terça-feira, 17 de junho de 2014

JAPONESES DÃO UMA GOLEADA

Foto: (Y) JAPONESES DÃO UMA GOLEADA (Y)

 Os japoneses que foram à Arena Pernambuco para assistir à partida de estreia do Japão na Copa do Mundo contra a Costa do Marfim fizeram questão de deixar as arquibancadas do estádio livre de lixo após a partida..... 

Vejamos o que Kenji Taniguchi, Professor e Advogado da UNITAU, conta sobre este páis:
"Contarei a você, caro leitor, um pouco de minha história e fatos que vivenciei naquele país. Em minha breve passagem pelo país que me acolheu como 'dekassegui', trabalhador brasileiro operário, presenciei as diferenças culturais, sobretudo na responsabilidade social (...)

* Todos os dias, um sinal tocava e a fábrica parava por exatos 15 minutos. Era o intervalo da limpeza. Interessante ver o diretor e o gerente-geral pegando vassouras e recolhendo lixo. Neste momento não havia hierarquia e todos realizávamos o mesmo serviço de limpeza. A troca de turno também deveria ser impecável e a entrega do local de trabalho sempre era em perfeita limpeza como respeito ao próximo que viria a nos substituir.
* Morávamos, eu e meus irmãos, em um condomínio de poucos apartamentos e quando víamos uma vassoura e pá em frente à porta já sabíamos que era a vez de limparmos a área de depósito do lixo coletivo e área comum. Depois da limpeza, pegávamos a mesma pá e vassoura e colocávamos na frente da porta de outro apartamento. E assim todos mantinham o condomínio limpo e organizado.
* Fiquei impressionado também que todos os carros possuem um lixo e caixas de lenços de papel para limpeza. Também havia comercial do governo alertando que a cidade não é lixo pois foi constatada na época que alguns japoneses começavam a jogar seu lixo na rua, um absurdo!
* Sabe aquela festa na qual os convidados vão embora antes do término só para não ajudar na limpeza? Então, lá as pessoas terminam a festa no horário estipulado e todos ajudam na limpeza e organização de forma natural.
* O Direito reflete a cultura de seu povo. Assim, não é de se estranhar a falta de limpeza na política brasileira. Se quer uma sociedade melhor, comece a mudar o indivíduo fazendo cada um a sua parte.
* Levar um saco para guardar o seu próprio lixo e o que encontrar em sua volta é normal para a sociedade japonesa e reflete o respeito ao próximo. O que era para ser considerado normal virou manchete no Brasil."

OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA : Se ensinarmos os alunos a fazerem isso nas escolas, muitos pais irão denunciar no Conselho Tutelar. Eles não ensinam e não deixam ensinar, daí dá nisso que vemos no nosso país: papéis nas ruas, pichações, depredação de patrimônio público, etc etc etc. E o que é pior, o maior "mau exemplo" para estas crianças são os próprios pais ou familiares. Nossa cultura não é de "pensar no próximo", é de "sacanear" o próximo. Os brasileiros deixam a sujeira achando que são "espertos". Seu pensamento é mais ou menos assim: "Se dane quem vier depois, o bobão que limpe." Os japoneses deram uma goleada de cidadania, civilização e educação. Neste jogo, nós ainda estamos perdendo.
 
Os japoneses que foram à Arena Pernambuco (14/06/2014) para assistir à partida de estreia do Japão na Copa do Mundo contra a Costa do Marfim fizeram questão de deixar as arquibancadas do estádio livre de lixo após a partida.

 
 Vejamos o que Kenji Taniguchi, Professor da UNITAU, conta sobre quando foi trabalhar neste país:

"Contarei a você, um pouco de minha história e fatos que vivenciei naquele país:
 
* Todos os dias, um sinal tocava e a fábrica parava por exatos 15 minutos. Era o intervalo da limpeza. Interessante ver o diretor e o gerente-geral pegando vassouras e recolhendo lixo. Neste momento não havia hierarquia e todos realizávamos o mesmo serviço de limpeza. A troca de turno também deveria ser impecável e a entrega do local de trabalho sempre era em perfeita limpeza como respeito ao próximo que viria a nos substituir.

* Morávamos, eu e meus irmãos, em um condomínio de poucos apartamentos e quando víamos uma vassoura e pá em frente à porta já sabíamos que era a vez de limparmos a área de depósito do lixo coletivo e área comum. Depois da limpeza, pegávamos a mesma pá e vassoura e colocávamos na frente da porta de outro apartamento. E assim todos mantinham o condomínio limpo e organizado.

* Fiquei impressionado também que todos os carros possuem um lixo e caixas de lenços de papel para limpeza. Também havia comercial do governo alertando que a cidade não é lixo pois foi constatada na época que alguns japoneses começavam a jogar seu lixo na rua, um absurdo!

* Sabe aquela festa na qual os convidados vão embora antes do término só para não ajudar na limpeza? Então, lá as pessoas terminam a festa no horário estipulado e todos ajudam na limpeza e organização de forma natural.
 
(...) Levar um saco para guardar o seu próprio lixo e o que encontrar em sua volta é normal para a sociedade japonesa e reflete o respeito ao próximo. O que era para ser considerado normal virou manchete no Brasil."

 
OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Se ensinarmos os alunos a fazerem isso nas escolas, muitos pais irão denunciar no Conselho Tutelar. Eles não ensinam e não deixam ensinar, daí dá nisso que vemos no nosso país: papéis nas ruas, pichações, depredação de patrimônio público, etc etc etc. E o que é pior, o maior "mau exemplo" para estas crianças são os próprios pais ou familiares. Nossa cultura não é de "pensar no próximo", é de "sacanear" o próximo. Os brasileiros deixam a sujeira achando que são "espertos". Seu pensamento é mais ou menos assim: "Se dane quem vier depois, o bobão que limpe." Os japoneses deram uma goleada de cidadania, civilização e educação. Neste jogo, nós ainda estamos perdendo.
 
 
 
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário