segunda-feira, 28 de março de 2016

QUAL ROUPA DEVEMOS IR AO TEMPLO RELIGIOSO?

 
 
Com aquela que não seja decotada, transparente, curta, sensual. Serve também aos homens que querem usar bermudas e camisetas cavadas. Por que? Porque, como nós espíritas sabemos, nos templos religiosos tem espíritos encarnados e desencarnados que ainda estão em desequilíbrio sexual. Eles não olham apenas para admirar, achar bonito. Sua mente viaja na pornografia. E quando estão numa casa religiosa, eles receberão ajuda, mas com a mente em desequilíbrio, pouco ou nada os espíritos amigos conseguirão ajudar. Eles não estarão equilibrados e não prestarão atenção no ensinamento. Suas vibrações atrapalharão o trabalho da Casa religiosa. Então, pedimos coerência e bom senso nos baseando no aprendizado que recebemos. Como explica José Raul Teixeira numa palestra: "(...) que fluido recebe as mulheres que tiram fotos nuas para as revistas? Depois que aparece canceres de útero, seios podem ser os dardos dos fluidos que chegaram das mentes doentias (...)" Então, tomemos cuidado.

Rudymara

 

 

sábado, 26 de março de 2016

DEVEMOS MALHAR O JUDAS OU A ALMA?

 
 
Para nós espíritas, Judas errou como muitos outros apóstolos erraram. Sua fraqueza era a ganância, assim como cada um de nós tem a nossa ou as nossas. Como disse Bezerra de Menezes, “Jesus escolheu doze homens, não doze anjos”. Lembremos que Judas, ao ver o Cristo preso e condenado, arrependeu-se, tanto que foi desesperado procurar os sacerdotes e fariseus para devolver as 30 moedas e depois se enforcar. Mais tarde, se redimiu perante a lei de ação e reação reencarnando como Joanna D’arc que, segundo a semelhança de Jesus, foi traída, vendida, humilhada e morta. Só não foi crucificada. MAS morreu na fogueira. E o próprio Jesus perdoou a todos que O humilharam e pediram sua morte dizendo: “Pai, perdoa, eles não sabem o que fazem.” E, se Judas O entregou, a pena de morte foi decretada pelo povo que poderia absolvê-lo quando foi dado a eles escolher entre Jesus e Barrabás. Quem o matou realmente foi a sentença final dada pelo povo. Então, a história de violência deve acabar. Chega de enforcamento, guilhotina, cadeira elétrica, injeção letal, apedrejamento, duelo, campo de concentração, fogueira, paredão, bullying, linchamento que se assemelha a malhação, etc. Afinal, o ensinamento do Cristo é baseado no perdão. Ele veio pedir para modificarmos nossas atitudes usando Seus ensinamentos. Então, aprendamos a perdoar, a respeitar, a tolerar, a amar tudo o que é criação de Deus. Este é o maior respeito que podemos demonstrar a Ele. Deixar de comer carne na sexta-feira em respeito à Jesus e desrespeitar Seus ensinamentos de perdão e paz no sábado é incoerente. Malhar qualquer boneco que tenha a figura de Judas, de político ou qualquer outra figura é contrariar Seus ensinamentos. É incentivar a violência. É dar mau exemplo aos nossos jovens e crianças. Ato assim nos faz entender que Sua vinda, ainda hoje, foi pouco compreendida. Jesus deixou sua paz em ensinamento, somos nós que faremos esta paz acontecer através das nossas atitudes. A paz é conquista individual. Ao invés de malharmos o Judas, malhemos a alma, retirando dela os erros e falhas morais. Comecemos perdoando Judas. "Se perdoardes aos homens as faltas que cometerem contra vós, também vosso Pai celestial vos perdoará os pecados; mas, se não perdoardes aos homens quando vos tenham ofendido, vosso Pai celestial também não vos perdoará os pecados." (Mateus, VI - 14-15). Afinal, só deve atirar pedras no pecador aquele que não tem pecado algum (João 8:7)
 

Rudymara
 
 

 

sexta-feira, 25 de março de 2016

QUEM CONDENOU JESUS À MORTE?

 
Quem o condenou foi O POVO. Pois, quando perguntaram quem deveria ser absolvido, Jesus ou Barrabás, o povo gritou:
- Barrabás.
Jesus foi, injustamente, condenado a morte. Por contrariar sacerdotes e fariseus estes planejaram sua morte. Infelizmente, até hoje convivemos com esta intolerância. O que será que aconteceria se Jesus estivesse entre nós? Hoje não há crucificação, mas há linchamento, emboscada, sequestro, etc. Pensemos juntos: Sua vinda mudou totalmente o comportamento dos cristãos? Não. Por que? Porque só ficamos na admiração de sua vinda; só decorando seus ensinamentos; só tentando agradá-Lo indo à templo religioso, deixando de comer carne na data que lembramos sua morte ou fazendo ceia farta regada a bebida alcoólica para lembrar seu nascimento, enfim, só repetindo seus gestos ou fazendo a vontade imposta pela religião sem fazer o que realmente Ele espera de nós que é a vivencia de seus ensinamentos. Agimos de maneira superficial e com hipocrisia.
Jesus não viveu para nos salvar, mas para mostrar o caminho da salvação. Se Ele tivesse levado o pecado do mundo, o mundo não estaria tão desequilibrado. Ele está esperando que salvemos o mundo com nossa conduta em relação ao próximo, ao planeta e a nós mesmos usando os ensinamentos Dele.
Como estamos tratando o próximo da família consanguínea? Da escola? Do trabalho? Da via pública? E o planeta: os animais, as florestas, o ar? Jesus desceu da cruz e continuou a ensinar. Façamos valer o sacrifício Dele por nós.
Pensemos nisso.

Rudymara
 
 

 

LAVA PÉS É UMA LIÇÃO DE HUMILDADE

 
 Jesus chama Pedro e João para que eles fossem a Jerusalém para prepararem tudo para celebrarem a páscoa judaica. Pedro e João preparam tudo e naquela noite Jesus vai com os outros. Depois que se assentaram, Jesus se ajoelha, como um servo e lava os pés dos discípulos. Depois que Ele lavou os pés de todos, senta-se à mesa de novo e diz:
- Vós me chamais de Mestre e Senhor e dizeis bem, pois eu o sou. E se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, assim deveis fazer uns aos outros (...).
Será que Jesus pediu que saíssemos lavando os pés das pessoas? Não. Como disse Richard Simonetti: "O ensino é magistral: Para Deus o maior será sempre aquele que mais disposto estiver a servir, o que mais se dedique ao Bem." O maior espírito que esteve na Terra, que é Jesus, mostrou que "não veio para ser servido, mas para servir." Façamos o mesmo, buscando fazer aos outros o que queremos que os outros nos façam. Que todos saiam de sua vida de comodidade e vá ao encontro dos necessitados. Todos nós devemos transformar a fé em obras, principalmente os que pregam o Evangelho. Como está no O Evangelho segundo o Espiritismo, “todos os homens são iguais na balança Divina só as virtudes nos distinguem aos olhos de Deus.” O Maior se fez humilde para nos servir de lição. Pensemos nisso!


Rudymara






 
 
 
 


 

quinta-feira, 24 de março de 2016

PEDRO NEGOU JESUS 3 VEZES...... E NÓS?

 
 
Jesus, na última ceia previu que Pedro O negaria 3 vezes. E foi o que aconteceu.
Hoje, muitos “Pedros” negam Jesus muito mais vezes que Pedro negou, quando pedem, por exemplo, a pena de morte, a liberação do aborto, das drogas, quando somos corruptos, etc. Pois, negar é saber as atitudes que Ele espera que tenhamos conosco e com o próximo e fazermos o contrário. Muitas pessoas costumam dizer ama-Lo, mas tem vergonha de ter atitude cristã diante de quem não tem. A falta de coragem ocorre por medo das perseguições, das discussões, e até mesmo do simples sarcasmo, aos quais sempre se expõe aquele que não teme confessar abertamente suas idéias e atitudes. Pedro negou Jesus 3 vezes, mas depois se arrependeu e O seguiu. E nós, quando faremos o mesmo? Por que temos facilidade em seguir o que ensina as novelas, a moda, as propagandas, enfim, o que a mídia nos impõe e temos dificuldade em seguir Seus pedidos? Certa vez Ele disse a um homem: "SEGUE-ME..." e este respondeu que não podia porque tinha que enterrar seu pai. E nós? Qual a desculpa que damos a Ele nos dias de hoje? "Não posso, vou curtir a vida." "Não posso, vou ao churrasco." "Não posso, vou viajar." "Não posso, vou ao show de meu cantor predileto." "Não posso, não posso, não posso..." Fica a pergunta: "Até quando O negaremos."

Rudymara
 
 

 

ÚLTIMA CEIA DE JESUS COM OS APÓSTOLOS

 
Na última quinta-feira que Jesus esteve na Terra, ele se reuniu com os apóstolos para se despedir. Jesus, tomou de um pão, deu graças e repartiu entre eles, dizendo ser (simbolicamente) o "seu corpo", oferecido por eles. Da mesma maneira Jesus fez com o cálice de vinho, dizendo ser (simbolicamente) seu sangue, que também seria derramado para beneficia-los. E pediu: "façam isto em memória de mim." Para nós espíritas, Jesus pediu para que os apóstolos (do cristianismo) compartilhassem uns com os outros o pão de cada dia, seja o pão de trigo, seja o pão do espírito, o pão da dor ou da alegria. Enfim, que doassem e se doassem, derramando sangue, se preciso fosse, assim como ele fez por nós. Ele fez este pedido porque sabia que sua doutrina não seria de fácil aceitação, por isso concluiu: "se me perseguiram, também perseguirão a vós outros." Foi o que aconteceu com seus apóstolos após sua desencarnação. E pediu que fizessem isto em memória dele, ou seja, para que seus ensinamentos não ficassem esquecidos.
Então, façamos o que Ele nos pediu. Que seu pedido não fique em apenas relembrar a última ceia como um simples ritual, mas que coloquemos em prática seus ensinamentos de amor ao próximo e a nós mesmos.

Rudymara
 
 
 

 

O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA QUE JESUS ESTEVE NA TERRA?

 
 
JESUS FOI TESTADO DUAS VEZES:


1) - Jesus foi testado por um fariseu que Lhe perguntou se era correto pagar tributo (impostos) a César. Jesus pediu uma moeda e perguntou quem estava cunhado (impresso) naquela moeda. O fariseu respondeu que era a face de César. Então Jesus disse:
- Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.
O que é de César? Os bens materiais. O que é de Deus? Os bens espirituais.
Se Jesus dissesse “sim” (que era correto pagar tributo a César) o povo que odiava pagar impostos ficaria contra Jesus. E se Jesus dissesse “não” seria preso por trair Roma.
Até hoje continuamos sendo obrigados a pagar altos impostos e dando maior valor aos bens materiais que os espirituais.
2) - Depois Jesus é testado novamente pelo fariseu que lhe perguntou qual dos mandamentos de Moisés era o mais importante? Jesus respondeu:
- Amarás teu Deus de todo coração, de toda tua alma, de todo teu ensinamento, e todas as tuas forças, e depois, amarás o próximo como a ti mesmo.
O fariseu surpreende-se com a resposta e concorda. Mais tarde Jesus adverte o povo a ter cuidado com pessoas que fazem o bem para serem visto. E observa um homem rico colocando sua oferta e uma viúva pobre pondo duas moedas. Disse Ele:
- A viúva deu mais que todos, pois deu tudo que possuía.
Até hoje não aprendemos a doar como a viúva que doou o que lhe faria falta. Continuamos doando pouco e, geralmente, o resto do que nos sobra ou do que não nos serve mais.
 

Rudymara


terça-feira, 22 de março de 2016

A ÚLTIMA QUARTA-FEIRA DE JESUS NA TERRA

 
 
Na última quarta-feira, Judas passa o dia com Jesus e os outros apóstolos sem imaginar que Jesus já sabia o que ele havia feito.
Jesus escolheu seus apóstolos e sabia a fraqueza de cada um deles. Assim mesmo deu a oportunidade de segui-Lo. Judas não nasceu para trair. Ninguém nasce para matar, roubar, trair ou transgredir a lei dos homens e a de Deus. Nós apenas fazemos mau uso do livre arbítrio. Então, neste caso, o maior traído foi ele próprio que se deixou levar por seu ponto fraco: A GANÂNCIA. Quando estamos prestes a errar, o mundo espiritual tenta nos orientar pelos condutos da intuição, além de buscarem nos fazer relembrar as lições que temos armazenadas e que recebemos durante a vida através da religião, do lar, da escola. Mas, quando permitimos que entre em nosso coração as tentações e enganos do mundo, acaba frustrando o empenho do mundo espiritual. Resta deixar que a pessoa exercite o livre-arbítrio e “quebre a cara”, como se costuma dizer, aprendendo, pela didática severa da dor, que é preciso respeitar as leis divinas. O QUE MUDOU DAQUELA ÉPOCA PARA CÁ? Quase nada. Ainda hoje, encontramos muitos Judas vendendo o Cristo, ou seja, seus ensinamentos, por muito mais que 30 moedas de ouro. E traindo seus ensinamentos quando, por exemplo, o marido trai sua esposa e vice-versa; quando os filhos traem a confiança dos pais; quando pessoas traem colegas de trabalho para ganhar posição e cargo; quando familiares traem na partilha da herança, quando traem a confiança das pessoas para roubar, assaltar, dar golpes, etc. Judas traiu, foi devolver as moedas e se matou por remorso e arrependimento. E muitos que traem hoje, embora digam ser cristãos, nem arrependimento sentem.
Judas, para ressarcir seu débito, reencarnou como Joana D’Arc (1412-1431) que, à semelhança de Jesus, foi traída, vendida, humilhada e morta. Só não foi crucificada. Morreu numa fogueira.

Rudymara
 
 

 

A ÚLTIMA SEGUNDA-FEIRA DE JESUS NA TERRA

 
 
Na última segunda-feira que Jesus esteve encarnado na Terra, Ele expulsou os vendilhões do templo. Este relato está em Lucas XIX, 45-46; Marcos XI, 15-18; Mateus, XXI, 12-17 e João II, 14-19. O de Lucas diz: "TENDO ENTRADO NO TEMPLO, COMEÇOU A EXPULSAR OS QUE ALI VENDIAM, DIZENDO-LHES: ESTÁ ESCRITO: A MINHA CASA SERÁ DE ORAÇÃO, MAS VÓS A FIZESTES UM COVIL DE LADRÕES."
Infelizmente, até hoje encontramos os vendilhões dos templos. Se Judas vendeu Jesus por 30 moedas, hoje encontramos outros que o vende por muito mais. Este dinheiro sustenta o luxo dos templos e os intermediários que vivem desse dinheiro que Jesus condenava. Afinal, Ele próprio pregava nas ruas, não pedia nada pelas curas e andava a pé. O barco e o burro que usava eram todos emprestados. Ao expulsar os vendilhões do templo, Jesus condenou a venda das coisas santas, sob qualquer forma que seja. Deus não vende a sua bênção, nem o seu perdão, nem a entrada no Reino dos Céus. O homem não tem, portanto, o direito de cobrar nada disso. Mas, "tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém."

Rudymara
 
 
 

 

segunda-feira, 21 de março de 2016

AS MORADAS DA CASA DO PAI


 
 
JESUS DISSE: “HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI.”

A Casa de Deus, nosso Pai, é o Universo.
O Universo é: o Sol, a Lua, as Estrelas e uma porção de planetas como nosso planeta Terra. Existe vários mundos neste Universo:
VÁRIOS MUNDOS PRIMITIVO: onde acontece as primeiras encarnações, nas cavernas.
VÁRIOS MUNDOS DE PROVAS E EXPIAÇÕES: nossa morada, onde ainda moram muitos espíritos ignorantes e maldosos.
VÁRIOS MUNDOS DE REGENERAÇÃO: serve de transição entre o mundo de provas e expiação e o mundo felizes
VÁRIOS MUNDOS FELIZES: onde todos se esforçam para seguir as leis divinas.
VÁRIOS MUNDOS CELESTES OU DIVINOS: onde o bem reina, é morada de espíritos puros.

PROVAS E EXPIAÇÕES é o mundo que vivemos.
Mas, o que é prova e o que é expiação?
Prova é o resgate "escolhido" por espíritos conscientes de seus débitos e necessidades. 
Expiação é o resgate "imposto" pela Justiça Divina a espíritos teimosos.
Como identificar o espírito em expiação?
Geralmente é o indivíduo que não aceita seus sofrimentos, as situações difíceis que enfrenta, rebelando-se. Atravessa a existência a reclamar do peso de sua cruz.
Que resgate é esse?
Toda vez que desrespeitamos a lei de Deus, nós ficamos em débito com ela. Se não pagarmos esta dívida nesta encarnação, pagaremos na outra.  A lei divina nos diz que O PLANTIO É LIVRE, MAS A COLHEITA OBRIGATÓRIA, ou seja, nós somos livres para fazer o que quisermos, mas teremos que colher frutos desse plantio. Colherá coisas boas quem plantou coisas boas ou colherá coisas ruins quem plantou coisas ruins.
Por isso há mundos onde as pessoas são bondosas e há mundos em que falta o amor nas atitudes das pessoas.
Nestes planetas que falta o amor, as pessoas brigam, usam drogas e são malvadas. Elas maltratam seu corpo físico, outras pessoas, os animais e a Natureza.
No planeta onde as pessoas amam o próximo, os animais, as plantas, as pessoas são mais alegres, gostam de ajudar as outras e não são violentas.
Mas, Deus não distribui estas pessoas nestes mundos. Ele nos criou todos iguais, mas em datas diferentes. Daí, as que seguem seus ensinamentos, ou seja, que se tornam mais mansas e pacíficas, mais bondosas, mais amorosas, que só fazem ao próximo o que querem que o próximo lhe faça, conquistam mundos melhores.
Jesus veio ao nosso planeta para nos ensinar a sermos bondosos, assim a gente evolui e nosso planeta também.
Nosso planeta Terra já foi um mundo inferior. As pessoas viviam em cavernas, sem nenhuma condição de higiene, respeito, educação. Mas, como tudo evolui, o nosso planeta evoluiu também. E o nosso mundo vai evoluindo cada vez mais à medida que vamos sendo bons. E como acontece esta evolução? Através das encarnações. É igual escola. Nosso planeta é uma escola, nós somos os alunos. A cada nascimento nosso temos a oportunidade de aprendemos coisas, tanto boas quanto más. Porque no mundo de provas e expiações temos espíritos de todos os graus de evolução morando nele. Uns vem para ensinar, dar exemplo, como: Chico Xavier, Madre Teresa, Jesus, etc. A maioria está aqui para aprender. Se optarmos pela má, ou seja, se ficarmos no fundão da classe e não estudarmos a lição da escola, sofreremos as consequências, ou seja, poderemos repetir de ano, retornaremos para rever as mesmas lições, perdemos a oportunidade de evoluir. Se optarmos pela boa, evoluiremos mais rapidamente (passaremos de ano) e não passaremos por sofrimentos.
Nós ouvimos muito que estamos no fim dos tempos. É verdade. Estamos no fim dos tempos ruins e começo do mundo bom. Vai demorar um pouco e dependerá de nós. Assim como saímos das cavernas, sairemos do mundo de provas e expiações para o mundo de regeneração.
Observemos os ensinamentos do Cristo para ajudar que isso aconteça o mais breve possível.
 
Rudymara
 
 
 
 
 

O QUE É LEI DE CAUSA E EFEITO OU AÇÃO E REAÇÃO?




 

É a lei divina que nos diz que O PLANTIO É LIVRE, MAS A COLHEITA OBRIGATÓRIA, ou seja, nós somos livres para fazer o que quisermos, mas teremos que colher frutos desse plantio. Colherá coisas boas quem plantou coisas boas ou colherá coisas ruins quem plantou coisas ruins.
Vamos explicar melhor: A mãe diz para o filho: “não ponha a mão no fogão porque está quente.”  Quando o filho é teimoso, ele põe a mão e queima. Daí sente dor e chora. Da próxima vez não vai nem passar perto do fogão. Assim é a lei de Deus. Ela nos mostra as coisas que “devemos e não devemos” fazer. Quando somos teimosos, e não a obedecemos, sofremos a dor da reparação e nos esforçaremos para não errar mais, porque não iremos querer sofrer aquilo novamente. Esta reparação poderá acontecer nesta ou em outra encarnação. Então, se usarmos mal nossas mãos roubando, matando, maltratando, etc.,  noutra vida poderemos nascer de novo (reencarnarmos) sem as mãos ou com algum defeito nela; se usarmos nossa inteligência para fazer maldade, poderemos nascer de novo (reencarnarmos) com problemas mentais, etc.  Por isso, vemos pessoas: aleijadas, cegas, com várias doenças, etc. Estas, geralmente, estão assim, porque foram teimosas, ou seja, desobedeceram a lei divina, nesta ou em outra vida. Se a causa de nossas aflições não foram abusos desta vida, a causa está em outra vida.
POR ISSO JESUS DISSE: “Se vossa mão ou vosso pé é objeto de escândalo, cortai-os e lançai-os longe de vós; melhor será para vós que entreis na vida tendo um só pé ou uma só mão, do que terdes dois e serdes lançados no fogo eterno. – se vosso olho vos é objeto de escândalo (tropeço), arrancai-o e lançai-o longe de vós; melhor para vós será que entreis na vida tendo um só olho, do que terdes dois e serdes precipitados no fogo do inferno.”
Lógico que Jesus não pediu que cortássemos uma parte de nosso corpo que foi causa de algum mal. Ele quis dizer que  é melhor “entrar na vida”, ou seja, é melhor “nascer de novo”, ou "reencarnar" com limitações físicas e mentais que inibem nossas tendências inferiores e impõem o resgate de nossos débitos, a fim de que nos liberte do “inferno” da consciência culpada.
Isso não significa que cairemos numa fogueira onde as almas ardem em sofrimento eterno, sem jamais se consumirem.
As chamas do inferno simbolizam os tormentos da “consciência culpada”, na Terra ou no além, é ela que nos levarão ao “fogo do inferno.”
Essas labaredas ardentes chamam-se angústia, insatisfação, tristeza, desequilíbrio, enfermidade, que nos perturbam em face de nossos desvios do passado ou do presente.
Por isso, para que nossa colheita seja boa, sem dor, sem sofrimento, comecemos a observar o que o Cristo nos pede.


Rudymara



domingo, 20 de março de 2016

QUEM É FIÉL NO POUCO, TAMBÉM É FIÉL NO MUITO, E QUEM É DESONESTO NO POUCO, TAMBÉM É DESONESTO NO MUITO” - Lucas 16:10

 
Muitas pessoas pedem honestidade aos políticos. Mas, elas mesmas não são honestas onde trabalham, estudam ou vivem. Na primeira oportunidade levam objetos que não lhe pertencem. Compram e não pagam. Emprestam e não devolvem. Se recebem troco a mais, não devolvem. Se lhe oferecem propina, aceitam. Saqueiam caminhão que tomba ou se acidenta. Há quem rouba indiretamente, quando compra produtos roubados. Daí, alguém diz:
- MAS OS POLÍTICOS ROUBAM MILHÕES OU BILHÕES.
Mas, se não podemos confiar um objeto de pouco valor a esta pessoa, será que podemos confiar algo de grande valor? Quem não é fiél no pouco, será fiél no muito? A tentação não é maior? Qual a diferença em roubar milhões e um pote de manteiga? O valor do objeto roubado, mas o delito é o mesmo. Será que, quem rouba um pote de manteiga só não rouba milhões porque não tem acesso? E quando não somos fiél nas mínimas coisas que Jesus nos pede, como seremos nas grandiosas? Repensemos nossas ações, precisamos ser exemplo para nossos filhos. Eles são o futuro do país e consequentemente, os futuros profissionais: políticos, engenheiros, professores, etc. Pensemos nisso!

Rudymara

 
 
 
 
 

 

DOMINGO DE RAMOS

 
O último domingo de Jesus na Terra ficou conhecida como "domingo de ramos." Neste dia ele entrou exaltado e saudado com respeito e alegria. Mas, quatro dias depois, os mesmos que o saudaram o condenaram a morte.
Ainda hoje fazemos isso a Ele. Nós o saudamos, dizemos que o amamos, frequentamos templos cristãos, repetimos a saudação com os raminhos nos cultos que relembram a data, compartilhamos seus ensinamentos pelas redes sociais, mas em seguida, muitos de nós, o traímos quando nossas atitudes e palavras contrariam seus pedidos. Com isso, condenamos à morte seus ensinamentos. Mas, ele acredita em nós, porque nos compreende, sabe que ainda damos mais valor ás coisas materiais do que as espirituais, e assim, continua aguardando há mais de dois mil anos que o sigamos e que exaltemos seus ensinamentos todos os dias e onde estivermos através de nossos atos. Pensemos nisso!

Rudymara




ISMAEL

 
Escreveu Humberto de Campos: "Instantes antes do enforcamento de Tiradentes, a falange de Ismael (Espírito escolhido por Jesus para auxiliar no progresso e desenvolvimento do Brasil) cercaram a alma leal e forte de Tiradentes, inundando-a de santas consolações (...) no momento que seu corpo balança, pendente das traves do cadafalso, no Campo da Lampadosa, Ismael recebia em seus braços carinhosos e fraternais a alma edificada do mártir. Ismael exclamou: “ Irmão querido, resgatas hoje os delitos cruéis que cometestes quando te ocupavas do nefando mister de inquisidor, nos tempos passados (...)"....Precisamos nos unir a ele em prece e boas vibrações. Ele participou de acontecimentos importante da história do Brasil. Esta que lemos acima é uma delas. 
 
 Rudymara
 
 
 
 

sábado, 19 de março de 2016

DIVALDO FALA SOBRE AS MANIFESTAÇÕES NO BRASIL


 
"Se silenciarmos ante ao crime às manifestações da degradação moral, estamos numa atitude de covardia. Já não é mais o momento de fugir-se do mundo para servir a Deus, porquanto Deus está em toda parte. É um momento de nos dirigirmos ao mundo e mostrarmos a outra face do amor de Deus. Então, acompanhamos este momento histórico com excelentes perspectivas. Lamentando, naturalmente, a invasão de pessoas inescrupulosas e de indivíduos oportunistas para poder macular o ideal de tanta grandeza que tem sido este período de protestos. Mas é perfeitamente compreensível, ainda estamos num planeta de provas e angústias, e para que se instaure e se instale o bem no coração de todos sempre permanecerá, por enquanto, alguma treva, mas que logo será diluida pelo sol da verdade."
Mas, o que Divaldo quis dizer que "É MOMENTO DE NOS DIRIGIRMOS AO MUNDO E MOSTRARMOS A OUTRA FACE DO AMOR DE DEUS"?
Joanna de ângelis responde: "Uma é a face da violência, do orgulho ferido, da vaidade mesquinha, do medo. A outra é a da paz, da confiança no bem, da vitória do amor, da dignidade. Jamais te recuses a apresentar o teu outro lado, a face melhor da tua vida, desarmando o mal e sensibilizando o adversário mediante a onda de amor que lhe dirijas. Age, portanto, com o lado do teu comportamento, auxiliando a instalação do bem na Terra. Jesus jamais revidava mal por mal."Então, tentemos corrigir em nós o que estamos apontando de errado nos políticos: corrupção, desonestidade, ganância, egoísmo. Se participarmos de uma passeata, que ela seja apenas para mostrar nossa insatisfação, nunca nosso ódio. Ela deve ser pacífica. Se queremos retirar um político do cargo, que seja através da lei ou nas urnas. Enfim, sejamos instrumento da paz.
 
Rudymara
 
 
 
 

segunda-feira, 14 de março de 2016

HÁ TRABALHO NO PLANO ESPIRITUAL?

 
Quando alguém desencarna costumamos ouvir:
- Descansou.

Puro engano. Veja o que disse Chico Xavier: "Se esperamos por descanso depois da morte, estamos mal informados. A morte é a vida que se desdobra, plena de trabalho em todos os sentidos… Descansar mesmo o Espírito só descansa quando está no ventre materno!…"Outro engano é acreditar que Deus criou o mundo em 6 dias e no 7º descansou. Jesus acabou com esta alegoria quando disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu também.” (João 5:17)
No plano espiritual também há trabalho. Por exemplo: André Luiz, no livro Nosso Lar, conta que se candidatou ao trabalho. Lá todos os moradores precisam se envolver em algum trabalho útil em prol do próximo, e o mínimo exigido são de 8 horas de trabalho diário, podendo ser excedido em 4 horas diárias. Esse número só pode ser alterado em casos excepcionais que exijam dedicação total dos trabalhadores. Tobias informou André Luiz que na preparação de sucos, tecidos e artefatos em geral, Nosso Lar dá trabalho há mais de 100 mil criaturas, que se regeneram e se iluminam ao mesmo tempo. A colônia possui programas de trabalho numeroso para que todos possam se integrar a ele, independente da profissão que tiveram na Terra. Assim como há a lei do trabalho no Nosso Lar, há também a lei do descanso para que não sejam sobrecarregados mais uns que outros. Há também remuneração. A cada hora de serviço, o trabalhador ganha o chamado BÔNUS HORA, que não é exatamente uma moeda, mas uma ficha de serviço individual com valor aquisitivo. Quem acumula o BÔNUS HORA pode adquirir uma casa ou roupas. Poderá trocar por oportunidades nos lugares consagrados ao entretenimento. Poderá freqüentar escolas nos Ministérios. Os habitantes da colônia recebem provisões de pão e roupa, no que se refere ao necessário; mas os que se esforçam para obter o BÔNUS HORA conseguem certas prerrogativas na comunidade social. O ocioso vestirá, sem dúvida; mas o operário dedicado vestirá o que melhor lhe pareça. A maioria consegue 72 bônus horas por semana, contando as 4 horas extras diárias. Mas nos serviços de grande sacrifício, a remuneração pode ser duplicada, e as vezes, triplicada. O verdadeiro ganho da criatura é de natureza espiritual e o bônus hora modifica-se em valor substancial, segundo a natureza dos serviços. As aquisições fundamentais constituem-se de experiência, educação, enriquecimento de bênçãos divinas, extensão de possibilidades. Os fatores assiduidade e dedicação representam quase tudo.
A propriedade em Nosso Lar é relativa. Cada família espiritual pode conquistar um lar com 30 mil bônus hora. É limitada a somente um lar.
A Ministra Veneranda recebeu a medalha do Mérito do Serviço, por ser a primeira entidade da colônia que havia conseguido, até aquele momento, um milhão de horas de trabalho útil, sem reclamar e sem esmorecer.

Lembremos que, Nosso Lar está localizada sobre a cidade do Rio de Janeiro e é uma das milhares cidades espirituais, como disse Divaldo Franco. Não sabemos para qual delas iremos
 

Compilação de Rudymara
 
 


 

ACORDAMOS MAIS VERDE E AMARELO HOJE

 
 
O povo está aprendendo a reivindicar. Sem briga, sem agressão, sem quebra quebra, enfim, sem violência.
Não está mais tolerando a corrupção que vem se arrastando há muitos governos, seja ela de que partido for.
Há muitos políticos tentando se aproveitar do momento de manifestação para fazer seu nome para a próxima eleição. Mas, na verdade, seu nome já está feito na lama da corrupção. Se infiltram no meio do povo para atirar pedra no telhado alheio quando seu telhado é de vidro. À eles, só resta a nossa oração. Pois, como aprendemos, colherão o que estão plantando perante a lei divina. E, do povo, receberão uma resposta nas urnas.
E nesta luta não tem rico e não tem pobre, tem pessoas que estão cansadas de ser enganadas. O pobre precisa que o rico esteja bem para empregá-lo. O rico precisa preservar seu patrimônio para poder empregar. E, com esta crise, muitas lojas, empresas, estão fechando. Há muito desemprego e desempregados. Nos assustamos com os preços cada vez que vamos ao supermercado. E quem perde com isso? Todos.
Então, unamos força, para que o bem comum, "de verdade", sem interesse partidário ou particular, vença. Mas que vença num movimento de paz. Que cada pai, mãe, avós, professores, evangelizadores, falem às crianças e jovens da necessidade de ser honesto. Pois, serão eles os futuros políticos, empresários, engenheiros, médicos, etc. Não dá mais para carregar o rótulo cristão sem ser cristão nas atitudes. Somos, segundo Humberto de Campos, a PÁTRIA DO EVANGELHO. Pensemos nisso, BRAVA GENTE, BRASILEIRA!
 

Rudymara
 
 
 

 

domingo, 13 de março de 2016

PÁTRIA AMADA, BRASIL

 
 
Dentro do ideal político que almejamos, devemos nos incluir. Senão, nada vai mudar. Muitos pedem honestidade, mas não são honestos. Pedem mudanças, mas não mudam. Pedem direito, mas não dão o direito aos outros. Pedem que os políticos não sejam corruptos, mas não obedecem uma simples lei de trânsito. Pedem "ordem", mas são usuários de drogas, que contribuem com a desordem. Pedem mais segurança, mas estimulam a insegurança quando compram produto de roubo. Há quem vote na beleza do candidato, em quem está na frente das pesquisas, em quem o "cantor, ator, atriz, etc." preferido está apoiando, em quem nos fez algum favor, e em outras coisas banais. Enfim, estamos em fase de aprendizado, mas temos muito que rever, primeiro em nós e depois na nossa política. Senão, continuaremos votando nos mesmos políticos que envergonham nossa PÁTRIA AMADA, BRASIL. A grande crise do Brasil é a de ordem MORAL, tanto da parte dos políticos como do povo brasileiro. O Brasil será o que o brasileiro for. Reforma íntima, já!
 

Rudymara
 
 

 

ORDEM E PROGRESSO

 
 
Busquemos nossos direitos, utilizando nossos devers. Se queremos um país com políticos melhores, sejamos um povo melhor. Só com ORDEM alcançaremos o PROGRESSO.
 
Rudymara
 
 
 
 

MULHER É ASSIM

 
 
Mulher é assim.....o relógio se assusta quando vê que conseguimos fazer mil coisas em tão pouco tempo. Que apenas uma de nós faz papel de muitas e que, muitas vezes, sem diplomas desempenhamos muitas profissões: psicóloga, médica, condutora de van escolar, professora, babá, cozinheira, etc etc etc, e ainda arrumamos tempo para academia, facebook, marido, e muito mais. Enfrentamos as dores mensais e, muitas vezes, a dor do preconceito, da discriminação, do desrespeito, da violência, mas estamos sempre em pé, esperando o próximo desafio. Somos tão dinâmicas, responsáveis, fortes, amorosas, sensíveis, versáteis, que Deus nos confiou mais uma tarefa: A MATERNIDADE. Esta somos nós, mulheres. Parabéns, amigas do Grupo de Estudo Allan Kardec! Um beijo em todas vocês.
 
 
Rudymara

NÃO DEVEMOS ATIRAR PEDRAS EM TELHADOS ALHEIOS PORQUE O NOSSO É DE VIDRO MUITO FRÁGIL

 
 
Quem estuda as obras de André Luiz percebe claramente que os Espíritos orientadores jamais usam adjetivos depreciativos. Não dizem: “Fulano é um cafajeste, um vagabundo, um pervertido, um mau caráter, um criminoso, um monstro.”
Eles enxergam o próximo como um irmão em desvio, um companheiro necessitado de ajuda, um enfermo que precisa de tratamento . . .
Consideram que todo julgamento é assunto para a Justiça Divina.
Só Deus conhece todos os detalhes.
Mesmo quando lidam com obsessores, tratam de socorrê-los sem críticas, situando-os como irmãos em desajustes.
Por isso, Chico Xavier, que viveu esse ideal evangélico de fraternidade autêntica, não pronunciava comentários desairosos.
Se alguém comete maldades, não diz tratar-se de um homem mau.
É apenas alguém menos bom.
Faz sentido!
Somos todos filhos de Deus.
Fomos criados para o Bem.
O mal em nós é apenas um desvio de rota, um equívoco, uma doença que deve ser tratada.
A fórmula para esse visão tem dois componentes básicos: a intransigência (rigoroso) e a indulgência (uso do perdão).
Pode parecer tolice. Afinal, são atitudes antagônicas (opostos).
Mas é simples:
• Devemos ser intransigentes conosco. Vigiar atentamente nossas ações; não perdoar nossos deslizes; criticar nossas faltas, dispondo-nos ao esforço permanente de renovação. É o despertar da consciência.
• Devemos ser indulgentes com os outros. Evitar o julgamento, a crítica e as más palavras; respeitar o próximo, suas opções de vida, sua maneira de ser. É o despertar do coração.
Quando aplicamos essa orientação, ocorre algo muito interessante. Quanto mais intransigentes conosco, mais indulgentes somos com o próximo, exercitando o princípio fundamental: “Não podemos atirar pedras em telhados alheios, porquanto o nosso é de vidro, muito frágil.”
 

Richard Simonetti
 
 

 

domingo, 6 de março de 2016

É DANDO QUE SE RECEBE.... afirmou Francisco de Assis

 
 
Na frase de Francisco de Assis, é dando que se recebe, não registramos nenhuma referência a qualquer coisa material, mas às doações da alma.
É assim que, pelas leis da sintonia, da reciprocidade, ou de causa e efeito, concluiu que o que parte de nós é, de fato, o que a nós retorna.
A sementeira é sempre livre, mas a colheita é obrigatória.
Na figura apresentada por Jesus, o que se oferece ao solo, o solo devolve, ampliado, renovado, sejam aromas de flores, sejam espinhos.
* * *
Semeemos simpatia, e a teremos de volta. Espalhemos farpas e as veremos de retorno.
Distribuamos esperança e nos veremos esperançados. Semeemos agonia, e poderemos contar com a ação do desespero, logo mais.
Ofertemos nosso tempo precioso para atender ao próximo, e veremos que as preocupações do nosso próprio coração também estarão sendo atendidas.
Doemos nosso sorriso ao mundo e o mundo, dentro de nós, sorrirá satisfeito.
Perdoemos aquele familiar que falhou conosco mais uma vez, e perceberemos que, quando nós errarmos, encontraremos mais facilmente o autoperdão.
Semeemos a paz, o otimismo, em meio ao negativismo viciante dos dias atuais, e colheremos tranquilidade em meio ao caos, silêncio em meio à balbúrdia ensurdecedora.
É dando que se recebe. É dando-nos, doando-nos que receberemos a recompensa da consciência pacificada, cumpridora de todos os deveres para com Deus, o próximo e a nós mesmos.
Amemos e nos estaremos amando. Perdoemos e estaremos nos perdoando. Doemos e já estaremos recebendo.
Experimentemos a doce exortação de Francisco de Assis e nos sintamos em paz, desde agora.
 

Redação do Momento Espírita
 
 
 

 

ONDE HOUVER ÓDIO QUE EU LEVE O AMOR....pediu Francisco de Assis.

 
 
O ódio, a falta de perdão, a discórdia, a ofensa, são sentimentos contrários da paz.
Quem quer paz deve divulgá-la, seja em palavras faladas, escritas ou em gestos.
Quando nos depararmos com postagens que humilham pessoas, que ditam palavras de ódio, vingança, não devemos curtir nem compartilhar. Nós devemos ser a paz que queremos ver no mundo, disse Gandhi.
Não adianta pedir paz para Deus, ele não nos dará, mas nos ensinará como conquistá-la.
Como?
Basta seguir os ensinamentos trazidos por Jesus:
* Retribua o mal com o bem;
* Ame seu inimigo;
* Faça o bem a quem te odeia;
* Ore por quem te odeia;
*Perdoe sempre;
* Só atire a primeira pedra quem nunca errou;
* Que mérito há em amar apenas quem nos ama?;
* Não se vingue;
* Não sinta satisfação com algo de ruim que aconteça àquele que nos fez mal.
Fácil?
Não.
Mas, precisamos começar de alguma forma. Afinal, aquele que se intitula cristão precisa buscar ter atitude cristã. Pensemos nisso!


Rudymara

 
 
 

 

UM ALERTA DE DIVALDO FRANCO

 
 
 
Não entremos na faixa vibratória dos nossos governantes. Nosso desequilíbrio não mudará a situação do país, nossa ação nas urnas, sim.
 
 
 Rudymara
 
 
 
 
 

POR QUE ESPÍRITOS DESAJUSTADOS NOS ENVOLVEM E INFLUENCIAM TÃO FACILMENTE?

 
Podemos responder com a velha pergunta de algibeira:
• Por que o cachorro entra na igreja?
• Ora, por que a porta está aberta!
• Exatamente o que acontece com estas entidades.
Aproximam-se de nós, envolvem-nos, invadem nossa casa mental porque, segundo a expressão evangélica:
Está desocupada - vazia de ideais superiores, de motivação existencial.
Está varrida e adornada - atraente para os invasores, receptiva às suas sugestões.
A intervenção dos benfeitores desencarnados e os recursos mobilizados no Centro Espírita promovem seu afastamento.
Todavia, isso não é o bastante.
Fundamental que aprendamos a nos defender, que tenhamos cuidado porquanto pode ser que eles resolvam voltar e venham acompanhados de outros iguais ou piores. O estrago será maior.
Necessário, portanto, fechar a porta, impedir seu acesso.
Na questão 469, de O Livro dos Espíritos , Kardec pergunta aos mentores espirituais como podemos fazer isso.
A resposta é bastante elucidativa;
"- Praticando o Bem e pondo em Deus toda a vossa confiança (...)."
Quem se empenha em servir e tem certeza da proteção divina resguarda a casa mental contra malfeitores e desocupados do Além.
Uma pergunta que deveríamos formular a nós mesmos: que tipo de gente recebemos em nossa casa mental?
Não é difícil definir.
Basta analisar como estamos, nossas emoções e sentimentos.
Talvez seja preciso despejar hóspedes indesejáveis e convidar outros mais recomendáveis, em favor de nossa paz.


Richard Simonetti




sexta-feira, 4 de março de 2016

TRAIÇÃO

 
 
Seu parceiro(a) te traiu? Não retribua o mal com o mal. Retribuindo o erro dele(a) na mesma moeda, você estará se igualando a ele(a) em seu defeito moral. Portanto, seja superior em seus atos. Como disse o Cristo: "Se alguém te bater numa face, apresenta-lhe a outra." E como explica Joanna de Ângelis: “Uma é a face da violência, do orgulho ferido, da vaidade mesquinha, do medo. A outra é a da paz, da confiança no bem, da vitória do amor, da dignidade.” Então, se o parceiro(a) apresentou a face da traição, apresenta-lhe a da lealdade, da dignidade e do respeito ao próximo. Não se comprometa com a lei de causa e efeito. Mostre que você já aprendeu a "não fazer ao outro o que não quer que o outro lhe faça". Um dia, ele(a) também aprenderá. Pensemos nisso!

 

Rudymara

terça-feira, 1 de março de 2016

SABER VIVER

 
 
Viver todos temos que viver, mas viver bem, poucos vivem. Viver não é "curtir a vida" visando apenas a parte material: festas, viagens, sexo desregrado, bebidas alcoólicas e outras drogas, etc. Viver é saber que na vida tudo tem retorno. É saber ser alegre e se divertir sem se prejudicar e sem prejudicar o próximo, sem se comprometer com a lei divina e é também alegrar a vida dos que convivem conosco neste planeta. Jesus está nos alertando há mais de dois mil anos que "O plantio é livre, mas a colheita é obrigatória." Então, saibamos viver, seguindo o ensinamento do Cristo e também do apóstolo Paulo: "Tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém."

 
Rudymara