segunda-feira, 28 de março de 2011

FIM DO MUNDO E ARREBATAMENTO NA VISÃO ESPÍRITA

PREVISÕES DO FIM DO MUNDO QUE NÃO ACONTECERAM:
- William Miller noticiou o apocalipse em 1840 que não aconteceu. Os seguidores de Miller fundaram a Igreja Adventista do sétimo dia.
- Joseph Smith, fundador da religião mórmon, nos Estados Unidos, afirmou a líderes da igreja em 1835 que Deus havia dito a ele que Jesus retornaria em 56 anos, o que não ocorreu.
- O fundador da Coalizão Cristã, Pat Robertson, se levantou em 1980 para anunciar o fim. Suas palavras asseguravam que o dia do julgamento seria em 1982. Mais uma previsão falsa.
- Em 1910 o cometa Halley também deixou o mundo em pânico, mas dessa vez a ideia do fim não veio de um religioso e sim de cientistas, que não aconteceu.
- Dez anos depois surge Harold Camping com a sua primeira previsão, seus estudos iniciais apontavam que o arrebatamento aconteceria em 6 de setembro de 1994 de acordo com os mesmos cálculos que o fez sugerir uma nova data, 21 de maio de 2011, sendo assim o único “profeta do apocalipse” que falhou duas vezes.
- Outra importante profecia que datava o fim da humanidade foi a de Nostradamos, seus escritos de mais de 400 anos, afirmavam que “no ano 1999, sétimo mês / Do céu virá o grande rei do terror”.
- Muitos ficaram preocupados com a virada do milênio, e mais uma vez nada aconteceu.
- No século XXI já surgiram muitas outras previsões que fracassaram, mas a mais falada é a que prevê o fim da humanidade para dezembro de 2012, baseada no calendário Maia.
O QUE SIGNIFICA O FIM DO MUNDO PARA OS ESPÍRITAS?
O fim do mundo para os espíritas significa o fim do mundo de provas e expiações (um mundo de maldade e ignorância) e o começo do mundo de regeneração (um mundo de pessoas regeneradas), ou seja, nosso planeta está evoluindo. A separação do joio e do trigo já está acontecendo após a nossa desencarnação, ou seja, após o arrebatamento de nosso espírito do corpo físico para o plano espiritual. Lá serão avaliados nossos atos. Todos aqueles que não vacilam em praticar o mal, com o propósito de atender suas ambições, seus vícios, conscientes dos prejuízos que causam, sem nenhum constrangimento, sem nenhum respeito pela vida humana, “NÃO HERDARÃO A TERRA” como advertiu Jesus, ou seja, não reencarnarão mais na Terra. Os Espíritos que persistirem no mal (OS JOIOS) encarnarão em planetas inferiores, ONDE HAVERÁ CHORO E RANGER DE DENTES, porque lá enfrentarão limitações e dores que funcionarão como lições que ajudarão na eliminação das falhas morais que ainda fazem parte da sua personalidade, até que aprendam a serem mansos e pacíficos, para que suas atitudes sejam dignas de filhos de Deus. Não seremos “escolhidos” por “igrejas”, “templos” ou “casas religiosas”, mas sim pela conduta moral cristã. No contexto bíblico, o termo “igreja” pode designar reunião de pessoas, sem estar necessariamente associado a uma edificação ou a uma doutrina específica. Se os "escolhidos" fossem somente de uma determinada religião, Deus seria injusto com aqueles que fazem e fizeram Sua vontade e que são de outras religiões como: Madre Tereza, Chico Xavier, Gandhi, Buda, Martin Luther King e outros. Afinal, muito dizem "Senhor, Senhor...", mas não fazem Sua vontade.
Quando a samaritana perguntou para Jesus em que templo ela deveria adorar Deus, Ele respondeu: "Mulher, crede-me. Virá a hora em que não será nem neste monte, nem em Jerusalém que adorareis o Pai. Deus é espírito e em espírito e verdade é que o devem adorar os que o adoram." Jesus deixa claro que chegaria o dia que nós entenderíamos que Deus está em todos os templos e fora deles também. Que Deus não é propriedade de nenhuma religião. Ele está onde precisam Dele. E para adorá-lo, não precisamos de templos de pedras, basta o nosso templo, que é o nosso espírito, buscando o que é precioso para ele, sem mentiras. Eis alguns exemplos dos que são “joios”: O seqüestrador que comercializa a vida de suas vítimas; O traficante de drogas que prospera arruinando vidas; O assaltante que não vacila em "apagar" os que se atrevem a esboçar a mais leve reação às suas exigências; O explorador de jovens, que lhes impõe o lamentável comércio do sexo; O profissional que assassina friamente seres indefesos no ventre materno, no tenebroso delito do aborto; O terrorista que mata indiscriminadamente, com o propósito de conseguir seus objetivos em bases de intimidação da sociedade; Os comportamentos delituosos do denominado “colarinho branco”, etc. Por outro lado, o progresso do nosso planeta está acontecendo com a ajuda dos Bons (OS TRIGOS). Estes continuarão a reencarnar na Terra, e consequentemente, herdarão um mundo melhor.

Manoel Philomeno de Miranda, conta no livro Transição Planetária, através da mediunidade de Divaldo Franco que: “Antes, porém, de chegar esse momento, a violência, a sensualidade, a abjeção, os escândalos, a corrupção atingirão níveis dantes jamais pensados, alcançando o fundo do poço, enquanto as enfermidades degenerativas, os transtornos bipolares de conduta, as cardiopatias, os cânceres, os vícios e os desvarios sexuais clamarão por paz, pelo retorno à ética, à moral, ao equilíbrio(...)

“Como em toda batalha, momentos difíceis surgirão exigindo equilíbrio e oração fortalecedora, os lutadores (OS TRIGOS) estarão expostos no mundo, incompreendidos, desafiados por serem originais na conduta, por incomodarem os insensatos que, ante a impossibilidade de os igualarem, irão combatê-los, e padecendo diversas ocasiões de profunda e aparente solidão...Nunca, porém, estarão solitários, porque a solidariedade espiritual do Amor estará com eles, vitalizando-os e encorajando-os ao prosseguimento.”

Então, cabe a nós escolhermos ser TRIGO ou JOIO.



 
Compilação de Rudymara

 






3 comentários:

  1. friends espíritas olha esse link e tire suas próprias conclusões
    http://www.baptistlink.com/creationists/espiritismo.htm
    espero que não fiquem com raiva :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Friend anônimo, na Bíblia também diz: “Digo-te que dali não sairás enquanto não tiveres pago até o último ceitil!” O que você entende por isso? Significa que nosso pecado não foi retirado na cruz, “a cada um segundo suas obras” ou que “o plantio é livre, mas a colheita obrigatória.”. Se Jesus tivesse tirado o pecado do mundo, o mundo não teria tantos pecadores. Os que pecam a vida toda, até o dia de sua morte, quando pagará pelos erros? No inferno sofrendo eternamente pelos pecados? Deus nos ensina a importância do perdão, através dos ensinamentos de Jesus, mas não consegue nos perdoar? A reencarnação é a oportunidade que Deus nos dá para pagarmos, nos livrarmos, nos salvar dos débitos até o último ceitil. Jesus veio para “mostrar o caminho da salvação” e não para nos salvar de mãos beijadas. Precisamos nos esforçar para modificar nossas atitudes, “...aprendestes a trabalhar pela própria renovação, despojando-vos do homem velho que se corrompe ao sabor das paixões enganadoras, para serdes o homem novo...”, como disse o apóstolo Paulo. E quando tivermos pago o último débito (ceitil), seremos espíritos puros, desfrutaremos do Reino de Deus, que não é um lugar bonito no céu, é a nossa consciência tranqüila, é a paz que traremos dentro de nós. Afinal, Jesus disse que “o Reino de Deus está dentro de nós....” Afinal, “Ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo.”
      Outra passagem: Um outro exemplo está em Mateus 17:10: "Os discípulos de Jesus lhe perguntaram: “o que querem dizer os doutores da Lei, quando falam que Elias (que já estava morto) deve vir?
      Jesus lhes explicou: "Certamente Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas. Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram.”
      Comenta Mateus em 17:13 "Então os discípulos compreenderam que Jesus falara a respeito de João Batista.”
      Nesta passagem, Jesus deixa claro que Elias, que muitos esperavam a volta, já veio, ou seja, já REENCARNOU, e já haviam feito com ele o que quiseram. Então, os discípulos entenderam que João Batista era a reencarnação de Elias. Portanto, Elias morreu 2 vezes, quando era Elias e quando reencarnou como João Batista.
      "Se nossa esperança em Cristo se limita a essa vida somos os mais infelizes de todos os homens." - Coríntios 15:19
      E quanto a falar com os mortos, nós não o consultamos para coisas vãs. Não buscamos saber coisas corriqueiras, banais. Kardec o fez para estudo científico. A proibição ocorreu para cessar abusos, como ainda há nos dias de hoje. Jesus evocou mortos, lembra? Elias e Moisés, o dono na lei que proibiu a evocação de mortos. Vocês acusam sem saber a história no geral.
      Anônimo, vocês tem o direito de não acreditar na reencarnação, mas nos dê o direito de acreditar. Tudo que pregamos é para o BEM, ajuda, alivia, consola muita gente. A Ciência está comprovando a reencarnação através de vários métodos, uma delas é a regressão da memória. Esta comprovação está sendo estudado por pessoas que não são espíritas. Por que o medo de acreditar em uma coisa tão boa, tão justa e que explica tantas mazelas humanas. Que pode prevenir erros nesta vida para não precisar “pagar” no futuro? Pedimos que vocês vivam com sua religião, acreditando no que ela prega e vivendo o que o Cristo pediu. E nos deixe fazer o mesmo, ok? As pessoas dizem a nós espíritas: “Vocês transgridem a Bíblia.” Mas, perguntamos: “Quem nos apontam falhas, seguem todos os pedidos da Bíblia?” “Sabemos que não.” “Então, por que perdem tempo em ver “um cisco no olho do vizinho quando tem uma trave no próprio olho?” Pense nisso! Um forte abraço e que a paz de Jesus esteja com todos nós.

      Excluir
    2. Não há problema em pensar assim, se você pratica o bem, será recompensado. Mas eu prefiro me basear na minha própria teoria (pessoal), a partir de alguns princípios do raciocínio da religião espírita de Alan Kardec, não me prendo aos dogmas da bíblia, pois não cosidero a bíblia um livro de Deus. Cosidero um livro antigo, com o básico de um ensinamento (para falar com pessoas incultas), o livro tem muitos anos de existência e foi escrito pelos apóstolos de Jesus, tem muitos equívocos até pela forma que eles pensavam naquela época.

      Excluir