domingo, 20 de janeiro de 2013

SALMOS NA VISÃO ESPÍRITA


O "Livro dos Salmos", tem 150 capítulos. São poemas que louvam a Deus. A maioria (mais ou menos 73) é atribuída ao rei Davi; 12 são de Asafe; os filhos de Corá são autores de 9; Rei Salomão escreveu pelo menos 2; Etã e Moisés escreveram pelo menos 1; os outros 51 são de autoria anônima. Os salmos eram cantados nos ofícios litúrgicos do templo de Jerusalém; posteriormente eles também foram incorporados às liturgias das igrejas cristãs tradicionais, a católica e a protestante. Alguns desses poemas são realmente belos, sendo muito conhecido, por exemplo, o de numero 23 ("O Senhor é meu pastor").
O Rei Saul era médium e, como tal, tinha condições de receber espíritos. “Todas as vezes que o espírito maligno apoderava-se dele, Davi tomava a lira e tocava” (Samuel, 16:23). Porque a música seda os nervos quando melódica; os espíritos inferiores não gostam de prece, e uma bela melodia é prece de amor.
Vejamos este exemplo:
- Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?
Esta frase de Jesus intriga muita gente até hoje. Leva muita gente pensar que Jesus sentiu medo da dor e da morte. Mas, na verdade, Jesus citou em aramaico trecho do salmo 22:1 escrito pelo rei (médium) Davi. A maioria dos salmos eram letras das músicas que ele compunha. Na época de Jesus o povo lembrava dessas músicas que tinham em torno de 900 anos e onde havia premonições na letra. E o salmo 22, por exemplo, é uma visão profética de Davi do evento da crucificação. No versículo 16, por exemplo, diz: “….traspassaram-me as mãos e os pés.”. E no versículo 18 “Repartem entre si os meus vestidos, e lançam sortes sobre a minha túnica”, confirmado nos quatro evangelhos, Mateus 27:35; Marcos 15:24; Lucas 23:34 e João 19:24 onde houve a disputa da túnica pelos soldados romanos, confirmando a visão profética do médium Davi.
Entretanto, a doutrina espírita não adota nas práticas doutrinárias, o uso de roupas, gestos, mantras, objetos e outros aparatos cerimoniais, que outras religiões assumiram.
Assim, o Espiritismo não recomenda nem evita os Salmos: a escolha do gênero de filmes, poemas ou de músicas - sacra ou moderna - é questão pessoal de cada um, fazendo parte, portanto do livre-arbítrio de cada individualidade, a qual o Espiritismo evidentemente respeita por ser, o livre-arbítrio, um dos seus princípios básicos.
Acreditamos que há estudo mais importante a ser observado e, principalmente, seguido.



Compilação de Rudymara
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário