sábado, 27 de junho de 2015

QUEM SEGUE A BÍBLIA AO PÉ DA LETRA?

 
“A liberação do casamento gay nos Estados Unidos virou o assunto no mundo e no Brasil. Embora o tema tenha dividido opiniões, o apoio do Facebook à decisão tomada pela Suprema Corte norte-americana nesta sexta-feira 26 mudou os rumos da discussão.
O próprio criador da rede social, Mark Zuckerberg, decidiu dar publicidade a uma ferramenta disponibilizada a todos os usuários, que agora podem adicionar um filtro colorido (o arco-íris é o símbolo gay) à sua foto de perfil.” ( Carta Capital)

Gays e não gays aderiram à causa para mostrar que “QUEM QUER TER DIREITO DE PENSAR E AGIR, DEVE DAR O MESMO DIREITO AO PRÓXIMO.” Vemos heterossexual fazendo o que bem entende com sua vida e que, por sinal, não é muito dentro do padrão “BÍBLIA”, mas quer ditar moral aos homossexuais.
A discussão é: DEUS É CONTRA OU A FAVOR?
Bom, contra ou a favor, deixem que cada um use seu livre arbítrio e preste contas de seus atos com a lei Dele. A nós cabe apenas perguntar: SERÁ QUE MEUS ATOS AGRADAM DEUS? Afinal, vemos tantas pessoas contrariando a BÍBLIA e nem por isso são perseguidos como os homossexuais. Moisés escreveu leis para conter os abusos do povo da época e uma delas proíbe a homossexualidade (Levítico, 20:13), mas também escreveu outras leis. EXEMPLO: Quem trabalha no sábado será morto (Êxodo, 35:2), filhos desobedientes e rebeldes, que não ouçam pais e se comprometam no vício, serão apedrejados até a morte (Deuteronômio, 21: 18-21), É proibido comer carne de porco, lebre ou coelho (Levítico, 11: 5-7), Deficientes físicos estão proibidos de aproximar-se do altar do culto, para não profaná-lo com seu defeito (Levítico, 21: 17-23), Os adúlteros serão apedrejados até a morte (Deuteronômio, 22: 22), etc. Quem segue estas leis? Creio que ninguém, não é? Até porque, Jesus veio para mostrar que a lei que devemos seguir são os 10 mandamentos. Estes sim são leis de Deus recebidas por Moisés.
Então, chega de preconceito!
Preconceito gera violência.
Muitas pessoas não estão defendendo a Bíblia, estão defendendo seu PRECONCEITO.
Sigamos o novo testamento.
Amemos o próximo como ele é e como Jesus nos amou e ama, apesar dos nossos defeitos.
Amar não significa aceitar, mas respeitar. Respeitar é um ato de amor.
Jesus sabia o defeito das pessoas e nem por isso os discriminou ou desrespeitou, pelo contrário, conviveu com eles.

 


Rudymara
 
 
 


 

PACIÊNCIA DE JÓ

 
 
Quando passamos por uma sequência de fatos turbulentos ou quando acontecem muitas coisas que testam nossa capacidade de resignação, dizemos que é preciso ter paciência de Jó para tudo suportar.
A expressão remonta a uma das mais antigas histórias narradas na Bíblia.
Jó era o homem mais rico da região em que vivia. Possuía milhares de ovelhas e camelos, centenas de juntas de bois e jumentos, uma imensa propriedade, sete filhos, três filhas e grande quantidade de criados.
Era considerado um homem bom, justo e temente a Deus.
A fé de Jó foi severamente testada quando o mal o atingiu de diferentes formas.
Num mesmo dia, sua propriedade foi invadida e saqueada, seus rebanhos foram roubados, seus empregados assassinados e seus filhos e filhas morreram quando a casa desabou sobre eles, em meio a um vento muito forte vindo do deserto.
Jó se entristeceu profundamente, prostrou-se no chão e orou. Não se revoltou. Reconheceu que tudo o que tinha havia sido dado por Deus e que o Senhor achara por bem tirar tudo dele. Dessa forma, afirmou sua fé e mostrou resignação à vontade do Pai.
Entretanto, as problemáticas continuaram. Ele teve o corpo coberto de chagas. Era a temida lepra. Sua esposa, atormentada pela dor, disse que ele deveria amaldiçoar Deus e morrer.
Contudo, Jó permaneceu firme em sua fé. A esposa, revoltada, o abandonou.
Sozinho, isolado, Jó foi visitado por três amigos que, em vez de consolá-lo, tentaram convencê-lo de que Deus o estava castigando por seus muitos pecados.
Jó discordou deles, reafirmou sua fé na bondade e justiça divinas e ainda orou ao Senhor para que não punisse seus amigos.
Por sua fé inabalável, por sua paciência em tudo suportar, após algum tempo, o Pai Celeste lhe permitiu a restituição da saúde, curando-o da lepra. Depois, Jó conseguiu reaver, e duplicados, todos os seus bens.
Tornou a se casar e teve dez filhos, concluindo sua vida, anos mais tarde, em felicidade.

* * *

Costumamos estar de bem com Deus quando a vida nos sorri e tudo corre de acordo com nossas expectativas. Basta um revés para nos desestruturarmos, erguermos os olhos e perguntarmos: Por quê comigo, Senhor?
A Doutrina Espírita nos traz luz sobre as causas dos males que nos afligem. Muitas vezes são reações a ações nossas, do passado, que se refletem nesta vida. Outras vezes são consequências de más escolhas que fizemos nesta vida mesmo, acreditando que passariam em branco.
O Espiritismo também nos elucida que escolhemos, antes de reencarnar, as provações pelas quais iremos passar. Porém, esquecemos disso e, diante das dificuldades, questionamos a bondade e a justiça do Pai.
As provas que enfrentamos são, na verdade, um bem, pois nos ajudam a cultivar a humildade, a paciência, a resignação, preparando-nos para a vida futura.
Se tivermos fé em Deus e confiança nas leis divinas, encararemos o sofrimento como um resgate, um pagamento de dívidas contraídas anteriormente.
Isso nos permitirá enfrentar os reveses com calma e confiança, superando as provas da vida.
Ter fé é guardar no coração a luminosa certeza em Deus.
 

Redação do Momento Espírita
 
 
 

 

quarta-feira, 24 de junho de 2015

A HISTÓRIA DE JOÃO BATISTA NA VISÃO ESPÍRITA

 
Hoje, 24 de junho os católicos comemoram o dia de São João. Por isso, resolvemos colocar a história de João Batista pela ótica espírita.
João Batista, chamado de “O Precursor’, era primo de Jesus, filho de Isabel e Zacarias e vestia-se de peles e alimentava-se de mel e animais silvestres. Tinha rigidez em suas ideias, opiniões e comportamento. Abstendo-se de bens e prazeres, vivendo unicamente para o bem, convocando o povo ao arrependimento dos pecados e a se prepararem para receber o Redentor (Jesus). João utilizava o ato simbólico do batismo para ressaltar ser indispensável o arrependimento, o reconhecimento dos deslizes do passado, para receber as bênçãos que o mensageiro divino (Jesus) traria. A imersão era precedida de uma confissão pública e da profissão de fé do iniciado, que se dispunha à renovação, combatendo as próprias fraquezas. É o que fica evidente, em passagens como estas: “Arrependei-vos, fazei penitência, porque é chegado o reino dos céus”; “Eu na verdade, vos batizo com água para vos trazer à penitência; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizará com o Espírito Santo e com o fogo”. MAS O QUE É O BATISMO COM FOGO E COM O ESPÍRITO SANTO? Batismo de fogo é o esforço de vencermos nossos instintos e hábitos inferiores, procurando praticarmos o bem. Este esforço é uma luta dentro de nós e em meio a tudo e a todos. E o batismo com o Espírito Santo é a sintonia com os benfeitores do plano invisível, através de manifestações mediúnicas ostensivas (ver, ouvir, etc., os desencarnados) ou sutis (pressentir, intuir, etc.). Os discípulos, receberam um magnífico Batismo do Espírito Santo, no dia de Pentecostes, quando os Espíritos do Senhor se manifestaram através deles, em diversos idiomas, aos habitantes e visitantes de Jerusalém (Atos, cap.2)."

João pedia ao povo: "QUEM TIVER TÚNICAS, REPARTA COM QUEM NÃO TEM, E QUEM TIVER ALIMENTOS, FAÇA DA MESMA MANEIRA”; aos publicanos (coletores de impostos) orientava dizendo: "NÃO PEÇAIS MAIS DO QUE VOS ESTÁ ORDENADO”; aos soldados aconselhava: "A NINGUÉM TRATEIS MAL NEM DEFRAUDEIS, E CONTENTAI-VOS COM O VOSSO SOLDO”.
Mas, certa vez, João chamou a atenção de Herodes por se divorciar de sua esposa e, ilegitimamente, tomar como amante Herodias, a esposa de seu irmão Herodes Filipe I. No aniversário de Herodes, a filha de Herodias (tradicionalmente chamada de Salomé) dançou perante o rei e seus convidados. Sua dança agradou tanto Herodes que, bêbado, ele prometeu a ela qualquer coisa que desejasse, limitando a promessa em metade de seu reino. Quando a filha perguntou à mãe o que deveria pedir, Herodias pediu que ela pedisse a cabeça de João Batista numa bandeja. Mesmo chocado com o pedido, Herodes relutantemente concordou e mandou decapitar João na prisão.
Mais tarde, como conta no evangelho de Mateus 17:10: "OS DISCÍPULOS DE JESUS LHE PERGUNTARAM: O QUE QUEREM DIZER OS DOUTORES DA LEI, QUANDO FALAM QUE ELIAS DEVE VIR? Jesus lhes explicou: "CERTAMENTE ELIAS VIRÁ PRIMEIRO, E RESTAURARÁ TODAS AS COISAS. MAS DIGO-VOS QUE ELIAS JÁ VEIO, E NÃO O CONHECERAM, MAS FIZERAM-LHE TUDO O QUE QUISERAM."

Comenta Mateus em 17:13 "ENTÃO OS DISCÍPULOS COMPREENDERAM QUE JESUS LHES FALARA A RESPEITO DE JOÃO BATISTA."
Nesta passagem, Jesus deixa claro que Elias, que muitos esperavam a volta, já veio, ou seja, já REENCARNOU, e já haviam feito com ele o que quiseram. Então, os discípulos entenderam que João Batista era a reencarnação de Elias.
Que João não seja lembrado apenas na festa junina e com interesse de fazer pedidos, mas para que sigamos seus pedidos que ecoam até os dias de hoje.
Viva São João! Aliás, vivamos os ensinamentos de João!
 


Compilação de Rudymara
 
 
 


 

terça-feira, 23 de junho de 2015

domingo, 21 de junho de 2015

PASSEATA PEDE FIM DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

 
Um protesto contra intolerância religiosa reuniu diversas pessoas neste domingo (21/06/2015) no Largo do Bicão, na Vila da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro. O ato, que agrupa fiéis de diferentes religiões, foi realizado após a menina Kailane Campos, de 11 anos, candomblecista, ter sido apedrejada na saída de um culto.
 

OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Precisamos pedir a muitos pregadores do Evangelho, de todas as religiões cristãs, que não incitem em suas pregações o desrespeito, o ódio, o preconceito em relação ao próximo de forma geral. Quem realmente entende, um pouco que seja, os ensinamentos de Jesus, sabe que Ele nunca ensinou sentimentos e atitudes violentas ou preconceituosas. Não podemos generalizar os religiosos, mas dentro de todas as religiões há sempre os fanáticos religiosos que denigrem a imagem de sua religião porque não agem em nome de Deus ou de Jesus, mas em nome de seu preconceito. Pedimos que sigam o ensinamento de Jesus que diz: FAÇA AO PRÓXIMO O QUE GOSTARIA QUE O PRÓXIMO LHE FIZESSE. Este ensinamento deixa claro que, se queremos que respeitem nossa religião, respeitemos a dos outros.
 
 
 
 

 

sábado, 20 de junho de 2015

MÉDIUM É AMORDAÇADO, AMARRADO E MORTO

 
 
Na manhã desta sexta-feira (19/06/2015) o médium Gilberto Arruda, do Centro Espírita Frei Luiz, que fica na zona Oeste da capital fluminense, foi encontrado morto, amarrado e amordaçado.

OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Os sinais da Nova Era não são apenas nascimentos de Espíritos missionários. Como disse Divaldo: “(...)infelizmente, do outro lado o caos. Nunca a crueldade apresentou-se fria e perversa como nos últimos tempos. Onde matar já não basta. Eles querem matar de maneira que choque e aterrorize a sociedade. Então, estes são os sinais.” Espíritos rebeldes estão tendo oportunidade de escolher viver o bem ou o mal. Os que escolherem o mal, não reencarnarão mais aqui. Neste meio tempo, onde uns chegam e outros saem, onde haverá a separação do joio e do trigo, ou seja, nesta peneira simbólica que o Cristo previu que aconteceria no final dos tempos, nos depararemos com "a violência, a sensualidade, a abjeção (baixeza), os escândalos, a corrupção atingirão níveis dantes jamais pensados, alcançando o fundo do poço, enquanto as enfermidades degenerativas, os transtornos bipolares de conduta, as cardiopatias, os cânceres, os vícios e os desvarios sexuais clamarão por paz, pelo retorno à ética, à moral, ao equilíbrio(...)“ “Como em toda batalha, momentos difíceis surgirão exigindo equilíbrio e oração fortalecedores..... Nunca, porém, estarão solitários, porque a solidariedade espiritual do Amor estará com eles, vitalizando-os e encorajando-os ao prosseguimento (...)” - (trecho do livro Transição Planetária).

Oremos para o médium, mas também para os assassinos. Como aprendemos com a doutrina espírita, ninguém faz mal a ninguém antes de fazer a si mesmo, porque terá que colher. Nós, em outras encarnações, talvez tenhamos sido violentos tal qual ou mais que estes indivíduos. Hoje estamos chocados, ontem, talvez, tenhamos chocado e alguém, com certeza, nos ajudou a sermos o que somos hoje. As várias encarnações nos ajudaram a não agir mais assim. Por isso, sigamos o que ensinou Jesus: RETRIBUA O MAL COM O BEM, AME OS INIMIGOS, FAÇA O BEM AOS QUE VOS ODEIAM E ORE PELOS QUE VOS PERSEGUEM.
 
 


 

sexta-feira, 19 de junho de 2015

TÚMULO DE CHICO XAVIER FOI DANIFICADO

 
 
O túmulo onde está enterrado o corpo de Chico Xavier apareceu trincado nesta quinta-feira (18/06/2015) e com algumas marcas de pancadas no vidro blindado que protege o local. O episódio aconteceu no cemitério São João Batista, em Uberaba, e fazem o filho adotivo do médium, Eurípedes Higino, pensar em ato de vandalismo, possivelmente motivado por intolerância religiosa (...)
 
 
OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Chico Xavier foi só AMOR e quem fez isto é puro ÓDIO. Quem odeia não atinge Chico Xavier, o Espiritismo ou os espíritas, atinge a si mesmo. Chico psicografou muitas mensagens baseadas nos ensinamentos de Jesus que nos ensinaram a perdoar e a compreender quem ainda não aprendeu a AMAR. Façamos isso!
 
 
 
 

OREMOS PEDINDO FORÇA E TRABALHO

 
 
GERALMENTE ORAMOS PEDINDO QUE DEUS RETIRE NOSSO FARDO, MAS O FARDO FOMOS NÓS QUE ADQUIRIMOS AO TRANSGREDIRMOS A LEI DIVINA OU QUANDO ABUSAMOS DA NOSSA SAÚDE E LIVRE ARBÍTRIO. É COMO SE NÓS FIZÉSSEMOS UMA CONTA EM UMA LOJA QUALQUER E COMBINAMOS O DIA DE PAGAR. DAÍ, QUANDO CHEGA ESTE DIA, O DONO DA LOJA BATE EM NOSSA PORTA E NÓS TENTAMOS FUGIR DO COMPROMISSO. ENTÃO, APRENDAMOS A ORAR PEDINDO FORÇAS PARA CARREGARMOS NOSSO FARDO SEM ESQUECER DE PEDIR TRABALHO NA ÁREA DA CARIDADE. PORQUE O AMOR COBRIRÁ UMA MULTIDÃO DE DÉBITOS, OU SEJA, TODO AMOR QUE ESTENDERMOS AO PRÓXIMO, DIMINUIRÁ NOSSO FARDO. COMO DISSE DIVALDO FRANCO, DEUS É AMOR E NÃO COBRADOR DE IMPOSTOS, ELE NOS DÁ A OPORTUNIDADE DE QUITARMOS DÉBITOS ATRAVÉS DO AMOR AO INVÉS DA DOR....

Rudymara




A AJUDA DE DEUS

 
 
QUANDO PEDIMOS ALGO PARA DEUS, SEUS AUXILIARES ANALISAM E SAEM EM NOSSO AUXÍLIO. NEM TUDO PODE E DEVE SER ATENDIDO, MAS DENTRO DAS POSSIBILIDADES ELES NOS AUXILIAM DE MANEIRA INDIRETA. ELES INTUEM OU INSPIRAM PESSOAS DO NOSSO CONVÍVIO PARA QUE VÁ AO NOSSO ENCONTRO PARA AUXILIAR. NEM TODOS ESTÃO COM SUAS ANTENAS MEDIÚNICAS LIGADAS AO ALTO PARA CAPTAR A MENSAGEM. MAS OS QUE ESTIVEREM, PODERÃO SOCORRER, AUXILIAR SEM SE DAR CONTA QUE FOI INSPIRADO PELO ALTO PARA ESTAR NAQUELE LOCAL COM AQUELA PESSOA OU SITUAÇÃO. POR ISSO, FIQUEMOS ATENTOS: ORAÇÃO E VIGILÂNCIA SEMPRE. DEUS NÃO AJUDA NINGUÉM DE MANEIRA DIRETA, ELE CONTA COM A AJUDA DAS CRIATURAS PARA QUE ESTAS AJUDEM OUTRAS CRIATURAS QUE CONVIVEM CONOSCO. DEUS CONTA COM NOSSA AJUDA. 
 
 
 Rudymara
 
 
 
 

terça-feira, 16 de junho de 2015

A QUESTÃO MAIS AFLITIVA DO DESENCARNADO

 
 
O ESPIRITISMO ENSINA QUE A FINALIDADE DA VIDA É "EVOLUIRMOS". ESTAMOS AQUI PARA TENTARMOS SER HOJE MELHORES QUE FOMOS NA ENCARNAÇÃO ANTERIOR. MAS, AO ADENTRARMOS NO CORPO CARNAL, NOS ILUDIMOS COM ALEGRIAS PASSAGEIRAS QUE DURAM APENAS O TEMPO QUE FICARMOS ENCARNADOS. DAÍ, NOS ESQUECEMOS DE BUSCAR AS ALEGRIAS DO ESPÍRITO, QUE É ONDE ESTÁ A VERDADEIRA ALEGRIA E FELICIDADE INTEGRAL. MUITOS SÓ SE DARÃO CONTA DISTO QUANDO ESTIVEREM RETORNANDO AO PLANO ESPIRITUAL, AÍ É QUANDO OCORRE O REMORSO, O ARREPENDIMENTO DE TER ADMINISTRADO MAL O TEMPO NA TERRA. 
 
 
 Rudymara

quinta-feira, 11 de junho de 2015

CASAMENTO É TAREFA PARA TODOS OS DIAS

 
 
O casamento, como disse Emmanuel através da psicografia de Chico Xavier, “É TAREFA PARA TODOS OS DIAS”. Portanto, deveríamos dar continuação no casamento o que fazíamos no namoro. Exemplo: Mensagens carinhosas, se arrumar para esperar o outro, presentear sem ter data especial, bate papo, pedir sugestão de pequenos assuntos, contar trivialidades, rir muito, dizer palavras carinhosas como: “estou com saudades de você”, “te amo”, você é importante em minha vida”, “você está bonita(o)”, enfim, alimentar a vontade de ficar junto. Nada de usar palavras grosseiras que ofendem, magoam, como: “seu burro(a)”, “gorda(o)”, “lerda(o)”, etc. Estas palavras podem se tornar comum, daí hora ou outra, a pessoa falará perto de outras pessoas. É preciso tomar cuidado. Surpreenda seu parceiro(a) com um bolo simples, uma comida que ele(a) gosta, uma mesa caprichada ou com um simples café com pão numa toalha de mesa bonita, uma flor do jardim num copo, que seja. E crie o hábito de elogiar tudo que o outro fizer. São pequenas iguarias que temperam o casamento. Um não deve esperar só pela atitude do outro. Deve tomar a sua própria atitude.
Quando estiver com os amigos(as), elogiar o cônjuge e não ir contando intimidades do casal, principalmente as negativas. Se não tem elogios a tecer, é melhor calar-se.
Ambos devem priorizar a família aos amigos. Tem hora para tudo, mas a família é prioridade. É ela que irá estar ao nosso lado em todos os momentos, bom e ruim. Os amigos são passageiros e geralmente só estão nos momentos bons. Mas, se a pessoa prioriza os amigos(as), a bebida, a festa, as piadas de extremo mau gosto sobre casamento e cônjuge, é melhor não casar-se, porque provavelmente irá fazer alguém infeliz e, consequentemente, será infeliz.


Rudymara
 
 


 

terça-feira, 9 de junho de 2015

PASTOR CONSTRÓI CASAS POPULARES COM DINHEIRO DO DÍZIMO

 
Fábio Mendonça é pastor da Assembleia de Deus, Ministério Lagoinha, em Araruama, Rio de Janeiro e também sargento da Polícia Militar da 25ª CIA em Cabo Frio. Sua igreja tem cerca de 200 membros e tem chamado atenção por fazer um investimento surpreendente: usar dízimos e ofertas para construir casas para os membros em condições de vulnerabilidade social.
Além disso, a igreja possui duas vans que transportam os membros que moram em lugares como Regamé, Km 30, Rio do Limão e Fazendinha. Andréa Silva Rocha, que recebeu uma das casas comemora: “Fui amparada na hora em que mais precisei, hoje tenho a segurança de um lar”.O pastor Mendonça diz que em seu trabalho na Polícia Militar ele adquiriu experiência na área de projetos. Percebendo a necessidade de outros irmãos carentes, decidiu ajudar a cavar a fundação das casas. Ele conta que a igreja no princípio se assustou com a ideia, mas logo começou a participar ativamente.
O critério para a entrega é “o grau de dificuldade das pessoas”, explica. Foram construídas quatro casas onde os dízimos e ofertas custearam a obra. Além do pastor, três pedreiros ajudam nas construções trabalhando voluntariamente durante os finais de semana.
“Foram construídas quatro quitinetes. As primeiras beneficiadas deverão ser as duas senhoras que hoje estão alojadas na igreja, uma delas dorme no gabinete pastoral e a outra na ‘salinha das crianças". O pastor diz que não pede dinheiro, mas tem conseguido pagar as contas.
“Acredito que quando o trabalho é direito, o Espírito Santo se encarrega de mover o coração das pessoas ao desejo de ofertar. E assim foi: um membro doou mil tijolos, outro duas pias…”, conta. Mas a iniciativa não é isenta de críticas “Alguns pastores me perguntaram se eu não estava “arrumando” muito trabalho.
“Se Deus pensasse no trabalho que o ser humano dá a Ele em relação à desobediência a seus princípios, não teria feito o mundo. Tudo que fazemos na vida pode nos gerar problemas, você não compra um carro, por exemplo, pensando que o pneu pode furar um dia, mas no benefício que você vai ter com o veículo”, desabafa.
Por fim, ele deixa um “recado” para os líderes evangélicos: “As igrejas devem ficar mais atentas à necessidade do povo. Sejam elas materiais ou espirituais. Há igrejas em que a maioria dos membros não possui necessidades financeiras, mas sempre há os que precisam de ajuda espiritual e aqueles que precisam de ajuda material”.
 

 

Observação de Rudymara: Exemplo a ser seguido por religiões que recebem dízimo. A fé deste pastor é com obras. Ele é verdadeiramente um homem de boa vontade. Parabéns, pastor!
 
 
 


 

segunda-feira, 8 de junho de 2015

MENINA DE 9 ANOS CONSTRÓI ABRIGO PARA MORADORES DE RUA



Ela só tem 9 anos e constrói abrigos para moradores de rua
Quando tinha 5 anos Hailey Fort, hoje com 9, viu um mendigo em Kitsap County, Washington (EUA) e sentiu vontade de ajudá-lo. De lá para cá, essa tem sido a inspiração da garota, que pretende construir 12 abrigos móveis para moradores de rua ao longo deste ano.
Cada casa tem o custo de US$ 300 e muitos dos itens utilizados na construção vêm de doações. O abrigo tem paredes de pallets, cortinas, porta que tranca e uma lâmpada movida a energia solar.
O trabalho de Hailey é acompanhado por sua mãe, Miranda Fort, que já articulou com a prefeitura a permissão de usar os abrigos na cidade. Em entrevista à ABC News, ela conta que, pela lei, as casas podem ser instaladas em terrenos de igrejas.
E Hailey não para por aí. Ela cultiva uma horta de frutas e vegetais. A ideia é plantar 100 quilos de alimentos para doar aos mendigos, ainda este ano.


 
Observação: Crianças são espíritos velhos em corpos novos. Na nova era de nosso planeta estão encarnando espíritos que darão bons exemplos, ideias e realizarão trabalhos para que façamos um mundo melhor.


É PRECISO RESPEITAR PARA SER RESPEITADO



Esta moça da foto errou ao usar a cruz, símbolo que lembra Jesus, para protestar. Este ato impensado está causando uma grande polêmica e resultou em ameaça à ela nas redes sociais.
Pergunto: Ameaçar uma pessoa é atitude CRISTÃ? Será que Jesus está feliz com esta atitude? Onde ele disse que não devemos perdoar, que devemos ser violentos, odiosos, preconceituosos, etc.? Aquela afirmação de Jesus: “Que atire a primeira pedra quem nunca errou”, nunca foi tão atual.
Não vemos esta repercussão aos evangélicos que quebram santos católicos ou dos umbandistas; aos padres e pastores que pregam que Espiritismo é coisa do diabo e padre que escreve livro com "afirmações inverídicas e preconceituosas à religião espírita e às religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, além de flagrante incitação à destruição e ao desrespeito aos seus objetos de culto" como afirmou o promotor Almiro Sena que mandou recolher tais livros.
Amigos(as), não estamos agindo em nome de Jesus, mas em nome do nosso preconceito. Deus e Jesus não são preconceituosos. Eles sabem que todos nós falhamos em algum ponto com a lei divina. Sabe que estamos em aprendizado. Nem por isso Eles nos condenam. Pelo contrário, recebemos sempre uma nova chance de ressarcir nossos débitos.
Parada gay, em minha opinião, mais denigre a imagem dos homossexuais do que ajuda. É um movimento de interesse de políticos e artistas para se promoverem. E alguns homossexuais aproveitam este evento para reinvidicar de forma errada: saem seminus, fazendo gestos obscenos, afrontando religiões. Só a conduta íntegra e respeitosa dos homossexuais é que fará com que ganhem respeito da sociedade. Este tipo de conduta só fomenta o ódio, a indignação e a violência.
Pensemos nisso!
 
 
Rudymara


 

domingo, 7 de junho de 2015

JESUS É O MÉDICO DAS ALMAS

JESUS PRECISAVA CHAMAR A ATENÇÃO DAS PESSOAS PARA QUE ELAS FOSSEM ATÉ ELE, SENÃO ELE PASSARIA DESPERCEBIDO PELA TERRA. ENTÃO, ELE CUROU. ISTO FEZ COM QUE AS PESSOAS O PROCURASSEM E ELE APROVEITAVA PARA FAZÊ-LOS OUVIR SEUS ENSINAMENTOS. INFELIZMENTE, MAIS DE DOIS MIL ANOS SE PASSARAM E AS PESSOAS CONTINUAM O BUSCANDO NOS TEMPLOS RELIGIOSOS PARA CURAR CORPOS, PEDIR PAZ, FAZER PEDIDOS MATERIAIS. E MUITOS RELIGIOSOS, VISANDO SEUS PRÓPRIOS INTERESSES, ESTIMULAM ISTO. ESTAS PESSOAS AINDA NÃO SE DERAM CONTA QUE O MAIS IMPORTANTE ESTÁ EM SEUS ENSINAMENTOS, ONDE HÁ A PREVENÇÃO DAS DORES E AFLIÇÕES E A CONQUISTA DA PAZ.
 Rudymara

sábado, 6 de junho de 2015

JESUS É NOSSO GUIA E MODELO




quarta-feira, 3 de junho de 2015

APOSTILAS DO GRUPO DE ESTUDO ALLAN KARDEC




DEUS CONDENA A HOMOSSEXUALIDADE?

 

 
Há religiosos que alegam ser contra os homossexuais porque a Bíblia os condena: O HOMOSSEXUAL SERÁ PUNIDO ATÉ A MORTE (Levítico, 20:13). Como "matar" se a lei divina diz: “NÃO MATARÁS” (Ex 20,13)? Devemos seguir uma lei transgredindo outra? Por que os adúlteros não são perseguidos como os homossexuais? Afinal, eles também são condenados pela Bíblia: NÃO ADULTERARÁS (Ex 20). É conveniência ou hipocrisia mesmo? Boicotam a novela por causa de um beijo gay, mas são permissivos à promiscuidade heterossexual da trama? Boicotam a empresa Boticário porque fizeram uma propaganda para o dia dos namorados com casais hetero e homossexuais, mas se permitem, muitas vezes, presentear a(o) amante?
Aproveitemos para perguntar: SERÁ QUE ESTES RELIGIOSOS PRECONCEITUOSOS SEGUEM TODAS AS OUTRAS LEIS DA BÍBLIA? Como por exemplo: OS FILHOS DESOBEDIENTES E REBELDES, QUE NÃO OUÇAM SEUS PAIS E SE COMPROMETAM NO VÍCIO, SERÃO APEDREJADOS ATÉ A MORTE. (Deuteronômio, 21:18-21). Quantos religiosos se converteram, ou melhor, encontraram Jesus, depois de dar muito desgosto aos pais, por terem sido rebeldes e se comprometeram com os vícios. Se a lei fosse aplicada, sobrariam poucos para dar seu testemunho. Então, NÃO FAÇAMOS AO PRÓXIMO O QUE NÃO QUEREMOS QUE NOS FAÇAM. Se queremos ter o livre arbítrio para pensar e agir devemos dar este mesmo livre arbítrio ao próximo. Se o próximo está errando em algum ponto, nós também temos outros pontos a corrigir. Então, NÃO JULGUEMOS PARA QUE NÃO SEJAMOS JULGADOS. Afinal, QUEM PODE ATIRAR A PRIMEIRA PEDRA?  Não queremos obrigar as pessoas a aceitarem a homossexualidade, pois elas também têm o livre arbítrio para não concordar, mas pedimos respeito. Podemos conviver sem desrespeito, agressividade, imposição, confronto, provocação, etc. Podemos odiar cebola, mas podemos respeitar e conviver com quem gosta. Isto é o princípio do “amarmos uns aos outros.”
E lembremos que, no Antigo Testamento há leis feitas por Moisés para conter aquele povo. Depois, ele recebeu as leis de Deus que são os 10 MANDAMENTOS. Mais tarde, veio Jesus para falar dos 10 MANDAMENTOS através do exemplo. E numa situação dessas, talvez ele dissesse a estes que se acham donos da verdade e da moral ilibada: “QUE TE IMPORTAS OS OUTROS? SEGUE-ME TU.”

Finalizemos com uma frase de autoria desconhecida: NÃO USE DEUS PARA JUSTIFICAR SEU PRECONCEITO.
 
 

Rudymara



 







terça-feira, 2 de junho de 2015

QUEM SOMOS NÓS?

 

Quem somos nós? A doutrina nos mostrou que SOMOS ESPÍRITOS. E se SOMOS ESPÍRITOS basta olhar para o desenho acima para observarmos que não temos raça, forma, sexo, nacionalidade, posição social, etc. Como está escrito no O Livro dos Espíritos, questão 88, a aparência do Espírito é de uma chama, um clarão ou uma centelha etérea. Nós só vamos adquirir forma, nacionalidade, sexo, etc., quando encarnarmos. Nós (ESPÍRITOS) apenas utilizamos os corpos perispiritual e carnal. Utilizamos ambos quando estamos encarnados e o perispiritual quando estamos desencarnados. O casal que será nossos pais fará um corpo de carne que terá a aparência segundo os genes deles e, lógico, segundo a necessidade de aprendizado do espírito que irá habitar aquele corpo: cor da pele, dos olhos, altura, etc.
Quando encarnamos é como se entrássemos num palco para interpretar um papel. E quando desencarnamos é como se a cortina fechasse e a interpretação terminou. Daí, retornamos ao plano espiritual de onde viemos, para nos preparar para um novo retorno e uma nova interpretação. E nesta nova interpretação poderemos trocar de raça, posição social, nacionalidade, sexo, família, etc.
Então, podemos dizer que, nesta atual encarnação uma mulher não É mulher, ela ESTÁ mulher. Um homem não É um homem, ele ESTÁ homem. Um negro não é negro, ele ESTÁ negro, ETC.
A pessoa da raça branca, por exemplo, que se acha superior a qualquer outra raça poderá retornar na raça que ele discrimina ou tem preconceito. O homem que se acha superior à mulher e a humilha, maltrata, abusa, violenta, poderá encarnar num corpo feminino para sentir na pele o que fez a mulher passar. Vemos em algumas obras espíritas relatos de feitores de escravos que retornaram escravos. Os que querem dividir o Brasil para se separar dos irmãos nordestinos poderão retornar em algum Estado ou cidade do Nordeste. Os homens que se acham ofendidos ao ver um homossexual precisam entender que, podemos encarnar várias vezes num mesmo sexo, por exemplo, num corpo feminino. Daí, quando encarnamos num corpo masculino, trazemos na lembrança espiritual as sensações, os desejos, os costumes de quando usávamos um corpo feminino. E assim acontece o contrário também. Podemos encarnar várias vezes num corpo masculino e quando trocamos de corpo numa nova encarnação, guardamos a lembrança de quando éramos um homem. Por isso vemos mulheres masculinizadas e homens afeminados. Quando aprendemos isso, vemos que todo racismo, preconceito e discriminação são bobagens.
Nisto tudo, o mais importante é aprendermos a administrar o que Deus nos empresta. O corpo físico, dinheiro, pobreza, etc. Há ricos generosos, caridosos, mas há ricos egoístas, que usam o dinheiro para seus prazeres materialistas. Há pobres conformados com a pobreza e há os inconformados buscando riqueza ou dinheiro de forma ilícita, roubando, enganando, traficando, enfim, lesando o próximo. Há heterossexual e homossexual promíscuo como há os que não são. Há branco preconceituoso, mas há negro que quando está na posição de chefe de pessoas brancas, talvez por serem discriminados, discriminam os brancos subalternos. Então, aproveitemos a encarnação e a posição que somos postos, pois, como disse Pascal no O Evangelho segundo o Espiritismo, a nossa verdadeira propriedade é aquela que levaremos após a desencarnação, ou seja, aquilo que fizermos aqui de BOM ou de RUIM com o que Deus nos empresta.

 

 

Rudymara

 

 

 

A MOÇA DE CATANDUVA


              
Conta Divaldo Franco:       
       Oportunamente fui pregar em Catanduva. Naquele tempo viajava-se muito em trens noturnos. Eu o tomava em Catanduva e ia até São Paulo. Era uma viagem razoavelmente confortável.
        Numa das vezes em que estive naquela cidade, ao regressar, Dona Lola Sanchez e outros confrades me levaram até a estação ferroviária. O trem saía as 22:30 hs.
        Quando cheguei à plataforma de embarque chamou-me a atenção uma senhora camponesa despedindo-se da filha. A jovem era uma daquelas meninas bonitinhas, bem modestas, do interior, vestida com simplicidade, o cabelo liso, partido ao meio e muito mimosa.
        A mãe abraçava-a e despedia-se, beijava-a e abraçava-a de novo e  a cena comoveu-me. Fiquei olhando a ternura da mãe com a filha de dezoito ou dezenove anos, mais ou menos.
        O trem deu o primeiro sinal de partida e me despedi dos amigos. A mocinha também subiu no trem, apressadamente.
        O vagão não estava muito cheio. Eu me sentei à janela, do lado da plataforma para acenar aos amigos, enquanto que ela sentou-se do outro lado, sozinha.
       Quando a composição começou a mover-se, eu vi que da mãe partia um fluido vaporoso, como se fosse uma nuvem alongada,  a idéia era de um arminho muito grosso de meio metro de circunferência, que brotava do centro cardíaco, entrava no trem e se implantava na moça.
       A medida que o veículo se movia, aquele fluido foi se afinando, quase desaparecendo.
        A mãe dava-lhe adeus e chorava; uma despedida quase trágica. A mocinha chorou um pouco e depois recostou-se, preparando-se para algum repouso, desde que a jornada seria longa: umas sete horas em média.
        A viagem prosseguiu.
        Quando chegamos a Araraquara, houve uma parada. Um rapaz entrou, daqueles tipos de conquistadores, num jeito de quem olha a pessoa e despe-a. Ele abriu a porta, entrou, olhou a todos, deteve-se na moça - o olhar dele era tão típico que me chamou a atenção. Examinou-a atentamente, ajeitou-se e foi sentar ao lado dela, que estava junto à janela.
        Passou o tempo. Fiquei distraído com outras coisas e quando percebi, ele havia passado o braço por trás da poltrona e se lhe chegara mais perto. Ela, tímida, encolheu-se um pouco.
        Eu pensei: Que coisa estranha esse indivíduo! Parece-se a um desses conquistadores baratos, aliciadores de menores...
        Dentro em pouco ele já estava conversando com a jovem. Refleti, comigo mesmo: Meu Deus, a coitada vai cair nas malhas desse sedutor, porque, totalmente desarmada, não saberá defender-se.
        Ele parecia muito loquaz. Numa estação mais adiante, ele saltou, comprou frutas, ofereceu-lhas. Ante a gentileza, a moça ficou animada.
        Vendo a cena eu orei, temendo o que viria depois; Meu Deus não deixe que ela seja seduzida - eu rogava. Recordei-me da sua mãe, e a lembrança me sensibilizou tanto que prossegui orando, pedindo a Jesus que a protegesse.
        Fiquei a imaginar: Certamente ela é uma mocinha que vai tentar a vida em São Paulo, ameaçada de cair nas armadilhas de um sedutor profissional. Fiquei orando, pedindo por ela.
        De repente, entrou um Espírito vestido à espanhola, à antiga, tipo sevilhana, uma mantilha de renda, um vestido longo, muito bonito. Ela era uma Entidade veneranda. Olhou para mim e para o par.
        - A tua prece foi ouvida - falou-me.
       Dirigiu-se para os dois e começou a aplicar passes na moça. Eu, então, mentalmente, dizia: Não é nela; é no homem. Afaste-o dela!
        O Espírito olhou-me, sorriu e continuou aplicando os passes na moça. Terminou, fez-me uma saudação e desapareceu.
        Eu fiquei frustrado, pensando que algo estava errado.
        De súbito, porém a moça deu um soluço, teve um engulho e vomitou no homem, atingindo-o de alto a baixo.
        O homem deu um salto e gritou:
        - Miserável! Veja o que fez! E saiu furioso tentando limpar-se.
        A moça, muito sem jeito, virou-se para mim e justificou-se:
        - Veja, eu nunca enjoei.
        Tirei um lenço, dei-o para ela e entendi a técnica que o Espírito usara. Sentei-me ao seu lado, para bloquear o lugar e perguntei-lhe:
        - Minha filha, você está doente?
        - Não senhor, de repente me deu uma coisa ... logo aquele rapaz, tão delicado...
        - Você o conhece?
        - Não senhor.
        - Você está indo para onde?
        - Estou indo para São Paulo - explicou-me - para trabalhar como dama de companhia numa casa e, aquele rapaz, muito educado, veio dar-me o endereço de uma tia dele que recebe moças como pensionistas. Ele estava até me oferecendo um emprego melhor, porque ele tem a missão de contratar moças para trabalhar e a tia recebe-as. Ele estava explicando-me quando aconteceu isto. O que é que eu faço agora?
        - Você vai ser dama de companhia - respondi-lhe. Este rapaz é um aliciador de moças para a loucura do sexo desregrado.
        - Expliquei-lhe o que era e ela ficou muito surpresa.
        - Mas, não é possível, ele é tão delicado, respondeu-me - Falou até que estava apaixonado por mim, que nunca tinha visto uma moça tão bonita como eu, que me queria levar para a casa da tia, a fim de defender-me dos "lobos" que existem em São Paulo.
        - Você vai fazer exatamente como sua mãe lhe mandou - aconselhei.
        Fiquei-lhe ao lado até chegarmos a São Paulo.
        - Quando saltamos, segui com ela. Neste momento, vimos o rapaz descer do trem, todo sujo, a roupa branca com enormes manchas cor de café. Olhei-o e perguntei-lhe, sorrindo:
        - Está melhor?
        Ele deu uma resposta a seu tipo e foi-se, enquanto eu fiquei a reflexionar na forma como os Espíritos agem.
 

Com sua atenção despertada desde o início da viagem, Divaldo registra as más intenções do homem que toma lugar junto à jovem. Nesse momento, Divaldo utiliza a prece em benefício dela. A resposta ao pedido não se faz esperar.  A técnica de ajuda que os Espíritos amigos adotam é digna de registro. É que nem sempre nos é dado avaliar ou entender como se processam os atendimentos. Nas ocorrências do cotidiano, o homem, não raras vezes, se revolta contra certos fatos que, em geral acontecem para seu próprio benefício. Se a Benfeitora Espiritual tivesse aplicado o passe no homem, visando retirá-lo do lado da moça, sempre haveria a possibilidade que ele voltasse à carga. Agindo diretamente sobre a jovem, da forma como aconteceu, o homem retirou-se revoltado e com asco. Isso o afastou de vez. 
        A prece é o meio mais eficaz quando se deseja ser útil, especialmente quando nos faltem quaisquer outros recursos.


Do livro: Semeador de Estrelas


 




segunda-feira, 1 de junho de 2015

TRANSIÇÃO