depois de muito pensar, desistiu. Mais tarde, a criança nasceu e a mãe, por gratidão, disse ao médico que colocaria o nome dele no filho. O tempo passou e este médico casou, teve uma filha que teve uma neta. Esta neta ficou muito doente. Médico nenhum conseguia curá-la. O avô levou a menina até fora do Brasil, mas não conseguiu nada. Um amigo aconselhou que ele levasse para um jovem médico que estava estudando a cura daquela doença. Ele não pensou duas vezes, foi até o tal médico. O local era simples, e a fila era composta de pessoas simples. Ele desanimou, mas já que estava ali, resolveu ficar. Na sua vez, o médico veio até ele, mancando de uma perna. Conversaram muito e o médico confirmou sua pesquisa, mas que não era certeza o êxito. O avô não tinha saída, concordou em fazer o teste. Ao término ambos disseram seus nomes, e a grande surpresa foi que, os nomes eram iguais. O médico manco contou que seu nome era em homenagem ao médico que havia feito o parto de sua mãe. O avô, surpreso e envergonhado, lembrou-se do parto onde pensou em matar aquele médico que estava ali, tentando curar sua neta. O teste foi feito e a menina curou-se. 

Observação: Quem pode saber que missão aquele espírito que está para nascer irá cumprir? Quem pode saber os planos de Deus? Num aborto podemos estar matando um cientista, um benfeitor espiritual da humanidade, o provedor do lar, etc. Então, não se comprometa com a lei divina. Por isso, aborto, nunca!

RUDYMARA
 
Vou resumir uma história contada por Divaldo Franco numa palestra. É a história de um médico que, no início do exercício de seu trabalho, conheceu uma mulher muito pobre que, no pré-natal, através do ultra som, constatou que a criança nasceria com uma perna mais curta que a outra. Ele, vendo a situação da mãe, pensou em matar a criança porque imaginou que uma criança pobre e com defeito físico nunca teria uma chance na vida. Mas, depois de muito pensar, desistiu. Mais tarde, a criança nasceu e a mãe, por gratidão, disse ao médico que colocaria o nome dele no filho. O tempo passou e este médico casou, teve uma filha que teve uma neta. Esta neta ficou muito doente. Médico nenhum conseguia curá-la. O avô levou a menina até fora do Brasil, mas não conseguiu nada. Um amigo aconselhou que ele levasse para um jovem médico que estava estudando a cura daquela doença. Ele não pensou duas vezes, foi até o tal médico. O local era simples, e a fila era composta de pessoas simples. Ele desanimou, mas já que estava ali, resolveu ficar. Na sua vez, o médico veio até ele, mancando de uma perna. Conversaram muito e o médico confirmou sua pesquisa, mas que não era certeza o êxito. O avô não tinha saída, concordou em fazer o teste. Ao término ambos disseram seus nomes, e a grande surpresa foi que, os nomes eram iguais. O médico manco contou que seu nome era em homenagem ao médico que havia feito o parto de sua mãe. O avô, surpreso e envergonhado, lembrou-se do parto onde pensou em matar aquele médico que estava ali, tentando curar sua neta. O teste foi feito e a menina curou-se.
Observação: Quem pode saber que missão aquele espírito que está para nascer irá cumprir? Quem pode saber os planos de Deus? Num aborto podemos estar matando um cientista, um benfeitor espiritual da humanidade, o provedor do lar, etc. Então, não se comprometa com a lei divina. Por isso, aborto, nunca!
 
 
RUDYMARA
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário