sexta-feira, 23 de agosto de 2013

É CERTO FREQUENTAR DUAS RELIGIÕES?

Foto: É CERTO FREQUENTAR DUAS RELIGIÕES?

Disse Marcel Mariano: “Pessoas que frequentam o Espiritismo e outra religião não definiram o que querem. A pessoa está no momento de indefinição, de crise existencial, de ausência de maturidade de consciência para saber onde quer saber. Escolha uma religião e empreste seus melhores recursos lá. Procure conhecer a filosofia, o trabalho, as atividades que são próprias de lá. Dê seu melhor contributo, eleve o nível da instituição pelo cumprimento de deveres. Agora, servir a dois senhores pode nos levar a conflito de consciência, de idéias, de pensamento. Senão poderemos querer introduzir coisas de outra religião na Casa Espírita. Daí, quando vemos, estamos nos indispondo com os amigos da Casa. Então, precisamos ter definições na vida: “O que eu quero?” “Qual é a minha meta?”  Precisamos saber que terreno estamos pisando, conhecer este terreno. Para não estar incidindo no que Jesus nos recomendou: “Ninguém serve a dois senhores”, vai se amar a um, mas não vai gostar de outro.   O Espiritismo reclama nossa fidelidade até o fim, se preciso for.”
 
Disse Marcel Mariano: “Pessoas que frequentam o Espiritismo e outra religião não definiram o que querem. A pessoa está no momento de indefinição, de crise existencial, de ausência de maturidade de consciência para saber onde quer saber. É melhor que esta pessoa escolha uma religião e empreste seus melhores recursos lá. Que procure conhecer a filosofia, o trabalho, as atividades que são próprias de lá. Que dê seu melhor contributo, eleve o nível da instituição pelo cumprimento de deveres. Agora, "servir a dois senhores" pode nos levar a conflito de consciência, de ideias, de pensamento. Senão poderemos querer introduzir coisas de outra religião na Casa Espírita. Daí, quando vemos, estamos nos indispondo com os amigos da Casa. Então, precisamos ter definições na vida: “O que eu quero?” “Qual é a minha meta?” Precisamos saber que terreno estamos pisando, conhecer este terreno. Para não estar incidindo no que Jesus nos recomendou: “Ninguém serve a dois senhores, vai se amar a um, mas não vai gostar de outro." O Espiritismo reclama nossa fidelidade até o fim, se preciso for.”

Observação: Ele quis dizer que a pessoa deve escolher uma religião e se dedicar a ela, senão vai ficar confusa, vai querer impor a prática de uma na outra, etc. Então, é preferível a pessoa ser uma boa católica, uma boa protestante, uma boa umbandista, etc., do que uma espírita "meia boca".  O Espiritismo tem muito trabalho e pouco trabalhador. Precisamos de trabalhadores assíduos, fieis à Causa, para que o serne do Espiritismo continue a ser divulgado e ajudando muita gente na parte material e principalmente espiritual.
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário