terça-feira, 12 de janeiro de 2016

VIVER OU ACUMULAR?

 
 
Um jovem advogado foi indicado para inventariar os pertences de um senhor recém falecido. Segundo o relatório do seguro social, o idoso não tinha herdeiros ou parentes vivos. Suas posses eram muito simples. O apartamento alugado, um carro velho, móveis baratos e roupas puídas. “Como alguém passa toda a vida e termina só com isso?”, pensou o advogado. Anotou todos os dados e ia deixando a residência quando notou um porta-retratos sobre um criado mudo.
Na foto estava o velho morto. Ainda era jovem, sorridente, ao fundo um mar muito verde e uma praia repleta de coqueiros. À caneta escrito bem de leve no canto superior da imagem lia-se “sul da Tailândia”. Surpreso, o advogado abriu a gaveta do criado e encontrou um álbum repleto de fotografias. Lá estava o senhor, em diversos momentos da vida, em fotos em todo canto do mundo.
Em um tango na Argentina, na frente do Muro de Berlim, em um tuk tuk no Vietnã, sobre um camelo com as pirâmides ao fundo, tomando vinho em frente ao Coliseu, entre muitas outras. Na última página do álbum um mapa, quase todos os países do planeta marcados com um asterisco vermelho, indicando por onde o velho tinha passado. Escrito à mão no meio do Oceano Pacífico uma pequena poesia:
Não construí nada que me possam roubar.
Não há nada que eu possa perder.
Nada que eu possa trocar,
Nada que se possa vender.
Eu que decidi viajar,
Eu que escolhi conhecer,
Nada tenho a deixar
Porque aprendi a viver...
 


OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Podemos ter coisas para viver, mas não devemos viver para ter coisas. Quantas coisas compramos que não usamos, que não são úteis, que esquecemos que compramos, que passam do prazo de validade e vão para o lixo, que compramos porque a novela ou a mídia disse que é moda. Quanto disperdício de tempo, dinheiro e da falta de uso da razão. Claro que podemos passear, viajar, comprar coisas, mas com sensatez e sem esquecer que ENCARNAMOS PARA EVOLUIR e, para evoluir precisamos seguir os ensinamentos de Jesus: amando a própria vida cuidando da saúde do corpo físico e do próximo: abolindo pensamentos e atitudes negativas, vícios, amando, respeitando, ajudando de forma espiritual e material os que convivem conosco neste mundo. Como disse Kardec: "seremos cobrados não só pelo que fizemos, mas também pelo que deixamos de fazer." Então, façamos a viagem mais importante de nossa vida que é "para dentro de nós." E acumulemos valores morais e espirituais, são estes que levaremos após a desencarnação. Como disse Jesus: "Não acumuleis para vós outros tesouros na Terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde ladrões arrombam para roubar. Mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde a traça nem a ferrugem podem destruir, e onde os ladrões não arrombam e roubam." Lembremos também a parábola do rico insensato que acumulou e acumulou e quando planejava acumular mais, Deus disse a ele: "Insensato, esta noite tua alma será chamada; e o que tanto juntaste para quem será?" Pensemos nisso!
 
 
 
 
 
 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário