sábado, 15 de março de 2014

CLASSIFICAÇÃO DA OBSESSÃO

Foto: <3 CLASSIFICAÇÃO DA OBSESSÃO <3

Allan Kardec classifica a obsessão em: obsessão simples, fascinação e subjugação. 

Na OBSESSÃO SIMPLES o indivíduo é perturbado por idéias infelizes.  É a mais comum, freqüente, e que poucas pessoas estão livres. Nesse tipo de obsessão o obsidiado permanece no pleno uso de suas faculdades mentais, conservando o discernimento, ele sabe que está errado nos absurdos em que incorre. Reconhece que sua conduta é irregular, não raro ridícula, como lavar repetidamente as mãos ou verificar à exaustão se trancou a porta ou desligou um aparelho elétrico. 
Ex.: se alguém disser que 2+2=4 ela dirá: “Será que o resultado não é 5?” E debruçará nas contas para tirar sua dúvida; 

Na FASCINAÇÃO o indivíduo se vê convencido das idéias infelizes. É mais envolvente. Ela é desenvolvida por hábeis obsessores, estes não se limitam ao bombardeio de idéias infelizes. Atuando com sutileza e inteligência, tratam de convencer o obsidiado das fantasias que lhe sugerem. É como se o obsessor colocasse no obsidiado óculos com lentes desajustadas, confundindo-lhe a visão.  Ex.: Neste caso ele já se convenceu que 2+2=5. ; 

Na SUBJUGAÇÃO pouco importa o que pensa. O obsessor controla seus movimentos, como uma marionete.Faz com que o obsidiado paralise a vontade e comece a agir segundo a vontade do obsessor. Impondo-lhe muitas vezes gemer, gritar, agoniar, desmaiar e desvarios absolutamente incontroláveis. Boa parcela dos alienados mentais que estagiam nos hospitais psiquiátricos são vítimas da subjugação. No Evangelho (Lucas, 9) tem uma passagem de um pai que roga a Jesus dizendo: “Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um Espírito se apodera dele e, de repente, grita, e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado.” Jesus afasta o espírito, e o menino livra-se do problema. A subjugação pode ser moral ou corporal. Na subjugação moral, o obsidiado é colocado muitas vezes em situações comprometedoras. Na subjugação corporal, o espírito atua sobre os órgãos materiais e provoca movimentos involuntários, podendo levar aos mais ridículos atos.
 
Allan Kardec classifica a obsessão em: obsessão simples, fascinação e subjugação.
 
 
Na OBSESSÃO SIMPLES o indivíduo é perturbado por idéias infelizes. É a mais comum, freqüente, e que poucas pessoas estão livres. Nesse tipo de obsessão o obsidiado permanece no pleno uso de suas faculdades mentais, conservando o discernimento, ele sabe que está errado nos absurdos em que incorre. Reconhece que sua conduta é irregular, não raro ridícula, como lavar repetidamente as mãos ou verificar à exaustão se trancou a porta ou desligou um aparelho elétrico.
Ex.: se alguém disser que 2+2=4 ela dirá: “Será que o resultado não é 5?” E debruçará nas contas para tirar sua dúvida;
Na FASCINAÇÃO o indivíduo se vê convencido das idéias infelizes. É mais envolvente. Ela é desenvolvida por hábeis obsessores, estes não se limitam ao bombardeio de idéias infelizes. Atuando com sutileza e inteligência, tratam de convencer o obsidiado das fantasias que lhe sugerem. É como se o obsessor colocasse no obsidiado óculos com lentes desajustadas, confundindo-lhe a visão. Ex.: Neste caso ele já se convenceu que 2+2=5. ;
Na SUBJUGAÇÃO pouco importa o que pensa. O obsessor controla seus movimentos, como uma marionete.Faz com que o obsidiado paralise a vontade e comece a agir segundo a vontade do obsessor. Impondo-lhe muitas vezes gemer, gritar, agoniar, desmaiar e desvarios absolutamente incontroláveis. Boa parcela dos alienados mentais que estagiam nos hospitais psiquiátricos são vítimas da subjugação. No Evangelho (Lucas, 9) tem uma passagem de um pai que roga a Jesus dizendo: “Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um Espírito se apodera dele e, de repente, grita, e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado.” Jesus afasta o espírito, e o menino livra-se do problema. A subjugação pode ser moral ou corporal. Na subjugação moral, o obsidiado é colocado muitas vezes em situações comprometedoras. Na subjugação corporal, o espírito atua sobre os órgãos materiais e provoca movimentos involuntários, podendo levar aos mais ridículos atos.
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário