segunda-feira, 31 de março de 2014

VIVA A DEMOCRACIA!!!!!!


Democracia: regime onde temos liberdade de falar, esbravejar, gritar, xingar, mas a obrigação de engolir a indignação de não poder fazer nada contra a falta de educação, segurança, moradia e saúde. Pagamos para ter tudo isso, através dos impostos, mas não temos de boa qualidade. Temos que pagar escola particular, planos de saúde, alarmes, seguros de carro, casa, etc., para podermos ter um pouco de segurança e se quisermos melhor qualidade de saúde e educação.
Na Democracia a tortura e morte não são mais às escondidas (como na Ditadura), mas nas filas dos hospitais, nas vias públicas com os assaltos, nas moradias debaixo dos viadutos e periferias invadidas, etc. Onde os cadáveres são as vítimas que morrem todos os dias pela falta de segurança e saúde. E há os cadáveres ambulantes, verdadeiros zumbis que, nada mais são que dependentes das drogas e que moram em nossas ruas e lares de todas as cidades deste país. Onde a cada dia pagamos “democraticamente” mais impostos. Onde o cidadão é livre para abrir seu “próprio negócio”, desde que pague “democraticamente" impostos abusivos. Onde o cidadão é livre para ir e vir desde que pague “democraticamente” o pedágio. Onde o cidadão pode ter sua casa “própria” desde que pague "democraticamente" o resto da vida o imposto IPTU. Onde o cidadão pode comprar seu carro desde que pague “democraticamente” o imposto do IPVA e o seguro “obrigatório” todos os anos. Onde o cidadão pode ser um profissional liberal desde que pague o resto da vida, “democraticamente”, para exercer a profissão (CREA, CRM, etc). Onde elegemos políticos para nos representar, mas que legislam em causa própria, eles nunca perguntam o que queremos que votem. Onde o tráfico de drogas comanda paralelamente com os Governos.
Se o Regime militar deixou a desejar, o Regime democrático também está deixando. Por que? Porque o problema não são os Regimes, mas quem toma conta deles.
ENFIM, VIVA A DEMOCRACIA, COMO ELA DEVE SER VIVIDA, COM LIBERDADE SEM LIBERTINAGEM, COM AUTORIDADE SEM AUTORITARISMO.


Rudymara


O LIVRO DOS ESPÍRITOS, QUESTÃO 916: O egoísmo, longe de diminuir, aumenta com a civilização , que parece excitá-lo e entretê-lo; como a causa poderia destruir o efeito?
 
"Quanto maior o mal, mais ele se torna hediondo. Era preciso que o egoísmo fizesse muito mal para fazer compreender a necessidade de extirpá-lo.
Quando os homens tiverem se despojado do egoísmo que os domina, eles viverão como irmãos, não se fazendo mal, entreajudando-se reciprocamente, pelo sentimento mútuo da solidariedade. Então, o forte será o apoio e não o opressor do fraco, e não se verá mais homens a quem falta o necessário, porque todos praticarão a lei da justiça. É o reino do bem que os Espíritos estão encarregados de preparar.“





JEJUM NA VISÃO ESPÍRITA

 
 "Quando jejuarem, não mostrem uma aparência triste como os hipócritas, pois eles mudam a aparência do rosto a fim de que os outros vejam que eles estão jejuando. Eu digo verdadeiramente que eles já receberam sua plena recompensa. Ao jejuar, arrume o cabelo e lave o rosto, para que não pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê em secreto. E seu Pai, que vê em secreto, o recompensará." (Mateus 6:16-18)

Moisés, instituiu a prática de jejuar, e disse que era pedido divino, proclamando que Jeová castigaria aqueles que não a observassem.
Como acontece com todo culto exterior, em breve o jejum deixou de servir à religião para servir ao religioso. Os judeus submetiam-se ao jejum, não por empenho de purificação, mas apenas para mostrar que observavam com rigor os pedidos divinos.
Os fariseus, por exemplo, jejuavam duas vezes por semana. Nesses dias, para evidenciarem que isto representava sacrifício para eles, apresentavam as vestes mal arrumadas, barba e cabelos em desalinho, expressão torturada . . . É provável que nem mesmo estivessem jejuando, já que o importante era a aparência.
Jesus combate o comportamento hipócrita, recomendando que o jejuante se mantenha sereno, dentro da normalidade, em sua apresentação pessoal, buscando não a apreciação dos homens, mas a aprovação de Deus.
Jejum não se trata da mera abstenção de alimentos. Algumas horas ou todo um dia ingerindo apenas líquidos é prática saudável que desintoxica o organismo, se bem orientada, mas não tem nada a ver com nossa edificação espiritual. Se fosse assim, multidões que estão abaixo da linha da pobreza, submetidas a um jejum permanente, não por opção, mas por carência, seriam criaturas santas. Pelo contrário, fome e agressividade, geralmente, dão-se as mãos. O jejum a que se refere Jesus é de ordem MORAL. Se quisermos nos renovar, é necessário combater nossas mazelas, cultivando a Virtude e o Bem.
Então, nos períodos de jejum é preciso seguir a recomendação de Jesus: erguer a cabeça, mantendo expressão serena, calando a própria dor, confiantes em Deus. E Ele, que tudo vê, encontrará em nós a posição ideal para que nos possa ajudar.



RICHARD SIMONETTI




 
 
 
 

quarta-feira, 26 de março de 2014

NÃO SE MATE, VOCÊ NÃO MORRE!


 
"EMBORA NINGUÉM POSSA VOLTAR ATRÁS E FAZER UM NOVO COMEÇO, QUALQUER UM PODE COMEÇAR AGORA E FAZER UM NOVO FIM." - Chico Xavier
 
 
OBSERVAÇÃO: Todos que moram neste mundo, hora ou outra passam por dificuldades, dores, tristezas, desânimos. Se cada uma dessas pessoas se matassem, o mundo estaria desabitado. Precisamos enfrentar as dificuldades, saltar os obstáculos e recomeçar todos os dias. Você errou? E daí? Somos falíveis. Espíritos em aprendizado. Até os 12 apóstolos que Jesus escolheu tinham algo a corrigir. Tente não errar mais e siga em frente. Suicídio não é a porta de saída dos problemas, mas a porta de entrada para mais problemas. Porque prestaremos contas do ato impensado. Como? Recomeçando, numa próxima encarnação, enfrentando, talvez, complicações físicas no local lesado pelo suicídio e dando continuação às lições que interrompemos ao nos retirarmos do corpo físico antes da hora. Portanto, precisamos lembrar, NÃO SE MATE, VOCÊ NÃO MORRE. Quem morre é o corpo físico. O espírito é imortal.

 
 
Rudymara



 

terça-feira, 25 de março de 2014

O ESPÍRITA FAZ CARIDADE ESPERANDO RECOMPENSA NA VIDA FUTURA?


 
Os espíritas são cristãos e como cristãos devemos seguir os ensinamentos do Cristo. O Cristo para nós é o modelo e guia espiritual. Não vemos Jesus com interesse de pedir favores, mas como exemplo a ser seguido.
Nós espíritas miramos num objetivo: EVOLUÇÃO. E não conseguiremos evoluir se vivermos egoisticamente pensando somente em nós e em nossa família consanguínea.
Nós aprendemos com Jesus que nós somos uma só família, porque Deus é nosso Pai, portanto, somos irmãos. Então, nós não ficamos esperando que nos peçam ajuda. Nós vamos até as pessoas para oferecê-la. Seja de qualquer religião, raça ou situação financeira.
Nós acreditamos que já vivemos muitas vidas, e que a cada encarnação trazemos uma bagagem de erros e acertos. Portanto, nossas dores e aflições são consequências de nossas ações, nesta e em outras vidas. A lei de Deus nos dá a oportunidade de quitar alguns débitos através do bem que estendemos ao próximo. Foi Jesus que disse: “O AMOR COBRE MULTIDÃO DE PECADOS”. E nesta busca de quitar nossos débitos nós vamos criando hábitos de sermos melhores, mais caridosos, misericordiosos, enfim, mais cristão.

Este interesse acontece também em outras religiões. Umas só ajudam com o intuito de receber algo em troca. São as famosas barganhas com Deus através de promessas. E muitos fazem algo aguardando ir para o céu. Outras pagam o dízimo com o intuito de receber a oferta em dobro. Enfim, interesse tem em todas as religiões, mas a nossa visa quitar débitos e a melhora espiritual.
Nosso lema é: “DEVEMOS SER HOJE MELHOR DO QUE FOMOS ONTEM E AMANHÃ MELHOR DO QUE FOMOS HOJE.”Além do mais, é melhor fazer com interesse do que não fazer nada. Como disse Claudio Viana Silveira “CADA UM RESPONDERÁ POR TODO O MAL QUE RESULTE DO BEM QUE NÃO HAJA FEITO”. E Jesus deixou claro que: “A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS." - (Mateus 16:2)
 
 
Rudymara
 
 
 
 
 

sexta-feira, 21 de março de 2014

DIREITOS E FUNÇÕES DAS MULHERES E DOS HOMENS SÃO IGUAIS?


 
Por isso, Allan Kardec perguntou na questão 822-a: “... uma legislação, para ser perfeitamente justa, deve consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher?” E os mentores responderam: “Dos direitos sim; das funções, não. Preciso é que cada um esteja no lugar que lhe compete . . .”
Pretender absoluta igualdade envolvendo as funções é contrariar a própria biologia. O homem foi estruturado para o trabalho mais pesado; a mulher é convocada às responsabilidades do lar, particularmente no cuidado dos filhos. Não pretendemos reinstituir as Amélias, o retorno da mulher à condição de escrava do lar. Ela tem o direito e, mais que isso, a necessidade de desenvolver atividades na comunidade. Mas é preciso reconhecer que acima dos sucessos no campo social e profissional, está a suprema realização feminina como esposa e mãe, sustentando o lar, que é reconhecidamente a célula básica da civilização. A família pode transformar a casa de tijolos em lar, quando os membros desenvolvem os valores éticos, as responsabilidades morais. É dentro dos lares que saem as pessoas que irão compor a sociedade. Os futuros médicos, professores, engenheiros, políticos, pais, mães, funcionários públicos, profissionais em geral. Portanto, lares equilibrados, sociedade equilibrada; lares desequilibrados, sociedade desequilibrada. A sociedade é o reflexo de nossos lares.
A renovação das criaturas se fará através da “educação”. Não da educação instrução, que recebemos nos bancos escolares, mas da educação moral, que recebemos dentro do lar. Através, principalmente, do exemplo. Mas, como espíritos imperfeitos podem ser bons educadores? Reconhecemos as verdadeiras educadoras não pela santidade, mas pelo “esforço” e pela “disciplina” que trouxerem como bagagem, os quais serão os alicerces firmes e sólidos da “educação”. São valores reconhecidos pelos que buscam acertar na tarefa. Então, devemos ter sempre conosco a legenda “educar-se para educar”, a fim de não esquecermos nossa necessidade de progresso. E, a cada avanço na jornada evolutiva, melhoramos nossa condição de educadores. O espírito eminentemente feminino, na sua maioria, já adquiriu na esteira das encarnações sucessivas enormes cabedais de afetividade e sensibilidade, amor e ternura, carinho e delicadeza, devido muito especialmente à doação incessante à maternidade e aos membros da família.
O aperfeiçoamento moral de todo espírito reencarnado passa inevitavelmente pelo trabalho amoroso e educativo de toda mãe terrestre, como afirma e espírito Agostinho no O Evangelho Segundo o Espiritismo cap. XIV, item 9: “Merecei as divinas alegrias que Deus concede à maternidade, ensinando a essa criança que ela está na Terra para se aperfeiçoar, amar e abençoar.”


Richard Simonetti.


 

quarta-feira, 19 de março de 2014

JOSÉ, PAI DE JESUS

 
(...) Das cinco vezes que a palavra sonho aparece no Novo Testamento, quatro estão relacionadas com José, o pai de Jesus, sempre sendo convencido por um anjo a fazer exatamente o contrário do que estava planejando ou que mandava o senso comum, demonstrando uma confiança ilimitada em Deus.
José foi o protótipo do coadjuvante, entretanto protegeu a família sagrada. Dele não sabemos nada, só o nome de seu pai, graças à genealogia de Jesus. Segundo Mateus, foi um homem justo, que na época significava uma referência de caráter e piedade para a comunidade.
Foi um artesão construtor na pequena Nazaré e deu o exemplo das mãos calosas, do suor no rosto e das lutas cotidianas para Jesus, que certamente o ajudava.
José não nos deixou uma só palavra. Entregou-nos, entretanto o seu silêncio. Esse silêncio não é mutismo de quem não tem nada a dizer, ou absenteísmo de quem, alienado, não se dá conta do que ocorre consigo. Ele falava com as mãos e ferramentas, refletindo sua intensa vida interior. Jesus, durante o seu ministério público, utilizou o silêncio como técnica de ensino.
É certo que se Jesus denominou Deus como Abbá (paizinho, em aramaico) foi porque teve essa experiência com José. Na família patriarcal judaica o pai cuidava, preferencialmente, da educação dos filhos a partir dos cinco anos. Registramos ainda que o espírito Humberto de Campos no notável livro “Boa Nova”, psicografado por Francisco Cândido Xavier, afirma no capítulo três que Jesus viveu e se desenvolveu junto a José.
Eclipsado pelo Sol que é Jesus, seu filho, e por Maria, a Lua que reflete a luz solar, sua esposa, José, geralmente, só é lembrado quando armamos o presépio de Natal.
José só começou a chamar a atenção dos teólogos e devotos graças à admiração que Teresa d’Ávila, a grande reformadora do Carmelo na Espanha no século XVI, sempre lhe dedicou. Em sua vida testemunha: “Não me recordo de dirigir uma súplica a São José que não tenha sido atendida.”
 
 
Frederico Guilherme Kremer
 
 
 
 
 

 

“JOSÉ DA GALILÉIA”

 
 
"E projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: - José, filho de David, não temas receber a Maria." - (Mateus 1:20)
 
 
“Em geral, quando nos referimos aos vultos masculinos que se movimentam na tela gloriosa da missão de Jesus, atendemos para a precariedade dos seus companheiros, fixando, quase sempre, somente os derradeiros quadros de sua passagem no mundo.
É preciso, porém, observar que, a par de beneficiários ingratos, de ouvintes indiferentes, de perseguidores cruéis e de discípulos vacilantes, houve um homem integral que atendeu a Jesus, hipotecando-lhe o coração sem mácula e a consciência pura.
José da Galileia foi um homem tão profundamente espiritual que seu vulto sublime escapa às análises limitadas de quem não pode prescindir do material humano para um serviço de definições.
Já pensaste no Cristianismo sem ele?
Quando se fala excessivamente em falência das criaturas, recordemos que houve tempo em que Maria e o Cristo foram confiados pelas Forças Divinas a um homem.
Não obstante contemplar a sedução que Jesus exercia sobre os doutores, nunca abandonou a sua carpintaria.
Sem qualquer situação de evidência, deu a Jesus tudo quanto podia dar.
A ele deve o Cristianismo a porta da primeira hora, mas José passou no mundo dentro do divino silêncio de Deus.”
 
 
Mensagem de Emmanuel.
 
 
 
 

terça-feira, 18 de março de 2014

TIPOS DE CONSULTAS QUE HÁ NAS CASAS ESPÍRITAS

Foto: TIPOS DE CONSULTAS QUE HÁ NAS CASAS ESPÍRITAS

Podemos dizer que 4 (quatro) são as consultas aceitas pela Doutrina Espírita: 
1ª - só quando há uma intenção útil como fez Kardec; 
2ª - a consulta fraterna nas Casas Espíritas, cujo atendimento é feito por um Espírito encarnado com conhecimento da Doutrina, que aconselhará segundo a visão espírita cristã. Mas para isso, não precisará estar mediunizado, deve ser apenas uma conversa esclarecedora e consoladora; 
3ª – a consulta da nossa consciência, usando nosso livre arbítrio; 
4ª - as consultas aos Espíritos de André Luiz, Emmanuel, Joanna de Angelis etc., através dos livros espíritas. Mas, principalmente Jesus, nosso guia e modelo, através do Evangelho. Porque o Espiritismo não tem por finalidade principal a realização de fenômenos, mas, sim, o progresso moral da humanidade.

Então, quem procurar o Espiritismo somente para obter cura imediata de seus males físicos e espirituais, ou para resolver de pronto seus problemas materiais, poderá ficar decepcionado.

Rudymara

Podemos dizer que 4 (quatro) são as consultas aceitas pela Doutrina Espírita:
1ª - só quando há uma intenção útil como fez Kardec;
2ª - a consulta fraterna nas Casas Espíritas, cujo atendimento é feito por um Espírito encarnado com conhecimento da Doutrina, que aconselhará segundo a visão espírita cristã. Mas para isso, não precisará estar mediunizado, deve ser apenas uma conversa esclarecedora e consoladora;
3ª – a consulta da nossa consciência, usando nosso livre arbítrio;
4ª - as consultas aos Espíritos de André Luiz, Emmanuel, Joanna de Angelis etc., através dos livros espíritas. Mas, principalmente Jesus, nosso guia e modelo, através do Evangelho. Porque o Espiritismo não tem por finalidade principal a realização de fenômenos, mas, sim, o progresso moral da humanidade.
Então, quem procurar o Espiritismo somente para obter cura imediata de seus males físicos e espirituais, ou para resolver de pronto seus problemas materiais, poderá ficar decepcionado.
 
 
Rudymara
 
 
 
 

TODOS PODEMOS FAZER ALGO DE ÚTIL

Foto: <3 <3 TODOS PODEMOS FAZER ALGO DE ÚTIL <3 <3 

Com certeza não solucionarás todos os problemas do mundo.
Não obstante, podes e deves contribuir para que isto aconteça.
Se não impedes a guerra, tens recursos para evitar as discussões perturbadoras que te alcançam.
Se não dispões de saúde para brindar aos enfermos, logra socorrer um padecente.
Se não solucionas os dramas humanos, concorre para acalmar uma pessoa.
Se não tens meios para liderar grupos, acelerando mudanças que se devem operar no mundo, modifica-te interiormente, enobrecendo-te na ação do bem e da solidariedade.

Joanna de Ângelis.

OBSERVAÇÃO: QUANDO MODIFICAMOS NÓS MESMOS, PARA MELHOR, ESTAMOS FAZENDO UM BEM PARA NÓS E PARA A HUMANIDADE.
Com certeza não solucionarás todos os problemas do mundo.
Não obstante, podes e deves contribuir para que isto aconteça.
Se não impedes a guerra, tens recursos para evitar as discussões perturbadoras que te alcançam.
Se não dispões de saúde para brindar aos enfermos, logra socorrer um padecente.
Se não solucionas os dramas humanos, concorre para acalmar uma pessoa.
Se não tens meios para liderar grupos, acelerando mudanças que se devem operar no mundo, modifica-te interiormente, enobrecendo-te na ação do bem e da solidariedade.



Joanna de Ângelis.


OBSERVAÇÃO: QUANDO MODIFICAMOS NÓS MESMOS, PARA MELHOR, ESTAMOS FAZENDO UM BEM PARA NÓS E PARA A HUMANIDADE.




sábado, 15 de março de 2014

O QUE É OBSESSÃO?



"É o domínio que alguns espíritos logram adquirir sobre certos pessoas. Nunca é praticado senão por espíritos inferiores que procuram dominar" (Livro dos Médiuns, Cap. 23 item 237)
"É a ação persistente que um espírito mal exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais." (O Evangelho Segundo o Espiritismo - cap. 25, item 81)
Os Espíritos podem ver tudo que fazemos, porque estão constantemente nos rodeando. “Estamos cercados por uma nuvem de testemunha” como disse o apóstolo Paulo. Mas, só vêem aquilo que lhes interessa e nas pessoas que estão na sua sintonia. Eles conhecem nossos mais secretos pensamentos, chegam a conhecer o que desejamos ocultar de nós mesmos. Os Espíritos levianos que nos rodeiam riem das pequenas peças que nos pregam e zombam das nossas falhas. Os Espíritos sérios se condoem dos nossos erros e procuram nos ajudar. Os Espíritos influem em nossos pensamentos, de uma tal maneira, que, muitas vezes, são eles que nos dirigem. Os nossos pensamentos chegam a se misturar com o pensamento dos Espíritos, nos causando uma incerteza, são duas idéias e se combaterem.
A influência ocorre também durante o sono. Sem a proteção da armadura de carne que inibe as percepções espirituais das criaturas humanas, os obsessores conversam, à vontade com elas. “Dize-me como és e te direi com quem andas.”
 
 
 

O QUE ATRAI OS MAUS ESPÍRITOS? COMO AFASTÁ-LOS?


 
Explicou Kardec: “Os maus espíritos não vão senão onde acham com o que satisfazerem a sua perversidade; para afastá-los, não basta pedir-lhes nem mesmo ordenar: é preciso despojar de nós o que os atrai. Os maus espíritos farejam as chagas da alma, como as moscas farejam as chagas do corpo; do mesmo modo que limpamos o corpo para evitar a bicheira, limpemos também a alma de suas impurezas para evitar os maus espíritos.”
 
Jesus quando expulsava o “demônio” dizia: “Vá, e não peques mais”; ou seja, “vá e não erre mais”, para não atrair novamente estes “demônios.”
 
 
OBSERVAÇÃO: Alguns fatores que os atrai: Ódio, rancor, sentimento de vingança, maldade, inveja, desejo de matar alguém ou se matar, vícios, etc.
 
 
 
 

CLASSIFICAÇÃO DA OBSESSÃO

Foto: <3 CLASSIFICAÇÃO DA OBSESSÃO <3

Allan Kardec classifica a obsessão em: obsessão simples, fascinação e subjugação. 

Na OBSESSÃO SIMPLES o indivíduo é perturbado por idéias infelizes.  É a mais comum, freqüente, e que poucas pessoas estão livres. Nesse tipo de obsessão o obsidiado permanece no pleno uso de suas faculdades mentais, conservando o discernimento, ele sabe que está errado nos absurdos em que incorre. Reconhece que sua conduta é irregular, não raro ridícula, como lavar repetidamente as mãos ou verificar à exaustão se trancou a porta ou desligou um aparelho elétrico. 
Ex.: se alguém disser que 2+2=4 ela dirá: “Será que o resultado não é 5?” E debruçará nas contas para tirar sua dúvida; 

Na FASCINAÇÃO o indivíduo se vê convencido das idéias infelizes. É mais envolvente. Ela é desenvolvida por hábeis obsessores, estes não se limitam ao bombardeio de idéias infelizes. Atuando com sutileza e inteligência, tratam de convencer o obsidiado das fantasias que lhe sugerem. É como se o obsessor colocasse no obsidiado óculos com lentes desajustadas, confundindo-lhe a visão.  Ex.: Neste caso ele já se convenceu que 2+2=5. ; 

Na SUBJUGAÇÃO pouco importa o que pensa. O obsessor controla seus movimentos, como uma marionete.Faz com que o obsidiado paralise a vontade e comece a agir segundo a vontade do obsessor. Impondo-lhe muitas vezes gemer, gritar, agoniar, desmaiar e desvarios absolutamente incontroláveis. Boa parcela dos alienados mentais que estagiam nos hospitais psiquiátricos são vítimas da subjugação. No Evangelho (Lucas, 9) tem uma passagem de um pai que roga a Jesus dizendo: “Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um Espírito se apodera dele e, de repente, grita, e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado.” Jesus afasta o espírito, e o menino livra-se do problema. A subjugação pode ser moral ou corporal. Na subjugação moral, o obsidiado é colocado muitas vezes em situações comprometedoras. Na subjugação corporal, o espírito atua sobre os órgãos materiais e provoca movimentos involuntários, podendo levar aos mais ridículos atos.
 
Allan Kardec classifica a obsessão em: obsessão simples, fascinação e subjugação.
 
 
Na OBSESSÃO SIMPLES o indivíduo é perturbado por idéias infelizes. É a mais comum, freqüente, e que poucas pessoas estão livres. Nesse tipo de obsessão o obsidiado permanece no pleno uso de suas faculdades mentais, conservando o discernimento, ele sabe que está errado nos absurdos em que incorre. Reconhece que sua conduta é irregular, não raro ridícula, como lavar repetidamente as mãos ou verificar à exaustão se trancou a porta ou desligou um aparelho elétrico.
Ex.: se alguém disser que 2+2=4 ela dirá: “Será que o resultado não é 5?” E debruçará nas contas para tirar sua dúvida;
Na FASCINAÇÃO o indivíduo se vê convencido das idéias infelizes. É mais envolvente. Ela é desenvolvida por hábeis obsessores, estes não se limitam ao bombardeio de idéias infelizes. Atuando com sutileza e inteligência, tratam de convencer o obsidiado das fantasias que lhe sugerem. É como se o obsessor colocasse no obsidiado óculos com lentes desajustadas, confundindo-lhe a visão. Ex.: Neste caso ele já se convenceu que 2+2=5. ;
Na SUBJUGAÇÃO pouco importa o que pensa. O obsessor controla seus movimentos, como uma marionete.Faz com que o obsidiado paralise a vontade e comece a agir segundo a vontade do obsessor. Impondo-lhe muitas vezes gemer, gritar, agoniar, desmaiar e desvarios absolutamente incontroláveis. Boa parcela dos alienados mentais que estagiam nos hospitais psiquiátricos são vítimas da subjugação. No Evangelho (Lucas, 9) tem uma passagem de um pai que roga a Jesus dizendo: “Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um Espírito se apodera dele e, de repente, grita, e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado.” Jesus afasta o espírito, e o menino livra-se do problema. A subjugação pode ser moral ou corporal. Na subjugação moral, o obsidiado é colocado muitas vezes em situações comprometedoras. Na subjugação corporal, o espírito atua sobre os órgãos materiais e provoca movimentos involuntários, podendo levar aos mais ridículos atos.
 
 
 
 
 

terça-feira, 11 de março de 2014

OS ESPÍRITOS NÃO SÃO ADIVINHOS INFALÍVEIS


Muitos imaginam os Espíritos como adivinhos infalíveis, detentores de todo saber, protetores perfeitos, capazes de todos os prodígios. Se assim fosse, não haveria espírita com dúvidas e problemas. Houve um tempo em que, dirigentes desavisados ou com pouco conhecimento das obras básicas estimulavam essa tendência, transformando os Centros Espíritas em gabinetes de consulta, envolvendo médiuns sem disciplina e orientadores sem orientação. Muitos deles acreditavam que com este tipo de fenômeno a Casa Espírita ficava cheia. Mas, infelizmente, ficava cheia de curiosos. Quando os fenômenos acabavam, eles também iam embora. Como disse o espírito Nora, no livro “Aconteceu na Casa Espírita”: “A doutrina espírita não está interessada em lotar a casa espírita com pessoas que procuram simplesmente "fenômenos. A pretensão é simples, que é fazer vibrar entre as paredes da casa os ensinos de Jesus e Kardec. O mais importante é receber fraternalmente os que nos procuram, socorrê-los quanto possível, oferecer conhecimento doutrinário, despertando as criaturas para a transformação moral; o resto é consequência deste processo do bem realizado".
Rudymara

sábado, 8 de março de 2014

TEXTO AOS HOMENS QUE DESRESPEITAM AS MULHERES E VICE-VERSA

Deus criou espíritos e estes não tem sexo.
Então, tanto podemos encarnar em um corpo masculino como feminino.
Quando estamos desencarnados, no plano espiritual, geralmente, conservamos a aparência da última encarnação. Muitos optam pela aparência da encarnação que foi mais marcante.
Quando estamos encarnados, interpretamos papéis, como artistas num filme ou novela.
Um homem, por exemplo, não É homem, ele ESTÁ interpretando o papel de homem, porque veste um corpo masculino.
Assim ocorre em relação à mulher.
Na próxima encarnação não sabemos em que sexo reencarnaremos.
Portanto, os que abusaram do sexo oposto, como por exemplo: para saciar seus instintos sexuais, batendo, humilhando, levando-os ao suicídio, numa próxima encarnação retornarão (obrigatoriamente) num corpo oposto da encarnação anterior, para sentir na pele as humilhações, os abusos que uma mulher sofre por parte de alguns homens e vive-versa, para aprender a não cometer o mesmo erro numa próxima encarnação.
O PLANTIO É LIVRE, MAS A COLHEITA OBRIGATÓRIA
Rudymara

quinta-feira, 6 de março de 2014

RELIGIÃO SALVA?

Foto: <3 QUEM SALVA NÃO É RELIGIÃO.....SÃO NOSSAS ATITUDES.....DENTRO E FORA DE TODA RELIGIÃO TEM OS QUE SEGUEM OS ENSINAMENTOS DO CRISTO E OS QUE NÃO SEGUEM.....E CARIDADE NÃO É APENAS DAR ESMOLA....É "FAZER AOS QUE CONVIVEM CONOSCO NESTE MUNDO O QUE QUEREMOS QUE ELES NOS FAÇAM" , OU SEJA, TUDO QUE DIZ RESPEITO AO SENTIMENTO CHAMADO: "AMOR" <3.....Observação de Rudymara
 
QUEM SALVA NÃO É RELIGIÃO.....SÃO NOSSAS ATITUDES.....DENTRO E FORA DE TODA RELIGIÃO TEM OS QUE SEGUEM OS ENSINAMENTOS DO CRISTO E OS QUE NÃO SEGUEM.....E CARIDADE NÃO É APENAS DAR ESMOLA....É "FAZER AOS QUE CONVIVEM CONOSCO NESTE MUNDO O QUE QUEREMOS QUE ELES NOS FAÇAM" , OU SEJA, TUDO QUE DIZ RESPEITO AO SENTIMENTO CHAMADO: "AMOR" .....


Observação de Rudymara



domingo, 2 de março de 2014

ESPÍRITOS DE REGIÕES INFERIORES TAMBÉM PARTICIPAM DO CARNAVAL

 

Há quem se isole em grupos religiosos para orar ou pular um carnaval mais cristianizado, onde a alegria não precisa de drogas, sexo desregrado, atitudes desequilibradas. E há os que se entregam a todos os desvarios. Se permitem a todos os abusos. Precisamos lembrar que, os espíritos de regiões inferiores, também se preparam para vir participar das festividades do carnaval e se aproveitam para influenciar os encarnados, ocasionando os tristes casos de violência criminosa, como homicídios e suicídios, drogas lícitas e ilícitas, além dos desvarios sexuais que levam à paternidade e maternidade irresponsáveis e indesejáveis, doenças sexualmente transmissíveis, abortos, etc. A letra da música de Caetano Veloso é: "ATRÁS DO TRIO ELÉTRIO SÓ NÃO VAI QUEM JÁ MORREU." Mas, para os espíritas ela deveria ser: "ATRÁS DO TRIO ELÉTRICO TAMBÉM VAI QUEM JÁ MORREU."
Portanto, se você é cristão, não se esqueça quando estiver se divertindo que, tudo tem uma conseqüência. A lei divina é de causa e efeito. Tudo que causarmos em nossa vida e na vida do próximo, colheremos. Como disse o apóstolo Paulo: "Tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém."
Então, podemos concluir que, seria bom evitarmos, mas se não for possível, podemos nos divertir, mas nos comportemos como cristãos seja lá onde estivermos. Sem a falsa máscara de ser uma pessoa dentro da casa religiosa e outra nas festividades. ORAÇÃO e VIGILÂNCIA é a recomendação sempre atual.
 
Rudymara

 

OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: A evolução espiritual faz parte da lei de Deus. Queiramos ou não, estamos sendo impulsionados a ela. Então, um dia, entenderemos que podemos nos divertir sem nos permitir aos abusos que nos trarão consequências dolorosas.